Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

5 empreendedores que fracassaram antes de ter sucesso

Escrito por: Priscila Gomes em 18 de setembro de 2018

Ideias inovadoras. Planejamento concluído. Investimento no lugar certo. Sucesso. Opa, sucesso? Ainda não. Nos negócios, e na vida em geral, nem sempre a primeira tentativa dá certo. É comum ver histórias de empreendedores que fracassaram antes de ter sucesso. Conheça algumas delas e use-as de incentivo para não desistir.

empreendedores que fracassaram
Conheça histórias de empreendedores que fracassaram antes de ter sucesso

5 empreendedores que fracassaram

Conhecidas mundialmente ou não, são inúmeras as histórias de empreendedores que tiveram de lutar muito para realizar seus sonhos.

Do vendedor de verduras até o dono da empresa que mais rende no mundo, todos abriram mão de algo e continuam fazendo sacrifícios diariamente.

Ser empreendedor não é simples. Tem que ter planejamento, garra e, acima de tudo, dedicação para enfrentar as maiores dificuldades. Os nomes a seguir conseguiram isso. Confira o TOP 5!

#1 Steve Jobs

Certamente você já ouviu falar da trajetória de Steve Jobs, o co-fundador da Apple. A maçãzinha fez e ainda faz tanto sucesso que é difícil acreditar que tudo deu errado diversas vezes.

Até conseguir fazer com que a Apple se tornasse o que é hoje, Jobs passou por inúmeros problemas. Inclusive, foi demitido de sua própria empresa por conta do relacionamento com os colaboradores.

Após se ver em um período turbulento, ousou recomeçar comprando a LucasFilm. Após isso, fechou uma parceria com a Disney e criou a Pixar!, um dos maiores estúdios de computação gráfica, criadora dos filmes Toy Story e Monstros S.A.

Ao voltar para a Apple, Jobs revolucionou ao lançar iPhone, iPad, iMac e muitos outros aparelhos eletrônicos.

#2 Silvio Santos

Com carisma inigualável, Silvio Santos foi vendedor ambulante e se tornou uma das maiores personalidades do Brasil. O empreendedor vendeu canetas, capinhas, serviu ao exército e já foi até animador.

Ao sofrer um acidente em seu trabalho na barca, onde organizava bingos e vendia bebidas aos passageiros, Silvio foi convidado para ir a São Paulo e acabou trabalhando com espetáculos de circo.

Nesta mesma época, conheceu Manoel da Nóbrega, que não estava conseguindo administrar bem o Baú da Felicidade. Silvio o ajudou e não só isso: levantou a marca e assumiu o controle. A partir disso, se tornou um empresário bem-sucedido e conhecido pela persistência e confiança.

#3 Walt Disney

Uma lista de empreendedores que fracassaram sem Walt Disney não seria completa. Sua primeira empresa de animação faliu porque não conseguia cumprir os prazos: seu perfeccionismo o atrapalhou

Devendo uma fortuna aos credores, resolveu ir para a Hollywood. Foi lá que surgiu o Mickey Mouse, personagem que, literalmente, o tirou da miséria. Mesmo sendo desencorajado dezenas de vezes, ele não desistiu e tentou, até estruturar um império.

#4 Edimilson Amoim

Fundador da Brasil Uniformes, Edimilson quase precisou fechar as portas de seu negócio. Mesmo faturando por volta de R$350 mil por mês, o empresário devia muita gente e não conseguia arcar com as dívidas da empresa.

O seu erro, segundo o próprio, foi não ter feito um bom planejamento de negócio que se encaixasse com sua realidade de empreendedor.

Para não fechar as portas, precisou utilizar todas as opções de crédito disponíveis e, finalmente, conseguiu dar a volta por cima. Atualmente a Brasil Uniformes fatura mais de R$ 1 milhão por ano, com todos os prazos e dívidas em dia.

#5 J.K. Rowling

Escrever é empreender. Desempregada e mãe solteira, Joanne Rowling começou a escrever Harry Potter para passar o tempo enquanto lidava com problemas financeiros e emocionais. O hobby virou empreendimento quando decidiu oferecer o primeiro livro para editoras.

Foram oito editoras e todas elas disseram não, até que Rowling conseguiu aprovação da Bloomsbury Press, em 1997. A série do pequeno bruxo ganhou o mundo, sendo traduzida para mais de 60 idiomas.

Rowling é a mulher mais influente do Reino Unido e uma das mais ricas do mundo.

Programas de incentivo ao empreendedorismo

Ideias inovadoras merecem atenção para que consigam se desenvolver de forma sadia e planejada.

No Brasil há diversas opções de programas e plataformas de incentivo ao empreendedorismo, aliadas ao governo ou não.

O foco é mudar a história de um negócio o ajudando a crescer em meio às dificuldades.

Confira os principais programas de aceleração e incentivo às empresas.

Programa Nacional Conexão Startup Indústria

O Startup Indústria foi lançado em 2017 com o foco em ligar as startups às indústrias. A união traz benefícios para ambos os lados: inovação para a indústrias e apoio financeiro para as startups.

Sinapse da Inovação

Cem empesas são escolhidas para participarem do programa Sinapse da Inovação, que une ideias de negócio de diferentes setores com o propósito de desenvolver e atrair investidores.

Scale-up Endeavor Indústria

O Scale-up Endeavor é um programa de crescimento no qual são convocadas 20 empresas para receberem mentoria e cursos de empreendedorismo.

Start-Up Brasil

O Programa Nacional de Aceleração de Startups, Start-Up Brasil, tem por objetivo dar suporte às empresas no quesito inovação tecnológica.

Beneficia os participantes do projeto com gestão, apoio financeiro e incentivo à capacitação.

Programa de Aceleração ACE

A ACE é um programa focado em inovação. Faz com que o negócio consiga se erguer de acordo com o cenário do mercado, bem como as principais tendências.

Finep – Financiadora de Estudos e Projetos

A Finep é mais uma financiadora que oferece apoio a empresas de diferentes áreas. Colabora com o crescimento econômico e tecnológico dos projetos.

Programa de Aceleração InovAtiva Brasil

O InovAtiva é uma plataforma que recebe mentoria de diversos investidores de sucesso. Disponibiliza cursos gratuitos para novos empreendedores.

Este programa de aceleração de negócio possui apoio do Sebrae, sendo financiado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Priscila Gomes

Jornalista. Gosto de abraços, aniversários e do Natal. Atualmente produzo conteúdo para internet e faço assessoria sindical.

Deixe um comentário

Posts relacionados

máquinas-de-cartão-GetNet-Santander
A Rede apresenta modelos de máquinas de cartão para cada empreendedor
Microfranquias
livros-para-pensar-fora-da-caixa
investir em cervejas artesanais