Início Notícias Empreendedorismo 8 ideias de negócios para empreender na crise

8 ideias de negócios para empreender na crise

3.7
(15)

Em tempos de crise no país, empreender pode ser a melhor maneira de ganhar dinheiro e largar o fantasma do desemprego. São muitas as ideias de negócios para conseguir se dar bem nesse meio.

Portanto, quem deseja mergulhar fundo vai precisar de um pouco de ousadia e criatividade para encarar o ritmo de prover um negócio.

O grande desafio para quem quer começar a empreender é justamente escolher o que, como e entender a maneira como isso poderá dar certo. São muitas as perguntas a serem feitas. Qual ideia escolher? Como investir? É viável?

“Essa é a hora de buscar o que você pode fazer de diferente, e tem muita gente prosperando. Claro que não é fácil, mas a gente não pode se abater: a crise tem que servir como um motivador”, apontou Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora e professora de empreendedorismo na Fundação Getúlio Vargas (FGV) e no Insper, em entrevista à Exame.

Para ajudar nessa missão, listamos abaixo 8 ideias de negócios para empreender na crise. Confira e escolha a melhor opção!

8 ideias de negócios para empreender na crise

1. Venda de cosméticos

Muitas pessoas costumam gastar menos em momentos de crise, mas o setor de beleza não costuma ser afetado. Isso porque o consumo de produtos como perfumes, maquiagem e higiene pessoal não diminuem.

E não são apenas as mulheres que gastam nessa área. Os homens também estão desembolsando cada vez mais dinheiro com produtos de beleza.

2. Comida prática

Outro setor que não sofre muito é o de alimentação. As pessoas costumam comer menos fora durante a semana e em restaurantes aos finais de semana.

Porém, isso não impede que elas comprem comidas mais saudáveis e que sejam práticas para o dia a dia.

Um exemplo são as quentinhas ou até mesmo a comida fitness, para aqueles que estão de dieta.

Outra opção é investir em pratos prontos ou que sejam rápidos de serem consumidos. Além disso, pense no que consumidor está buscando: praticidade, rapidez e alimentação balanceada.

3. Food Trucks

Os ônibus ou vans sobre rodas estão em alta. Pessoas desempregadas estão investindo as economias nesse novo negócio que tem sido sucesso entre os amantes de fast food ou lanches artesanais. A ideia é bem prática, fácil e econômica.

ideias-de-negócios
Uma das opções de ideias de negócios são os foods trucks

Se você tem condições, invista em uma van ou micro ônibus, que não precisa ser novo. Adapte para esse tipo de empreendimento.

É preciso, portanto, entender a respeito do público-alvo e localidade para conseguir ter sucesso com o seu food truck. Os gastos vão de acordo com o tipo de investimento.

4. Franquias

Esse é mais um setor que tem crescido bastante no cenário de empreendimentos. Ou seja, ideal para quem está sem ideias de negócios.

Só no 2° semestre de 2019, o mercado de franqueamento cresceu mais de 11% e tem sido a salvação de muitos que estão sofrendo com desemprego e falta de dinheiro.

Muitas pessoas têm optado por esse ramo, pois as chances de dar certo são maiores, mais do que um negócio próprio. Escolher uma marca conhecida, então, é ainda melhor para conseguir sucesso com o negócio.

5. Empresas digitais

Com a internet, abrir um negócio ficou muito mais fácil. E em tempos de crise, essa é uma opção para quem não tem muito dinheiro para investir, mas quer abrir um negócio.

Nesse caso, é possível economizar em alguns quesitos. Por exemplo: locação luz, e água.

Além disso, vender por meio da internet permite que você alcance diversos públicos de várias regiões do país, dependendo apenas do seu negócio.

6. Conserto e manutenção de produtos

Se você é o tipo de pessoa que gosta de consertar os móveis ou eletrônicos quando eles quebram, saiba que essa pode ser uma ótima área para investir.

Em momentos de crise, grande parte da população passa a comprar menos e começa a consertar quando um produto em casa quebra.

Por isso, invista nesse setor de reparos, tanto de carros quanto de móveis e de aparelhos eletrônicos.

7. Divulgação e conteúdo para pequenas e médias empresas

Empresas que estão começando cometem o erro da falta de divulgação eficiente. Por isso, empreendedores com experiência em comunicação podem encontrar um mercado um pouco desenvolvido.

O trabalho de marketing está relacionado com a produção de conteúdo, o que é muito requisitado pelos consumidores de um negócio. Vale ressaltar que não é apenas realizar anúncios publicitários de um produto e/ou serviços.

Mas também gerar informação que ajude o cliente no dia a dia, como benefícios de um determinado produto.

8. Móveis montáveis

Comprar um móvel para a sua casa ou apartamento pode ser caro, dependendo do modelo escolhido, especialmente em épocas de crise. E quem adquire um móvel ainda precisa arcar com uma pessoa para montá-lo.

Nessas horas, oferecer móveis montáveis é uma grande alternativa para quem não quer contratar uma pessoa. Venda produtos que sejam fáceis de serem montados pelos próprios consumidores.

Aplicativos viram forma para fugir do desemprego

Aplicativos de serviços – como iFood, Rappi e UberEats – se tornaram, em conjunto, o maior ‘empregador’ do país. Quase quatro milhões de trabalhadores autônomos utilizam hoje as plataformas como fonte de renda.

O dado é da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Contudo, um levantamento do Instituto Locomotiva aponta ainda que cerca de 17 milhões de pessoas usam algum aplicativo regularmente para obter renda.

Essa conta inclui trabalhadores autônomos, profissionais liberais e aqueles que têm outros empregos e usam o que ganham nas plataformas para complementar o salário.

Outra opção tem sido os aplicativos de transporte por carros particulares. Desde que chegaram no Brasil, muitas pessoas aderiram a nova forma de trabalho. Se tornaram motoristas de aplicativo.

Negócios que são tendência no mercado

Empreender é o segredo para quem quer alavancar um negócio próprio, ainda mais em meio a crise. Embora sejam muitas as opções para escolher e investir, algumas são mais tendências, de acordo com pesquisas.

Entretanto, é preciso escolher um ramo com que você mais se identifique. Saber quais são as opções mais escolhidas no mercado é bom para ter um norte do que está sendo feito e no que as pessoas estão investindo e comprando.

Mas, não arrisque algo que você não conseguirá levar ao sucesso. O Sebrae pontua, frequentemente, os principais negócios do momento. Com base nos estudos do ano de 2019, diversas áreas são apontadas como principais para investir. Confira a relação:

  • Alimentos e bebidas;
  • Vestuário;
  • Serviços de saúde;
  • Produtos/serviços inovadores;
  • Serviços de reparação;
  • Estética/beleza;
  • Serviços especializados;
  • Informática;
  • Construção.

E-book lhe ajuda a empreender na crise

Ainda tem dúvidas se deve ou não começar a empreender na crise?

ebook-financeoneO FinanceOne elaborou um e-book com todas as informações que você precisa para ter ideias de negócios. 

Apesar de parecer difícil empreender durante esse período, não é uma missão impossível.

Isso porque é possível começar um negócio com pouco dinheiro ou até mesmo sem nem precisar investir dinheiro, somente o seu tempo.

No e-book “Ideias de negócios para empreender na crise”, você encontra o passo a passo para começar uma empresa.

Além de saber como empreender com pouco dinheiro, o que é fundamental em tempos de crise.

Lembre-se que em momentos de crise é preciso se reinventar. Por isso, não tenha medo de começar um negócio do zero, apenas comece!

BAIXE O E-BOOK

Conclusão: invista em um setor do qual você entenda

É fundamental que o futuro empreendedor invista em um setor do qual ele entenda e goste.

Isso porque não adianta aplicar o seu dinheiro em algo que não tenha conhecimento, porque pode ser que não dê certo. Além do que, isso pode não te deixar motivado no negócio e até mesmo fazê-lo desistir.

Outro ponto importante é que antes de colocar suas ideias de negócios em diante é necessário realizar uma pesquisa dos pontos positivos e negativos. Coloque na balança o custo para abrir o negócio e avalie as possibilidades.

Será preciso também fazer um estudo sobre o público-alvo e os concorrentes da sua futura marca.

Com tantas opções para investir, também é necessário sempre se atualizar sobre o mercado. Não esqueça: procure oferecer aos seus clientes o que eles procuram e desejam.

A crise pode atrapalhar na economia, mas ela também pode se tornar sua grande aliada ao abrir o negócio certo.

O que achou disso?

Deixei sua classificação

Média da classificação 3.7 / 5. Número de votos: 15

Seja o primeiro a avaliar este post.

Redação
O FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde 2003, publicamos conteúdos que buscam traduzir desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa. Nossa missão é mostrar que qualquer pessoa pode ter controle financeiro e fazer as escolhas certas. Assim como ter no dinheiro um aliado para viver bem e conquistar seus sonhos.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

FGTS para empregados domésticos: entenda como funciona

É empregado doméstico ou tem um que trabalha para você? Sabe como funcionam as regras do FGTS para essa categoria? Tem dúvidas...

Como abrir uma conta bancária no exterior?

Você sabe como abrir uma conta bancária no exterior? Ao contrário do que muitos pensam, o processo é fácil e pode ser...

Conta de luz volta a ter cobrança extra. O que muda no seu bolso?

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu, em 30 de novembro, que a conta de luz dos consumidores virá com uma...

Como economizar na ceia de natal

Ah, o natal! A melhor época do ano chegou e, com ela, certos prejuízos financeiros. É quase impossível sair das festas de fim de...

5 profissões em alta para 2021. Salários de até R$70 mil!

O ano está se aproximando do fim e com ele começam as expectativas para saber quais são as profissões em alta para...

Conheça 4 sites que oferecem cashback

Quer fazer uma compra e ter uma parte do valor devolvido para você? É o que fazem as empresas que lidam com...