InícioNotíciasEconomiaAuxílio emergencial 2021: Bolsonaro promete parcelas de R$250

Auxílio emergencial 2021: Bolsonaro promete parcelas de R$250

Tempo de leitura: 3 minutos
()

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na quinta-feira, 25, em transmissão ao vivo, que o auxílio emergencial 2021 deve ser pago a partir de março, no valor de R$250. Vale lembrar, no entanto, que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial ainda estar travada no Congresso.

Bolsonaro também disse que o governo planeja uma nova proposta para reformular o Bolsa Família. A intenção é que o programa seja reformulado a partir de julho, quando o novo auxílio for encerrado.

A PEC, que tramita no Senado, é a contrapartida exigida pelo governo para conceder o benefício em 2021. Bolsonaro estava ao lado do presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, que afirmou a “total preparação” do banco, do ponto de vista operacional, para pagar o auxílio “mais rápido ainda”.

Além disso, o presidente também disse que conversou com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e que “a princípio” o que está sendo disponibilizado são as quatro parcelar a partir de março.

“Está sendo conversado ainda, em especial com os presidente da Câmara e do Senado, porque a gente tem que ter certeza de que o que nós acertarmos –vai ser em conjunto, não vai ser só eu e a equipe econômica, vai ser junto com o Legislativo também– na ponta da linha aquilo seja honrado por todos nós. Porque a nossa capacidade de endividamente está, acredito, no limite”, disse Bolsonaro.

Presidente da Câmara afirma que auxílio emergencial será pago até junho

Além da declaração do presidente Bolsonaro, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), confirmou nesta segunda-feira, 1º, que o benefício será pago até junho deste ano, em parcelas mensais de R$250, apesar da PEC Emergencial não ter ido ainda à votação.

A afirmação foi feita em uma publicação no Twitter depois de entrevista à TV Record. Segundo Lira, a decisão foi tomada depois de reunião na tarde de domingo com o presidente Jair Bolsonaro e alguns de seus ministros.

+ 9 projetos propõem prorrogação do auxílio emergencial em 2021

+ Fim do auxílio emergencial: veja outros 5 benefícios sociais

Nova prorrogação poderá reduzir metade dos beneficiários

Os detalhes de quantos beneficiários serão contemplados com essa nova prorrogação ainda não foi divulgado.

Contudo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, já informou que a ideia é atender metade dos 64 milhões de beneficiários que receberam no ano passado

De acordo com o blog da Ana Flor, jornalista do G1, um cruzamento de bancos de dados poderá reduzir à metade os beneficiários do auxílio emergencial.

Isso porque o governo fez, ao longo desses últimos meses, um cruzamento para realizar um pente-fino. O cruzamento foi feito a partir de 11 bases de dados. Foi utilizada, também, uma plataforma desenvolvida pelas secretarias de Governo Digital e de Previdência e Trabalho.

De acordo com informações, foi possível chegar ao número de pessoas que precisarão de uma nova rodada do auxílio: cerca de 33 milhões de brasileiros, entre eles os 14 milhões que já estão no programa Bolsa Família.

O auxílio foi pago, inicialmente, em cinco parcelas de R$600, sendo R$1.200 para mulheres chefes de família. Após isso, ele foi prorrogado por mais quatro parcelas de R$300 até o fim do ano.

E você? Acha que o auxílio emergencial deve ser prorrogado com esse valor de R$250? Deixe nos comentários a sua opinião e compartilhe conosco, e com os demais leitores, o que você acha sobre o assunto!

O que achou disso?

Média da classificação / 5. Número de votos:

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?

Tempo de leitura: 3 minutos
Camila Miranda
Nascida na Zona Oeste do Rio, me divido entre jornalismo e marketing digital. Com três anos de experiência em Comunicação, já trabalhei em redação de jornal impresso, webjornalismo e assessoria de imprensa. Hoje, faço gestão de mídias sociais e produção de conteúdo. Amo assuntos sobre as áreas cultural e política. Reclamo do transporte público.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui