InícioAntonio AlvarengaMar à Vista: perspectivas para negócios ligados à atividade marítima

Mar à Vista: perspectivas para negócios ligados à atividade marítima

5
(1)

Realizamos recentemente a “Semana Polo do Mar Conecta”, foram cinco dias de evento com a execução de 13 painéis focados no tema da “Economia do Mar”. Estiveram presentes aproximadamente 1000 participantes, entre entidades de fomento, universidades, representantes de grandes e pequenas empresas, representantes dos polos marítimos de Portugal e da França.

O evento foi uma oportunidade de trocas de experiências e conhecimentos sobre o tema, além de networks e encontros de negócios. Foi um verdadeiro movimento em prol da retomada do desenvolvimento do estado do Rio de Janeiro, através do fomento aos polos competitivos marítimos do estado.

Além da grande mobilização e participação da sociedade organizada, houve uma série de decisões e resultados que irão impactar positivamente o futuro do Rio de Janeiro.

Como exemplo foi o lançamento pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria de Desenvolvimento, Energia e Relações Internacionais, de um Decreto, que foi publicado no Diário Oficial, criando o Grupo de Trabalho da “Economia do Mar”, que tem como objetivo formular políticas públicas para os setores ligados direta e indiretamente ao mar.

Também foi anunciada a formação de parcerias, através de carta de adesão a ser assinada pelas prefeituras, que tenham interesse em desenvolver suas cidades, por meio do fomento ao empreendedorismo e do uso do poder de compra, do setor público e privado.

A secretaria também divulgou que está criando, através da AgeRio, uma linha de crédito específica para atender as micro e pequenas empresas interessadas em serem fornecedores locais.

Outro resultado foi o engajamento de grandes empresas, de forma integrada, interessadas em desenvolver e capacitar fornecedores locais, como exemplo: a ICN, Porto do Sudeste, Vale, Ternium, BR Marina e o Complexo do Açu, Aeroporto de Cabo Frio, dentre outras.

Algumas dessas grandes empresas já tem programas de encadeamento produtivo com o Sebrae, capacitando micro e pequenas empresas locais.

Economia do mar: universidades também entram na discussão

As universidades também apresentaram suas reflexões e estudos sobre a economia do mar. A UFRRJ, UERJ e UFRJ tiveram grandes destaques demostrando os seus trabalhos no tema.

A UERJ, por meio do curso de oceanografia, apresentou sua nova embarcação para estudos costeiros. A Universidade Rural além de fazer parte da governança do Polo do Mar da Baía de Sepetiba, deu certificados para os alunos que fizeram o primeiro curso sobre economia do mar no Rio de Janeiro.

E também foi anunciada a criação da “Universidade do Mar” na Baía de Guanabara, que na verdade será formada por várias universidades do estado, que tem interesse no tema da economia do mar.

Navio de carga no meio do oceano
Sebrae Rio e entidades discutem sobre atividades ligadas à Economia do Mar

Durante o evento houve rodadas de negócios do Sebrae, Fecomércio e Senac em parceria com o Compra Rio, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações internacionais.

Estiveram presentes as grandes empresas de polos marítimos do estado como: a Ternium, a GNA, Açu Petróleo, Porto do Açu e Ferroport, onde participaram mais de 70 micro e pequenas empresas, que apresentaram seus produtos e serviços, demostrando o interesse das grandes empresas do estado em comprar, de forma competitiva, de fornecedores locais.

No decorrer do evento foi lançado o “Fórum Brasil e Portugal”, além do estudo sobre o setor náutico, na Baía da Ilha Grande e de Sepetiba, e foi também lançado o estudo de tendências e oportunidades para as MPEs no setor de petróleo e gás, isso tudo com o objetivo de adensar as cadeias produtivas locais, gerando oportunidades de negócios, emprego e renda.

O marco do evento foi que o estado do Rio de Janeiro terá a primeira política pública estratégica para o fomento à economia do mar, utilizando o uso do poder público e privado para desenvolver fornecedores locais, gerando desenvolvimento econômico e social para a população do estado.

Conheça Antonio Alvarenga, colunista do FinanceOne

Diretor-superintendente do Sebrae Rio desde 2019 e com vasta experiência no mercado, Antonio Alvarenga é o novo colunista do FinanceOne. Quinzenalmente, ele trará informações importantes sobre empreendedorismo. Fique de olho!

Antonio é administrador pela UFRJ, presidente da Sociedade Nacional de Agricultura – SNA e vice-presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ).

Também é membro do Conselho Superior de Agronegócios da FIESP e dos seguintes Conselhos da Firjan: Conselho Empresarial de Gestão Estratégica para Competitividade; Fórum Empresarial da Agroindústria; e Conselho Empresarial de Energia Elétrica, além de integrante do Conselho das Entidades do Setor Agropecuário e de diversas Câmaras Setoriais e Temáticas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

É membro da Academia Nacional de Agricultura e integrante do Conselho do Agro, instituição que reúne as 15 principais lideranças do agronegócio brasileiro. Foi Diretor do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais; Diretor Executivo e sócio do Ibmec Educacional.

Conheça também os textos de:

  • Guilherme Costa Val, colunista que aborda direitos tributários de forma simplificada;
  • Ronaldo Junior, colunista que traz tudo o que você precisa saber sobre direitos trabalhistas.

O que achou disso?

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?

Assine nossa newsletter!

Páginas Populares

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui