Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Qual a diferença entre ações e ETFs?

Escrito por: Mateus Carvalho em 12 de agosto de 2019

Quem é investidor está sempre diversificando as suas aplicações, já que essa é uma forma de minimizar os riscos de perder tudo em um investimento. E nessas horas sempre surgem algumas dúvidas. Uma delas é: “qual a diferença entre ações e ETFs?”

Mas antes de qualquer coisa é necessário saber o que são as ações e os ETFs, para depois entender a diferença entre ações e ETFs. Além de saber as vantagens e desvantagens de cada um desses investimentos na hora de aplicar o dinheiro.

ETF é um bom investimento para iniciantes?

É importante frisar que antes de realizar aplicações, é necessário pesquisar sobre o investimento. Além de avaliar o retorno que ele irá lhe oferecer e se está dentro do seu perfil de investidor.

Isso tudo deve ser levado em consideração no momento de investir.

Saiba o que são ações e ETFs

Para entender a diferença entre ações e ETFs, a primeira coisa a ser feita é saber o que é cada um desses investimentos.

Vamos falar de cada uma separadamente, para ficar mais fácil de entender esses dois tipos de aplicação.

As ações representam uma parcela ou fração do capital social de uma empresa. É como se fosse um pedaço da empresa. E ao comprar uma ação o investidor acaba tornando-se sócio da empresa.

Sendo assim, o investidor que comprou a ação passa a correr os riscos desse negócio. Assim como participa dos lucros e prejuízos, como qualquer outro empresário.

As empresas vendem ações para expandir os negócios. E essa é uma forma de conseguir o dinheiro para isso. Vale ressaltar ainda que qualquer pessoa pode adquirir as ações – ou títulos – passando a integrar o grupo de acionistas da companhia.

O dinheiro adquirido pode ser utilizado como investimento e para elevar o valor de mercado da companhia.

Já os ETFs, que também são conhecidos como fundos de índice, são fundos compostos por uma cesta de ações diversificadas. Estas seguem a rentabilidade de índices conhecidos, como por exemplo o Ibovespa e o S&P500.

Os ETFs podem ser uma opção para quem está começando a investir no mercado, para quem quer diversificar e pagar taxas menores.

Esse tipo de investimento representa um conjunto de ações, que garantem que o investidor adquira papeis de várias empresas de uma única vez.

Qual a diferença entre ações e ETFs?

Agora que você já sabe o que significa cada um desses investimentos, está na hora de descobrir a diferença entre as ações e ETFs.

Para começar, o fundo de ação tradicional tem gestão ativa. Sendo assim, o objetivo é ter rentabilidade maior do que os índices de referência do mercado.

Enquanto o ETF é um fundo de gestão passiva, já que segue o retorno dos seus índices de referência. Dessa forma, se um ETF segue o Ibovespa ele subirá, aproximadamente, 20% se o Ibovespa subir esse mesmo percentual.

Além disso, o mínimo para se investir em ETFs é uma unidade e para aplicar nesse produto, é necessário abrir uma conta em uma corretora.

Depois será preciso escolher qual ETF comprar e enviar uma ordem, que está sujeita a corretagem. Vale lembrar que os ETFs têm uma taxa de administração.

Com as ações o gestor escolhe em quais vai investir, qual o melhor momento de compra, venda ou até mesmo troca de ações. Elas também contam com taxas de administração e ainda cobram taxas de performance.

Ambos os investimentos estão sujeitos ao Imposto de Renda de 15% sobre o ganho de capital. A diferença é somente na forma de cobrança.

Enquanto as ações cobram o imposto direto na fonte, no ETFs, você deve pagar a DARF até o último dia útil do mês subsequente à venda.

As vantagens das ações e dos ETFs

Além da diferença entre ações e ETFs, outro ponto a ser levado em consideração são as vantagens que cada investimento irá lhe proporcionar.

Conheça os benefícios de ambas as aplicações abaixo.

Vantagens de investir em ações

-> Acesso ao Home Broker: sistema que as corretoras disponibilizam para seus clientes investirem em ações. Você pode enviar ordens de compra e venda de um determinado ativo;

-> Sócio de grandes empresas: você se torna de sócio de uma companhia, podendo lucrar de acordo com o crescimento dela;

-> Potencial de rentabilidade: é um investimento de renda variável com um grande potencial, apesar de não oferecer resultados acima da inflação;

-> Resultados rápidos: os resultados aparecem mais rápidos, já que você ganha com os lucros da empresa na qual obteve as ações.

Vantagens de investir nos ETFs

-> Diversificação: um ETF é composto por uma cesta de ações idêntica ao índice de referência escolhido. Ele protege o investidor de potenciais perdas vinda de uma única ação;

-> Baixo custo: fundos tradicionais normalmente cobram de 2% a 3% de taxa de administração e alguns têm taxa de performance de 20%. Já os ETFs cobram entre 0,20% a 0,80% ao ano, sem performance;

-> Transparência: o investidor sabe que o retorno da aplicação será igual ao índice de referência e não irá depender da capacidade do gestor de superá-lo;

-> Variedade: na BM&Bovespa são negociados cerca de 15 ETFs diferentes;

-> Facilidade: este investimento é negociado na Bolsa de Valores, como uma ação, sendo assim tem uma liquidez maior. É possível aplicar com cerca de R$200.

Mateus Carvalho

Jornalista formado pela Unicarioca. Atualmente, repórter da Folha Dirigida e produtor de conteúdo no FinanceOne. Já fui colaborador do Torcedores.com.

Deixe um comentário

Posts relacionados

Desenvolver a autoconfiança é fundamental para lidar com os altos e baixos dos investimentos
Como funciona o Consórcio Honda
Avaliar a liquidez do investimento é importante para saber o prazo que poderá resgatar os lucros
FGC
aplicações-isentas-de-IR