Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

O que é e como entender o extrato bancário

Escrito por: Mateus Carvalho em 8 de março de 2019

Se você faz muitas movimentações bancárias, provavelmente depende bastante do extrato bancário para ter controle do que já foi pago ou não. Mas você sabe o que é e para que serve o extrato bancário? Sabe qual é o objetivo dele?

Para começar, o extrato bancário é um documento no qual consta todas as informações sobre o movimento da sua conta bancária.

Por meio do extrato é possível você realizar a consulta da sua conta de dois dias, cinco dias e 30 dias. Ainda existe a possibilidade de verificar os meses anteriores.

extrato-bancario
Saiba como funciona o extrato bancário

E hoje, existem diversas maneiras de se consultar o extrato bancário, sendo elas:

– Pelo caixa eletrônico;

– Pelo internet banking;

– Pelo telefone;

– Pelo extrato impresso.

As informações de um extrato costumam ser bastante simplificadas. Porém, por conta de alguns códigos e letras é necessário saber o que cada um significa para interpretar o documento da forma correta.

Além disso, é por meio deste documento que você consegue analisar exatamente o que entrou e saiu da conta. Também é possível avaliar a sua situação bancária depois que realizou os pagamentos necessários.

Entenda o que significa cada símbolo do seu extrato bancário

Você já sabe que o principal conteúdo do extrato bancário é a movimentação de entrada e saída de dinheiro da sua conta.

Ele sempre conta com uma data de início, que é o saldo inicial do período, e uma data final, que é o saldo final.

As movimentações citadas acima são marcadas com as letras “c”, de crédito, que significa entrada, ou “d”, de débito, que significa a saída de dinheiro.

O extrato indica o saldo inicial e o final, incluindo ou não os valores de crédito para o correntista.

Por isso, é importante ter atenção nesse ponto e não considerar como dinheiro disponível o saldo final, mas sim o saldo sem o empréstimo disponível.

Além disso, é no extrato bancário que constam todas as operações realizadas no mês. Como por exemplo as compras realizadas no débito, transferências, saques, entre outras.

Todas essas informações estão em ordem cronológica, de acordo com as datas de cada movimentação.

Conheça os tipos de extrato bancário

Agora que você já sabe como funciona um extrato bancário, está na hora de conhecer e entender cada tipo existente nas instituições financeiras.

Extrato comum: esse é o demonstrativo solicitado pelo cliente. É referente a um determinado período, que pode ser consultado a qualquer momento em caixas eletrônicos ou pela internet. Mas é importante estar atento, pois os bancos costumam cobrar quando o limite de extratos impressos são ultrapassados.

Extrato mensal consolidado: essa é a versão impressa com todas as transações mensais realizadas, mas que são enviadas pelos Correios.

Extrato anual consolidado: é o demonstrativo com as movimentações realizadas pelo cliente durante todo o ano, incluindo as taxas cobradas. O envio desse demonstrativo é obrigatório e não pode ser cobrado pelos bancos.

Principais siglas em um extrato bancário

É comum que nos extratos bancários você encontre siglas ou letras que não saiba o significado.

Isso porque todas as movimentações são dadas em códigos e letras impressas no documento. Saiba quais são as principais.

Saldo positivo e negativo

C: significa crédito e é utilizado para determinar todas as movimentações de depósito em conta, ou seja, de entrada de dinheiro;

D: tem como significado o débito e determina os valores retirados ou descontados da conta. Seja eles por meios de saques, compras no cartão, entre outros. Também pode estar incluído na frente do valor do saldo total um sinal de negativo (-).

Conta corrente ou poupança

C/C: esta sigla significa conta corrente.

C/I: essa significa conta investimento ou conta poupança, variando de acordo com o tipo de conta do correntista.

Recebimentos

Dep. Ch.: tem como significado depósito em cheque;

Dep. Dinh.: significa depósito em dinheiro;

TB: essa sigla tem como significado transferências bancárias;

TBI: essa significa transferência bancárias via internet;

TED’s ou DOC’s: tem como significado transferências entre bancos diferentes, ambos eletronicamente.

Pagamentos

PGTO, PAG, PAGTO ou PG Cobrança: significa o pagamento de boletos bancários, sejam eles despesas pessoais, faturas de cartão, tarifas federais, entre outros;

DA: tem como significado débito automático.

Cobranças e tarifas

IOF: significa imposto sobre operações financeiras;

TRF ou TAR: tem como significado tarifa mensal de serviços;

ENC: é quando as tarifas são lançadas como encargos.

Outras siglas

CCF (Cadastro de Emitentes de Cheques Sem Fundo): é o cadastro mantido pelo Banco do Brasil, em nome do Banco Central. Nele estão armazenadas informações sobre emitentes de cheques sem fundos;

Cheque Prescrito: é quando o cheque foi apresentado após o prazo de prescrição (seis meses após o prazo de apresentação). Sendo assim, o beneficiário perde o direito de execução, sendo possível apenas a ação comum na justiça para reaver o crédito.

Vale a pena ter conta em vários bancos?

Você é daquele tipo de pessoa que tem uma carteira cheia de cartões, de crédito e débito? Esse cenário tem sido cada vez mais comum. Mas será que vale a pena ter conta em vários bancos?

A facilidade com que as agências e empresas têm oferecido ao cliente para abrir uma nova conta tem motivado esse acúmulo.

É raro encontrar uma pessoa que não tenha mais de uma conta bancária. Confira se vale a pena ter conta em vários bancos.

Mateus Carvalho

Jornalista formado pela Unicarioca. Atualmente, repórter da Folha Dirigida e produtor de conteúdo no FinanceOne. Já fui colaborador do Torcedores.com.

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

Ter um seguro para a casa
transferir o financiamento do carro
menos-juros-no-financiamento-imobiliário
portabilidade-em-planos-de-saúde-empresariais