InícioNotíciasEconomiaRenda Cidadã: veja repercussão do programa nas redes sociais

Renda Cidadã: veja repercussão do programa nas redes sociais

Tempo de leitura: 3 minutos
()

O Renda Cidadã, novo programa de transferência de renda, foi anunciado no final de setembro pelo governo federal.

O objetivo é substituir o atual Bolsa Família e dar continuidade ao auxílio emergencial, benefício concedido para ajudar os trabalhadores informais devido à pandemia do coronavírus.

Além disso, o programa visa ampliar o número de pessoas atendidas e aumentar o valor do benefício.

Ainda há dúvidas sobre o novo programa social, como por exemplo, qual será o valor do benefício. Mas, até agora, sabe que se trata de uma variação do Renda Brasil, o qual foi suspenso pelo presidente Jair Bolsonaro em agosto.

O presidente Jair Bolsonaro, porém, deu indícios de que a intenção é que o valor do Renda Cidadã acompanhe o valor definido das parcelas do auxílio emergencial, que atualmente é de R$300.

Auxílio emergencial de R$300: veja como consultar se você tem direito

Programa Renda Cidadã repercute nas redes sociais

E teve gente falando sobre os reajustes…

E também falando que foi ‘conversa fiada’ do governo.

O Renda Cidadã também abriu espaço para a discussão sobre os supersálarios.

E também provocou reação negativa ao mercado financeiro.

Há quem também relacione o programa Renda Cidadã com os altos preços nos alimentos.

Por outro lado, pessoas elogiaram a iniciativa do governo.

Programa Renda Brasil ficará para depois das eleições municipais

O senador Márcio Bittar, relator do Renda Cidadã confirmou que o projeto só será apresentando após as eleições municipais.

Caso haja segundo turno, as eleições terminarão no dia 30 de novembro. A informação sobre o texto do programa Renda Cidadã foi passada pela assessoria do senador ao site Congresso em Foco.

Segundo Bittar, a decisão de divulgar o texto do programa após as eleições foi tomada de comum acordo entre governo e aliados no Congresso.

O objetivo do Planalto, de acordo com o senador, é ampliar o número de beneficiários do programa Bolsa Família.

Além de ampliar o número de pessoas atendidas, o objetivo também é aumentar o valor do benefício e substituir o auxílio emergencial.

O Bolsa Família alcançou mais de 14 milhões de famílias em julho deste ano, conforme a divulgação do governo federal.

A ideia é que o Renda Cidadã passe a valer a partir de janeiro de 2021, quando o auxílio emergencial residual de R$300 já tiver acabado.

“Tem que esperar. Passa a eleição, chama todo mundo, o problema continua porque não vai acabar. Não posso ser porta-voz de mim mesmo, se eu for porta-voz de mim mesmo não vai a lugar nenhum. Eu tenho que ser para que tenha sucesso o porta-voz de um consenso, e um consenso não se constrói agora na eleição, infelizmente é isso”, completou o relator.

Bittar ainda afirmou que encontra dificuldades para definir de onde sairá o financiamento do Renda Cidadã. A medida deve custar pelo menos R$20 bilhões por ano, segundo o governo.

Inicialmente, a informação era que o custeio sairia dos pagamentos de precatórios e o uso de 5% dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

No entanto, após receber críticas, o governo recuou. Portanto, ainda não há acordo sobre as fontes de financiamento para o Renda Cidadã.

E você, o que acha do Renda Cidadã? É a favor ou contra do novo programa de transferência de renda? Compartilhe a sua opinião conosco e com os nossos demais leitores sobre o assunto.

O que achou disso?

Média da classificação / 5. Número de votos:

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?

Tempo de leitura: 3 minutos
Camila Miranda
Nascida na Zona Oeste do Rio, me divido entre jornalismo e marketing digital. Com três anos de experiência em Comunicação, já trabalhei em redação de jornal impresso, webjornalismo e assessoria de imprensa. Hoje, faço gestão de mídias sociais e produção de conteúdo. Amo assuntos sobre as áreas cultural e política. Reclamo do transporte público.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui