Início Notícias Economia Salário mínimo para sustentar família deveria ser de R$ 4 mil

Salário mínimo para sustentar família deveria ser de R$ 4 mil

0
(0)

Sabia que o seu salário mínimo de abril deste ano deveria ter sido de R$ 4.385,75?

É o que aponta o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Ficou assustado? Em março, o ideal era que ele fosse de R$ 4.277,04.

Portanto, 4,29 vezes mais que o atual salário mínimo, de R$ 998.

Em fevereiro de 2019, o piso necessário correspondeu a R$ 4.052,65, ou 4,06 vezes o mínimo vigente.

Já em março de 2018, o valor necessário seria de R$ 3.706,44, ou 3,89 vezes o salário mínimo, que era de R$ 954.

Segundo o órgão, esse é o valor necessário para sustentar uma família de quatro pessoas.

O Dieese calcula esse valor com base na cesta básica mais cara entre 18 capitais pesquisadas.

Ele leva em conta a necessidade para suprir as despesas de um trabalhador e de sua família com alimentação, moradia, saúde e educação.

Além de itens como vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

Salário mínimo

Valor da cesta básica sobe em 18 capitais

A Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos produzida pelo Dieese revela que o custo do conjunto de alimentos essenciais subiu em todas as capitais em março de 2019.

As altas mais expressivas ocorreram em:

– Brasília – 11,09%;

– Florianópolis – 7,28%;

– São Luís – 7,26%;

– Curitiba – 7,20%.

A capital com a cesta mais cara foi São Paulo (R$ 509,11), seguida do Rio de Janeiro (R$ 496,33) e Porto Alegre (R$ 479,53).

Os menores valores médios foram observados em Salvador (R$ 382,35) e Aracaju (R$ 385,62).

Vale ressaltar, no entanto, que comer fora fica mais caro em todo o país.

É o que aponta a pesquisa da Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador (ABBT).

De acordo com o levantamento da associação, os trabalhadores brasileiros gastam, em média, R$ 34,84 por dia.

O valor equivale a um desembolso mensal em torno dos R$ 766.

Salário mínimo é de R$ 998 em 2019

O salário mínimo, em 2019, passou de R$ 954 para R$ 998.

De acordo com decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, o valor diário do salário mínimo ficou em R$ 33,27, e o valor por hora, em R$ 4,54.

O aumento do salário mínimo foi de R$ 44 (4,6%) em relação ao anterior.

No entanto, o valor ficou abaixo dos R$ 1.006 aprovados pelo Congresso para o Orçamento deste ano.

O projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias proposto ao Legislativo pela equipe econômica do governo estabelece que o valor do salário mínimo em 2020 seja de R$ 1.040.

Esse valor representa um aumento de R$ 42 em relação aos atuais R$ 998.

No entanto, a nova regra define que não haverá aumento real do salário mínimo.

Portanto, ele será corrigido apenas pela inflação medida pelo Índice Nacional do Preços ao Consumidor (INPC).

A proposta representa uma mudança em relação ao modelo de reajuste do mínimo implantado nos governos anteriores.

Brasil tem um dos salários mais baixos do mundo

O Instituto de Economia e Ciências Sociais da Alemanha analisou o salário mínimo de 37 países por hora trabalhada.

E o resultado é, no mínimo, desanimador.

O Brasil tem um dos mais baixos do mundo, segundo o órgão. Entre os países pesquisados, o país ficou à frente apenas de Rússia e Moldávia.

A Austrália, primeira colocada, tem 9,47 euros por hora como rendimento mínimo.

O valor equivale a R$ 41,84 e, numa jornada de oito horas de trabalho, equivaleria a cerca de R$ 6 mil por mês.

Luxemburgo (9,37 euros/hora), França (9,18) e Holanda (8,79) vêm em seguida na lista.

Até mesmo a Argentina, que vive um grave crise econômica, garante uma remuneração bastante superior à brasileira.

Os “hermanos” oferecem ao trabalhador 4,16 euros por hora como salário mínimo.

O que achou disso?

Deixei sua classificação

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Seja o primeiro a avaliar este post.

Rafael Massadar
Carioca, amante de esportes e de viagens. Escolhi o jornalismo porque ele vive pelo mundo e conta histórias de pessoas e realidades distintas. Tenho experiência em redação e assessoria de imprensa. Atualmente, trabalho numa agência de marketing digital.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Como comprar Euro pelo melhor câmbio? Confira 3 dicas!

Quem está planejando ou com viagem marcada para a Europa sabe como é importante fazer a troca do câmbio por um bom...

Tesouro Selic negativo: qual impacto para os investimentos?

A vida de quem investe em renda fixa não está nada fácil neste ano. A poupança perde para a inflação e o...

Saiba como evitar golpes com o cadastro do Pix

O Pix, novo modelo de pagamento instantâneo, mal começou o cadastramento e já tem golpistas se aproveitando para roubar dados de clientes...

Cobrança de tarifas bancárias indevidas: como agir?

O Banco Central e o Conselho Monetário Nacional estabeleceram, em 2010, que bancos não poderiam cobrar tarifas bancárias por alguns serviços essenciais....

Nubank x C6: compare os cartões de crédito

A procura por cartões de crédito dos bancos digitais tem crescido cada vez mais, principalmente porque muitos não cobram anuidade. E opção...

Como trabalhar na Loggi? Confira todos os detalhes

O número de compras pela internet cresceu durante a pandemia em 81% no mês de abril, em relação ao mesmo período do...