Mais
    InícioNotíciasEconomia4 dicas para as famílias brasileiras driblarem os efeitos da inflação

    4 dicas para as famílias brasileiras driblarem os efeitos da inflação

    5
    (1)

    Diariamente os jornais noticiam sobre como está a inflação no Brasil. Essas oscilações nos preços provocam mudanças significativas no orçamento familiar de muitos brasileiros. Por isso, saber como agir e como driblar os efeitos da inflação é fundamental para minimizar os impactos causados por ela.

    Publicidade

    Produtos farmacêuticos, higiene pessoal, passagens aéreas e o combustível, por exemplo, foram os itens que mais apresentaram aumento no mês de maio, segundo informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    Apesar do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15), que é baseado na pesquisa de preços nas regiões metropolitanas (entre 14 de abril a 13 de maio) ter subido 0,59%, valor bem abaixo do registrado em abril (1,73%), o aumento foi acima do esperado pelo mercado financeiro.

    Para a educadora financeira e especialista em finanças pessoais, Aline Soaper, os constantes aumentos, mesmo com uma ligeira melhora em maio, contribuem com a diminuição do poder de compra e o padrão de vida dos brasileiros.

    Foi de olho na dificuldade de muitos brasileiros em organizar, poupar e investir o seu dinheiro, que Aline criou o Instituto Soaper. A organização oferece cursos 100% on-lines voltados para educação financeira e, desde 2018, já formou mais de seis mil consultores de finanças pessoais.

    Diante desse cenário, a educadora Aline separou dicas para quem deseja driblar os efeitos da inflação. Vamos lá conferir?

    Publicidade

    + Inflação pessoal é diferente da inflação oficial. Entenda como calcular!

    Dicas para conseguir driblar os efeitos da inflação

    1 – Faça uma pesquisa de preços

    A primeira dica e uma das mais essenciais é: em tempos de inflação alta, pesquisar preço é fundamental! Além disso, se possível, anote também sobre o valor do produto em determinado mês que você pesquisou.

    “A pesquisa de preços, por parte dos consumidores, deve ser constante. Observar a variação de preços dos remédios e itens de higiene pessoal, por exemplo, é fundamental para evitar gastos. Assim como observar quais os postos de combustível que oferecem os melhores preços. No caso das passagens aéreas, verificar os preços em diferentes companhias e buscar promoções, em datas específicas é uma boa saída”, explica a educadora financeira.

    + Como comprar passagens aéreas baratas: 6 melhores dicas!

    2 – Substitua alguns produtos e serviços

    De acordo com a educadora financeira, conseguir trocar produtos que aumentaram muito o preço por um que apresente valor menor é uma ótima opção para economizar nos gastos.

    Isso vale para todos os itens: desde higiene pessoal, produtos farmacêuticos até passagens aéreas.

    Publicidade

    “Quando o assunto são as passagens aéreas, é uma boa solução recorrer aos ônibus interestaduais. Se as distâncias não forem tão longas, vale demorar um pouco mais de tempo para chegar ao destino, em troca de uma boa economia”, explica a educadora.

    3 – Busque outras alternativas para economizar no combustível

    Os maiores aumentos este ano estão relacionados aos combustíveis. A educadora financeira indica aos consumidores buscar formas de reduzir o gasto por meio de alternativas mais econômicas, como o transporte público, a carona com colegas de trabalho e até mesmo a troca de carro pela bicicleta em pequenos percursos.

    “Pesquisar preços diferentes em postos da mesma cidade também é uma opção, mas como a alta do preço é geral, é difícil encontrar uma grande vantagem”.

    mulher dirigindo um carro e indo dar carona aos colegas do trabalho para driblar os efeitos da inflação
    Maiores aumentos este ano foram nos combustíveis. Veja aqui como driblar os efeitos da inflação e economizar

    + Como funciona a dinâmica de preço do combustível no Brasil? Entenda!

    4 – Controle os seus gastos semanais e mensais

    Se você não acompanhar os seus gastos, você pode estar “perdendo” dinheiro. Isso porque é preciso ter um controle de tudo que entra e sai do seu orçamento pessoal e familiar.

    Publicidade

    A dica aqui é: faça esse controle por semana. Dessa maneira, você consegue acompanhar o quanto gastou no supermercado ou na farmácia, por exemplo. Além disso, com os gastos anotados, você consegue fazer a comparação com as semanas anteriores e as que virão.

    Se você notou um aumento nos gastos, então é hora de rever se os produtos podem ser substituídos, o que dá para ser cortado ou não.

    Inflação: veja os 12 produtos que mais subiram de preço

    Antes de falarmos sobre a lista dos produtos que subiram de preço, é preciso entender o que pode ter levado a tantos aumentos constantes. 

    O principal vilão desse sobe e desce nos principais produtos consumidos pelos brasileiros é a inflação. Sim, a temida inflação chegou a 12,03% em um ano, que é medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

    Essa alta se deu pelos aumentos constantes dos preços de alguns produtos, como os combustíveis, o gás de cozinha, a luz e até mesmo alguns alimentos que estão inclusos na cesta básica.

    Ficou curioso e quer saber quais foram os produtos ou serviços que mais subiram de preço até março desde ano? A lista é bem variada e é provável que muitos itens você já tenha reparado que eles subiram de preço. Confira!

    1. Cenoura – ficou 195% mais caro;
    2. Tomate – ficou 117,48% mais caro;
    3. Abobrinha – ficou 86,83% mais caro;
    4. Café moído – ficou 65,09% mais cara;
    5. Melão  – ficou 63,26% mais cara;
    6. Repolho – ficou 59,38% mais caro;
    7. Melancia – ficou 52,64% mais caro;

    + Veja aqui os outros produtos que mais subiram de preço com a inflação

    Saiba mais sobre o Instituto Soaper

    Criado em meados de 2018, o Instituto Soaper de Treinamentos de Desenvolvimento Profissional e Pessoal (Efinc) nasceu do desejo da sua fundadora, Aline Soaper, de ajudar a transformar a vida profissional, pessoal e financeira dos brasileiros.

    Com sede no Rio de Janeiro e atuação 100% digital para o Brasil e o mundo, o Instituto se especializa na formação profissional e capacitação de educadores financeiros e consultores de negócios.

    Atualmente, o Instituto Soaper conta com mais de 30 colaboradores, em mais de 7 estados e até consultores em Portugal. Com cursos básicos de formação financeira e especializações avançadas para diferentes nichos de mercado, o Efinc já formou mais de 6 mil educadores financeiros até o momento.

    Além da formação em “Coach Financeiro – Fincoach” e “Analista Comportamental – Mapper”, a Efinc também oferece a especialização “EfincKids”, para educadores financeiros de crianças e adolescentes.

    Já nos cursos de pós-graduação, a instituição prepara o aluno para orientar e mentorear pessoas que querem sair das dívidas, ter um planejamento financeiro, aprender a organizar as finanças pessoais e empresariais, investir, entre outros objetivos.

    O que achou disso?

    Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?

    Redação
    Redação
    O FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde 2003, publicamos conteúdos que buscam traduzir desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa. Nossa missão é mostrar que qualquer pessoa pode ter controle financeiro e fazer as escolhas certas. Assim como ter no dinheiro um aliado para viver bem e conquistar seus sonhos.

    Artigos Relacionados

    Assine nossa newsletter!

    Páginas Populares

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    InícioNotíciasEconomia4 dicas para as famílias brasileiras driblarem os efeitos da inflação

    4 dicas para as famílias brasileiras driblarem os efeitos da inflação

    5
    (1)

    Diariamente os jornais noticiam sobre como está a inflação no Brasil. Essas oscilações nos preços provocam mudanças significativas no orçamento familiar de muitos brasileiros. Por isso, saber como agir e como driblar os efeitos da inflação é fundamental para minimizar os impactos causados por ela.

    Publicidade

    Produtos farmacêuticos, higiene pessoal, passagens aéreas e o combustível, por exemplo, foram os itens que mais apresentaram aumento no mês de maio, segundo informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    Apesar do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15), que é baseado na pesquisa de preços nas regiões metropolitanas (entre 14 de abril a 13 de maio) ter subido 0,59%, valor bem abaixo do registrado em abril (1,73%), o aumento foi acima do esperado pelo mercado financeiro.

    Para a educadora financeira e especialista em finanças pessoais, Aline Soaper, os constantes aumentos, mesmo com uma ligeira melhora em maio, contribuem com a diminuição do poder de compra e o padrão de vida dos brasileiros.

    Foi de olho na dificuldade de muitos brasileiros em organizar, poupar e investir o seu dinheiro, que Aline criou o Instituto Soaper. A organização oferece cursos 100% on-lines voltados para educação financeira e, desde 2018, já formou mais de seis mil consultores de finanças pessoais.

    Diante desse cenário, a educadora Aline separou dicas para quem deseja driblar os efeitos da inflação. Vamos lá conferir?

    Publicidade

    + Inflação pessoal é diferente da inflação oficial. Entenda como calcular!

    Dicas para conseguir driblar os efeitos da inflação

    1 – Faça uma pesquisa de preços

    A primeira dica e uma das mais essenciais é: em tempos de inflação alta, pesquisar preço é fundamental! Além disso, se possível, anote também sobre o valor do produto em determinado mês que você pesquisou.

    “A pesquisa de preços, por parte dos consumidores, deve ser constante. Observar a variação de preços dos remédios e itens de higiene pessoal, por exemplo, é fundamental para evitar gastos. Assim como observar quais os postos de combustível que oferecem os melhores preços. No caso das passagens aéreas, verificar os preços em diferentes companhias e buscar promoções, em datas específicas é uma boa saída”, explica a educadora financeira.

    + Como comprar passagens aéreas baratas: 6 melhores dicas!

    2 – Substitua alguns produtos e serviços

    De acordo com a educadora financeira, conseguir trocar produtos que aumentaram muito o preço por um que apresente valor menor é uma ótima opção para economizar nos gastos.

    Isso vale para todos os itens: desde higiene pessoal, produtos farmacêuticos até passagens aéreas.

    Publicidade

    “Quando o assunto são as passagens aéreas, é uma boa solução recorrer aos ônibus interestaduais. Se as distâncias não forem tão longas, vale demorar um pouco mais de tempo para chegar ao destino, em troca de uma boa economia”, explica a educadora.

    3 – Busque outras alternativas para economizar no combustível

    Os maiores aumentos este ano estão relacionados aos combustíveis. A educadora financeira indica aos consumidores buscar formas de reduzir o gasto por meio de alternativas mais econômicas, como o transporte público, a carona com colegas de trabalho e até mesmo a troca de carro pela bicicleta em pequenos percursos.

    “Pesquisar preços diferentes em postos da mesma cidade também é uma opção, mas como a alta do preço é geral, é difícil encontrar uma grande vantagem”.

    mulher dirigindo um carro e indo dar carona aos colegas do trabalho para driblar os efeitos da inflação
    Maiores aumentos este ano foram nos combustíveis. Veja aqui como driblar os efeitos da inflação e economizar

    + Como funciona a dinâmica de preço do combustível no Brasil? Entenda!

    4 – Controle os seus gastos semanais e mensais

    Se você não acompanhar os seus gastos, você pode estar “perdendo” dinheiro. Isso porque é preciso ter um controle de tudo que entra e sai do seu orçamento pessoal e familiar.

    Publicidade

    A dica aqui é: faça esse controle por semana. Dessa maneira, você consegue acompanhar o quanto gastou no supermercado ou na farmácia, por exemplo. Além disso, com os gastos anotados, você consegue fazer a comparação com as semanas anteriores e as que virão.

    Se você notou um aumento nos gastos, então é hora de rever se os produtos podem ser substituídos, o que dá para ser cortado ou não.

    Inflação: veja os 12 produtos que mais subiram de preço

    Antes de falarmos sobre a lista dos produtos que subiram de preço, é preciso entender o que pode ter levado a tantos aumentos constantes. 

    O principal vilão desse sobe e desce nos principais produtos consumidos pelos brasileiros é a inflação. Sim, a temida inflação chegou a 12,03% em um ano, que é medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

    Essa alta se deu pelos aumentos constantes dos preços de alguns produtos, como os combustíveis, o gás de cozinha, a luz e até mesmo alguns alimentos que estão inclusos na cesta básica.

    Ficou curioso e quer saber quais foram os produtos ou serviços que mais subiram de preço até março desde ano? A lista é bem variada e é provável que muitos itens você já tenha reparado que eles subiram de preço. Confira!

    1. Cenoura – ficou 195% mais caro;
    2. Tomate – ficou 117,48% mais caro;
    3. Abobrinha – ficou 86,83% mais caro;
    4. Café moído – ficou 65,09% mais cara;
    5. Melão  – ficou 63,26% mais cara;
    6. Repolho – ficou 59,38% mais caro;
    7. Melancia – ficou 52,64% mais caro;

    + Veja aqui os outros produtos que mais subiram de preço com a inflação

    Saiba mais sobre o Instituto Soaper

    Criado em meados de 2018, o Instituto Soaper de Treinamentos de Desenvolvimento Profissional e Pessoal (Efinc) nasceu do desejo da sua fundadora, Aline Soaper, de ajudar a transformar a vida profissional, pessoal e financeira dos brasileiros.

    Com sede no Rio de Janeiro e atuação 100% digital para o Brasil e o mundo, o Instituto se especializa na formação profissional e capacitação de educadores financeiros e consultores de negócios.

    Atualmente, o Instituto Soaper conta com mais de 30 colaboradores, em mais de 7 estados e até consultores em Portugal. Com cursos básicos de formação financeira e especializações avançadas para diferentes nichos de mercado, o Efinc já formou mais de 6 mil educadores financeiros até o momento.

    Além da formação em “Coach Financeiro – Fincoach” e “Analista Comportamental – Mapper”, a Efinc também oferece a especialização “EfincKids”, para educadores financeiros de crianças e adolescentes.

    Já nos cursos de pós-graduação, a instituição prepara o aluno para orientar e mentorear pessoas que querem sair das dívidas, ter um planejamento financeiro, aprender a organizar as finanças pessoais e empresariais, investir, entre outros objetivos.

    O que achou disso?

    Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?