Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

5 motivos para evitar parcelar compras no cartão de crédito

Escrito por: Bruna Somma em 10 de setembro de 2019

As compras no cartão de crédito trazem a satisfação de adquirir um produto ou serviço, mesmo sem dinheiro no momento.

O problema é que, na falta de controle financeiro, as parcelas podem acumular e a situação virar uma bola de neve.

De acordo com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção do Crédito (SPC Brasil), em março deste ano, mais de metade dos brasileiros adultos (53%) tinha alguma compra parcelada.

Isso significa que cerca de 82 milhões de brasileiros estavam com parte do orçamento comprometido com as parcelas.

A mesma pesquisa apontou que 13% dos entrevistados não consideram necessário fazer uma análise antes de contratar uma modalidade de crédito.

Mais de 34% sempre preferem parcelar pelo maior número de meses. Entretanto, apenas nos casos em que não há cobrança de juros.  

Estourar o limite do cartão de crédito
O cartão de crédito pode ser uma armadilha para endividamentos

A recomendação geral dos especialistas é que o valor das parcelas em um mês não seja superior a 30% da renda líquida familiar.

No entanto, o ideal é sempre ter o menor percentual possível.

A boa notícia é que 60% dos consumidores disseram evitar compras via crédito nos últimos meses. Por exemplo, os principais motivos foram:

– Receio de extrapolar o limite do orçamento;
– Verba comprometida com outros compromissos financeiros;
– Contas em atraso.

A seguir, confira cinco motivos para evitar parcelar compras no cartão de crédito.

Parcelamento é sinônimo de juros

Na maioria das vezes, as compras no cartão de crédito estão atreladas aos juros.

Se você, por exemplo, deixar de pagar parcelas de R$200 por um ano, o valor passará para mais de R$800 pela taxa de juros.

É possível também que os comerciantes embutam o valor da taxa na compra. Dessa forma, você paga até mais do que produto vale pelo simples fato de parcelar.

Neste ano, o juro médio do cartão de crédito rotativo para pessoas físicas subiu 285%.

As taxas de juros, portanto, são bons motivos para você repensar a compra parcelada.

Uma solução pode ser juntar dinheiro ou aplicar uma quantia até chegar ao valor esperado.

Ao invés de parcelar R$2 mil em diversas vezes, que tal juntar esse dinheiro ou fazer um investimento de curto prazo?

Você ainda terá um bônus de pagar à vista e negociar um desconto. Por outro lado, caso seja muito necessário parcelar as compras, dê preferência pelo crediário sem juros.

Risco de comprar por impulso

No levantamento da CNDL e do SPC Brasil, seis a cada dez brasileiros admitiram ter feito alguma compra por impulso. Sobretudo pelas facilidades do crediário.

É comum que as pessoas olhem um produto na vitrine e percebam que não cabe no orçamento mensal. A partir disso, podem optar por três opções.

São elas: deixar a vontade passar, juntar o dinheiro ou dividir no cartão de crédito.

Se você se encaixa na terceira alternativa, por sua vez, tem grande tendência a comprar por impulso.

O que é prejudicial as finanças e capaz de espremer ainda mais seu orçamento por mês. Dessa maneira, antes de pensar, pense se vale a pena ou se é realmente necessário.

Compras no cartão de crédito geram descontrole

As pessoas que compram por impulso e no cartão de crédito tendem a ter descontrole. É preciso, no entanto, entender que usar o cartão não pode ser uma extensão do seu salário.

Parcelar as compras também não deve ser uma solução para a satisfação ou para desestressar um dia de trabalho.

Ao comprar no cartão de crédito, dessa forma, não esqueça dos outros parcelamentos que você já fez. Tenha maior controle sobre suas finanças.

Faça uma planilha, por exemplo, e estabeleça as despesas prioritárias e quanto poderá gastar com itens supérfluos.  

Limite do cartão de crédito comprometido

Ao fazer uma compra grande no cartão de crédito, você terá seu limite comprometido.

Não são as parcelas que contabilizam o limite, mas, sim o valor total das compras.

Esse teto de gastos só é liberado conforme as parcelas são quitadas.  

Portanto, para não ficar com o limite comprometido ou estourar esse valor, a dica é evitar as compras parceladas.

Fatura do cartão de crédito alta

A estratégia de parcelar todas as compras no cartão de crédito pode não funcionar sempre. Uma vez que a futura virá alta e, talvez, não caiba no seu orçamento mensal.

Ao pagar esse valor, você corre o risco de não conseguir pagar as demais despesas do mês.

Uma solução encontrada por muitos é pendurar mais gastos no cartão de crédito.

Ou seja, vira uma perigosa bola de neve, ao qual se deve ter muito cuidado.

Compras à vista são sempre a melhor opção. Não esqueça!

Bruna Somma

Jornalista formada pela UFRRJ, com passagens por redações de jornais, sites e Assessoria de Comunicação.

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

financiamento estudantil
Nubank lança cartão de débito - Cartão de débito Nubank
dívidas
organizar-as-finanças-depois-das-férias
taxa-de-administração-do-consórcio