Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Estourei o cartão de crédito, e agora?

Escrito por: Bruna Somma em 5 de julho de 2019

“Boa tarde, aqui é do banco. Seu cartão de crédito estourou, podemos negociar a dívida?”. Alguma vez você já recebeu essa ligação? Se sim, sabe como é ter o limite do cartão estourado.

Ir ao shopping e comprar muitos itens ou usar essa forma de pagamento para cobrir as despesas do mês são dois exemplos práticos de como estourar o cartão.

Estourar o limite do cartão de crédito
Estourar o limite do cartão de crédito pode ser uma armadilha para endividamentos

Mesmo se isso acontecer, é preciso manter a calma pois existe solução. O primeiro passo é conhecer o limite do seu cartão e ter um planejamento para não o atingir por completo.

De acordo com pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), 34% dos entrevistados que possuem cartão de crédito não sabem qual o limite para compras. Entre os que sabem, o limite médio é de R$1.401.

Esse número aumenta entre as mulheres (47%) e as pessoas que não possuem renda própria (77%). Ter um cartão de crédito estourado é sinônimo de má disciplina financeira.

A recomendação é se planejar para não ultrapassar seu limite. Afinal, as dívidas no crédito entram em um espiral de juros altos.

Alguns bancos e operadoras chegam a cobrar até 15% de juros por mês. Isto é, mais que o dobro da inflação acumulada.

Portanto, estourar o limite do cartão pode ser um gatilho para se afogar em dívidas. Tente sempre manter a calma para planejar seus gastos.

Para te ajudar a sair do vermelho no cartão de crédito, listamos algumas dicas. Confira a seguir:

Opte por usar dinheiro em suas compras

A regra se você estourou o limite do seu cartão é: pare de comprar com ele. Dê preferência em usar dinheiro, assim o risco é menor de se endividar no futuro.

Entenda que o cartão de crédito se assemelha a um empréstimo. Ou seja, também cobra juros, mas ilude com a impressão de ter dinheiro.

Outra dica ao chegar no limite do cartão é fazer o pagamento da dívida integral. Não efetue os pagamentos mínimos ou faça o parcelamento da fatura. Isso porque os juros são muito altos.

Suponhamos que você deva R$100 na fatura do cartão e deixou para quitar no próximo mês.

Se o banco aplicar taxa de juros mensais de 15%, por exemplo, no mês seguinte, sua dívida será de R$115.

E assim sucessivamente. É como uma bola de neve difícil de controlar.

Não faça empréstimos para quitar a dívida

Muitas pessoas fazem um empréstimo para conseguir pagar a dívida com o cartão de crédito. Mas, pense bem, você se livra de um problema e ganha outro.

Afinal, tem que pagar o dinheiro do mesmo jeito. Se o cartão for usado novamente e tiver o limite estourado, do que valerá o empréstimo? Será preciso quitar mais uma dívida.

O ideal é juntar dinheiro e ter uma reserva de emergência. Uma dica também é conseguir maneiras criativas para ter uma renda extra.

Assim, será possível cobrir as despesas e dívidas sem preocupações.

Não peça um novo cartão de crédito

Não caia na falácia de ter um cartão de crédito estourado e pedir um novo. Ou ainda de continuar comprando muitos itens, sem responsabilidade financeira.

Para a pessoa que já estourou o limite de um cartão, não é preciso muito para que estoure de outro.

Para fazer o limite de cartão, banco realiza um estudo de crédito para saber o valor que estaria dentro das possibilidades do usuário.

O que inclui, por exemplo, a capacidade de pagar dívidas e entender o limite como o teto máximo de gastos.

Ultrapassar essa barreira não pode ser considerado um deslize ou descuido.

Anote os gastos e faça um planejamento financeiro

O segredo para não estourar o limite do cartão do crédito é planejamento. Por isso, comece a anotar todos os seus gastos. Dessa forma, saberá em que parte está gastando mais.

E, assim, identificar onde pode cortar as despesas ou gastos supérfluos. O dinheiro para pagar o cartão deve estar entre suas prioridades. Deixe uma parte segura do orçamento para cobrir esse valor.

Caso não sobre muito, busque pagar o máximo possível. A lógica é: quanto menos você parcelar, melhor será sua saúde financeira.

Tenha sempre uma prevenção. Da próxima vez que for usar o cartão de crédito, avalie se realmente precisa da compra.

Ou ainda se fazer o pagamento à crédito é melhor do que usar o dinheiro ou o débito.

Aprenda a gerenciar seu orçamento. Assim, quem sabe não sobre até dinheiro para fazer investimentos?

Bruna Somma

Jornalista formada pela UFRRJ, com passagens por redações de jornais, sites e Assessoria de Comunicação.

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

dívidas
Jovens com nome sujo
Plano de saúde com coparticipação
nome sujo
Estourar o limite do cartão de crédito