Conversor de moedas Transferência internacional

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Alimentação é o principal gasto do brasileiro, diz estudo

Escrito por: Mateus Carvalho em 9 de outubro de 2018

Você já parou para pensar quanto gasta com comida por mês? Com o que você mais gasta o seu salário? De acordo com uma pesquisa realizada pela empresa Multibenefícios, unidade de negócios do GPA, a alimentação é o principal gasto do brasileiro, e ele até considera o adiantamento do salário para isso.

O estudo mostrou que 80% dos trabalhadores investem somente em alimentos, enquanto 19% compram eletrodomésticos, bebidas, vestuários, dentre outros. Já 1% da população realiza compras pela internet. Esse percentual é relacionado às pessoas que utilizam créditos salariais antecipados.

Outra informação obtida pelo levantamento é que 71% dos brasileiros que mais recorrem ao adiantamento financeiro acabam sendo os responsáveis pela manutenção da casa, além de ganharem de um a cinco salários mínimos.

Alimentação é o principal gasto do brasileiro
(Gráfico: Multibenefícios)

“Pela análise que fizemos, essas pessoas são, em geral, chefes de família. Com a crise econômica, o aumento no custo de vida e a dificuldade de planejamento financeiro que o brasileiro culturalmente tem, a organização das contas da família ficou mais complicada”, explica Sheila Moura, gerente geral de Multibenefícios.

Dados refletem comportamento anual

É importante frisar que todos os dados da pesquisa estão refletindo o comportamento anual. Ou seja, eles têm como base de comparação os primeiros semestres dos anos de 2017 e 2018. Outro ponto que a pesquisa revelou é que a população com renda mensal de até um salário e meio tende a recorrer ao crédito extra.

Isso ocorre porque as pessoas querem aproveitar as grandes promoções. Um exemplo são os saldões que as lojas fazem em janeiro e até mesmo na Black Friday, que se aproxima.

“Períodos como a Black Friday costumam trazer oportunidades de compra de itens de desejo como celulares, videogames e bebidas com preços tentadores. Em geral, são pessoas que não são inteiramente responsáveis pelo sustento familiar, estão no primeiro emprego ou gastam o dinheiro apenas com elas”, completa Sheila.

Pesquisa ajuda a traçar motivo das dívidas das famílias brasileiras

Com a pesquisa realizada pela Multibenefícios foi possível traçar um panorama para que as empresas se mantenham atentas à saúde financeira dos seus funcionários. Isso porque de acordo com dados divulgados pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a média de famílias endividadas no Brasil era de 58,6%. Os dados são referentes ao mês de junho deste ano.

Os dados ainda apontaram que destas, 73,3% estão comprometidas com o cartão de crédito. Mas o que pode influenciar para que o número de brasileiros endividados seja grande? A falta de educação financeira ainda é um fator preponderante neste cenário.

Se a alimentação é o principal gasto do brasileiro, as dívidas com esse setor têm consequências maiores. Além disso, as contas em atraso têm um impacto direto na produção e na performance dos trabalhadores.

“É humanamente impossível concentrar-se em suas tarefas diárias quando há credores e preocupações constantes com dívidas”, explica Sheila.

Empresas podem ajudar trabalhadores a saírem das dívidas

De acordo com a executiva, as empresas não podem impedir que os funcionários façam dívidas. Porém podem ajudá-los a sair delas. Ela explica que os cartões de crédito costumam oferecer taxas altas de juros além de limites que são incompatíveis com a renda familiar das pessoas.

Com isso, a instituição pode, e deve, se apresentar como parceira dos funcionários nesse momento. Ela cita como exemplo o Multicheque, que é um meio de pagamento para adiantamento salarial. “Funciona dentro do limite estabelecido pela empresa, para que o empregado não gaste mais do que pode, e não tem juros para ele.”

A especialista ainda explica que essa é uma fonte segura e confiável de crédito e é diferente do consignado por não ter cobranças de juros. Além disso, existem ferramentas que podem ajudar a liquidar as dívidas, como já foi citado anteriormente. Porém, a educação financeira e o direcionamento são o diferencial das empresas que cuidam dos trabalhadores.

“Há programas de saúde, bem-estar, educação para línguas e vários outros benefícios oferecidos por empresas brasileiras hoje. Por que não investir na educação financeira do nosso colaborador? Isso terá impactos ao longo da sua vida e será benéfico para a própria empresa.”

Quer economizar com alimentação? Veja dicas

Que a alimentação é o principal gasto do brasileiro você já sabe, mas será que é possível economizar nesse quesito? A resposta é sim, e economizar com alimentação pode gerar um alívio no seu bolso no fim do mês. Isso porque mesmo com a inflação estabilizada, esse tipo de gasto continua pesando, e muito, no orçamento.

O motivo muitas vezes é simples: as famílias conseguem manter os gastos com as contas básicas da casa em ordem. Porém, acabam saindo da linha quando o assunto é a alimentação. Para muita gente, comer fora de casa todos os dias é parte da rotina. Quer saber como economizar na alimentação? Veja algumas dicas.

Mateus Carvalho

Jornalista formado pela Unicarioca. Atualmente, repórter da Folha Dirigida e produtor de conteúdo no FinanceOne. Já fui colaborador do Torcedores.com.

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

fraude
Brasil e Chile
crise
Economia da América latina
Trabalhadores da indústria temem perder empregos para robôs