Cursos que transformam sua vida financeira
Mais
    InícioNotíciasEconomiaQuem trabalha de carteira assinada pode receber Auxílio Brasil? Entenda!

    Quem trabalha de carteira assinada pode receber Auxílio Brasil? Entenda!

    4
    (4)

    Existe por aí uma ideia falsa de que quem trabalha com carteira assinada não pode receber Auxílio Brasil. Porém, não é bem assim que as coisas funcionam. 

    Publicidade

    “Eu escutava que se arrumasse um emprego o Auxílio Brasil era cortado. Fiquei preocupada, mas descobri que, mesmo trabalhando de carteira assinada, não iam cortar o meu auxílio”, conta a brasiliense Sônia, de 40 anos, personagem de um dos vídeos da campanha institucional sobre o programa do Governo Federal.

    E ela está certa. Mesmo quem é celetista pode continuar como beneficiário do programa. Isso é possível graças a um mecanismo chamado de Regra de Emancipação. 

    Quer entender como isso funciona? Então continue lendo o artigo!

    Como funciona a Regra de Emancipação no Auxílio Brasil?

    O Auxílio Brasil é um programa que dá auxílio financeiro para famílias com renda mensal de até R$210 por pessoa, certo? Mas o que acontece se essa família tem um aumento de renda?

    Muitos pensam que nesse tipo de situação a pessoa é automaticamente cortada do programa, mas não necessariamente. 

    Publicidade

    A Regra de Emancipação prevê que o beneficiário que tem aumento de renda seguirá recebendo o valor a que tem direito no programa por até dois anos, desde que a renda familiar mensal por pessoa não supere em duas vezes e meia os R$210 da linha de pobreza. Ou seja, um limite de R$525 por pessoa.

    Essa família passará a ser chamada de “família em emancipação”. Isso, teoricamente, significa que ela está trilhando o caminho para não depender mais do auxílio do governo, mas não deixará de ser amparada subitamente.

    Mas é necessário que essa família ainda esteja no limite de renda de R$525 por pessoa. Se o aumento da renda ultrapassar essa linha, ela será cortada do programa.

    Importante: caso a renda dessa família seja exclusivamente de pensão, aposentadoria, benefícios previdenciários permanentes pagos pelo setor público ou do Benefício de Prestação Continuada (BPC), o tempo máximo de permanência na regra será de 12 meses (um ano).

    Como conciliar o trabalho de carteira assinada com Auxílio Brasil?

    A regra básica para receber a transferência de renda do Governo Federal é que a família tenha renda mensal de até R$210 por pessoa. 

    Publicidade

    Se um beneficiário conquista um emprego formal e ultrapassa essa linha, mas se mantém no limite de R$525, ele entra na Regra de Emancipação e pode conciliar o trabalho de carteira assinada com o Auxílio Brasil. 

    Essa família permanecerá recebendo o benefício por até dois anos ou enquanto estiver dentro do limite de renda da regra. E caso ela volte para a linha de pobreza, se manterá no programa.

    É importante destacar que não é necessário fazer nenhum tipo de requerimento ou inscrição para ser uma família em emancipação. Basta manter os dados no CadÚnico sempre atualizados e, automaticamente, será enquadrada nessa situação.

    Se a família deixar de receber o Auxílio Brasil por vontade própria ou se precisar voltar para o programa depois que a Regra de Emancipação já tiver terminado, ela poderá. E ainda terá prioridade em relação a outros que nunca receberam o benefício.

    Ou seja, não precisará enfrentar a fila, desde que volte a atender aos requisitos de elegibilidade.

    Publicidade

    + Quem é solteiro e não tem filhos pode receber Auxílio Brasil? Entenda!

    celular com alagumas notas de cem reais por baixo
    Beneficiários do Auxílio Brasil têm direito a mínimo de R$400 (Fonte: Divulgação)

    Programa tem parcela mínima de R$400

    Os beneficiários do Auxílio Brasil recebem parcelas mensais de, pelo menos, R$400. Dependendo do perfil familiar, como número de filhos e situação escolar, é possível receber um valor maior. 

    Têm direito ao programa as famílias:

    • com renda mensal per capita (por pessoa) de até R$210 mensais 
    • que tenham, em sua composição: gestantes, mães que amamentam ou crianças/ jovens de 0 a 21 anos.

    No caso de jovens com idade entre 18 e 21 anos, é preciso que eles estejam matriculados no ensino básico para ter direito.

    O cidadão pode consultar se tem direito ligando para o telefone 121, do Ministério da Cidadania, ou na Central de atendimento da Caixa, pelo telefone 111.

    Para receber o benefício, é necessário que a família esteja inscrita no CadÚnico. Os pagamentos são realizados de acordo com número do final do NIS do beneficiário:

    FINAL DO NISJUNJULAGOSETOUTNOVDEZ
    117181819181712
    220191920191813
    321202221202114
    422212322212215
    523222423242316
    624252526252419
    727262627262520
    828272928272821
    929283029282922
    030293130313023

    O beneficiário pode sacar em até 120 dias.

    O conteúdo foi útil? Então compartilhe e leia também: veja 27 perguntas e respostas sobre o programa!

    O que achou disso?

    Média da classificação 4 / 5. Número de votos: 4

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?

    Tamires Silva
    Tamires Silva
    Jornalista e Redatora do FinanceOne, onde suas finanças começam.

    Artigos Relacionados

    Assine nossa newsletter!

    Páginas Populares

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    InícioNotíciasEconomiaQuem trabalha de carteira assinada pode receber Auxílio Brasil? Entenda!

    Quem trabalha de carteira assinada pode receber Auxílio Brasil? Entenda!

    4
    (4)

    Existe por aí uma ideia falsa de que quem trabalha com carteira assinada não pode receber Auxílio Brasil. Porém, não é bem assim que as coisas funcionam. 

    Publicidade

    “Eu escutava que se arrumasse um emprego o Auxílio Brasil era cortado. Fiquei preocupada, mas descobri que, mesmo trabalhando de carteira assinada, não iam cortar o meu auxílio”, conta a brasiliense Sônia, de 40 anos, personagem de um dos vídeos da campanha institucional sobre o programa do Governo Federal.

    E ela está certa. Mesmo quem é celetista pode continuar como beneficiário do programa. Isso é possível graças a um mecanismo chamado de Regra de Emancipação. 

    Quer entender como isso funciona? Então continue lendo o artigo!

    Como funciona a Regra de Emancipação no Auxílio Brasil?

    O Auxílio Brasil é um programa que dá auxílio financeiro para famílias com renda mensal de até R$210 por pessoa, certo? Mas o que acontece se essa família tem um aumento de renda?

    Muitos pensam que nesse tipo de situação a pessoa é automaticamente cortada do programa, mas não necessariamente. 

    Publicidade

    A Regra de Emancipação prevê que o beneficiário que tem aumento de renda seguirá recebendo o valor a que tem direito no programa por até dois anos, desde que a renda familiar mensal por pessoa não supere em duas vezes e meia os R$210 da linha de pobreza. Ou seja, um limite de R$525 por pessoa.

    Essa família passará a ser chamada de “família em emancipação”. Isso, teoricamente, significa que ela está trilhando o caminho para não depender mais do auxílio do governo, mas não deixará de ser amparada subitamente.

    Mas é necessário que essa família ainda esteja no limite de renda de R$525 por pessoa. Se o aumento da renda ultrapassar essa linha, ela será cortada do programa.

    Importante: caso a renda dessa família seja exclusivamente de pensão, aposentadoria, benefícios previdenciários permanentes pagos pelo setor público ou do Benefício de Prestação Continuada (BPC), o tempo máximo de permanência na regra será de 12 meses (um ano).

    Como conciliar o trabalho de carteira assinada com Auxílio Brasil?

    A regra básica para receber a transferência de renda do Governo Federal é que a família tenha renda mensal de até R$210 por pessoa. 

    Publicidade

    Se um beneficiário conquista um emprego formal e ultrapassa essa linha, mas se mantém no limite de R$525, ele entra na Regra de Emancipação e pode conciliar o trabalho de carteira assinada com o Auxílio Brasil. 

    Essa família permanecerá recebendo o benefício por até dois anos ou enquanto estiver dentro do limite de renda da regra. E caso ela volte para a linha de pobreza, se manterá no programa.

    É importante destacar que não é necessário fazer nenhum tipo de requerimento ou inscrição para ser uma família em emancipação. Basta manter os dados no CadÚnico sempre atualizados e, automaticamente, será enquadrada nessa situação.

    Se a família deixar de receber o Auxílio Brasil por vontade própria ou se precisar voltar para o programa depois que a Regra de Emancipação já tiver terminado, ela poderá. E ainda terá prioridade em relação a outros que nunca receberam o benefício.

    Ou seja, não precisará enfrentar a fila, desde que volte a atender aos requisitos de elegibilidade.

    Publicidade

    + Quem é solteiro e não tem filhos pode receber Auxílio Brasil? Entenda!

    celular com alagumas notas de cem reais por baixo
    Beneficiários do Auxílio Brasil têm direito a mínimo de R$400 (Fonte: Divulgação)

    Programa tem parcela mínima de R$400

    Os beneficiários do Auxílio Brasil recebem parcelas mensais de, pelo menos, R$400. Dependendo do perfil familiar, como número de filhos e situação escolar, é possível receber um valor maior. 

    Têm direito ao programa as famílias:

    • com renda mensal per capita (por pessoa) de até R$210 mensais 
    • que tenham, em sua composição: gestantes, mães que amamentam ou crianças/ jovens de 0 a 21 anos.

    No caso de jovens com idade entre 18 e 21 anos, é preciso que eles estejam matriculados no ensino básico para ter direito.

    O cidadão pode consultar se tem direito ligando para o telefone 121, do Ministério da Cidadania, ou na Central de atendimento da Caixa, pelo telefone 111.

    Para receber o benefício, é necessário que a família esteja inscrita no CadÚnico. Os pagamentos são realizados de acordo com número do final do NIS do beneficiário:

    FINAL DO NISJUNJULAGOSETOUTNOVDEZ
    117181819181712
    220191920191813
    321202221202114
    422212322212215
    523222423242316
    624252526252419
    727262627262520
    828272928272821
    929283029282922
    030293130313023

    O beneficiário pode sacar em até 120 dias.

    O conteúdo foi útil? Então compartilhe e leia também: veja 27 perguntas e respostas sobre o programa!

    O que achou disso?

    Média da classificação 4 / 5. Número de votos: 4

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?