10 dicas para organizar a vida financeira familiar

Escrito por: Tamires Silva em 23 de dezembro de 2019

Quando se trata da vida financeira familiar, alcançar o sucesso pode ser desafiador. Afinal de contas, são várias pessoas envolvidas em um único orçamento.

Por mais que ele seja composto por várias fontes de renda, é preciso inteligência financeira para manter os itens organizados.

O percentual de famílias endividadas no Brasil aumentou, em novembro de 2019, em relação ao mês anterior, alcançando 65,1%. Ou seja, mais da metade dos lares brasileiros precisam lidar com juros de dívidas.

Também houve alta em relação a novembro de 2018, quando o percentual era de 60,3%. Dos que estão endividados agora, estima-se que 10,2% não terão condições de pagar as contas.

Os dados são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), publicada em novembro de 2019.

Neste cenário, a organização da vida financeira familiar se mostra imprescindível para manter as contas em equilíbrio. Descubra como fazer isso e manter as finanças da família no azul em dez passos!

Vida financeira familiar
Calcular gastos, avaliar dívidas, listar fontes de renda fazem parte do planejamento

Organização financeira começa com planejamento

1. Avalie o cenário

Antes de definir onde quer chegar, é preciso saber onde está. Esse deve ser o raciocínio de quem vai iniciar um planejamento financeiro para a família.

Descubra quanto custam as dívidas; confira as fontes de gastos; quantos cartões de créditos vocês possuem e de quantos realmente precisam. Conseguir entender o cenário é o primeiro passo para definir planos.

2. Liste as fontes de renda

Depois de entender a situação, liste as fontes de renda da sua família. Ela parte de uma única pessoa? Ou vários trabalham?

Isso é importante para, posteriormente, definir qual é a melhor forma de cada um contribuir para um equilíbrio financeiro comum.

3. Mensure despesas

Saber para onde o dinheiro vai é essencial em qualquer planejamento financeiro. Só assim a família pode compreender o que precisa mudar para manter as contas no azul.

Ao listar as despesas, lembre-se de incluir as fixas e não fixas, as variáveis e não variáveis. Tente fazer projeções para os meses seguintes.

4. Metas e sonhos

Um verdadeiro poupador tem metas e sonhos a serem alcançados. Na vida financeira familiar não deve ser diferente.

Dê motivo para o planejamento. Talvez vocês queiram fazer uma viagem juntos ou quitar todas as dívidas para ter um ano mais tranquilo.

5. Todo mundo contribui

É comum que uma única pessoa sustente a casa. No entanto, quando mais de um membro da família possui fonte de renda a distribuição deve ser justa.

Isso é possível com diálogo e organização. O importante é chegar a um acordo que faça sentido e seja justo para todos.

viajar barato com a família
Organização financeira deve incluir reserva de emergência e quitação das dívidas

Ações para organizar a vida financeira familiar

6. Reserva de emergência

Além de pensar nos sonhos e metas, sejam eles supérfluos ou não, é necessário criar uma boa reserva de emergência.

Como o nome já sugere, ela não deve ser usada para absolutamente nada que não seja ‘caso de vida ou morte’, uma verdadeira emergência.

Geralmente, é um dinheiro investido suficiente para cobrir os gastos da família durante alguns meses. Por isso, ela não fica pronta do dia para noite e precisa ser planejada e poupada aos poucos.

+ Tudo o que você precisa saber para montar uma reserva de emergência

7. Negociando dívidas

Se a sua família está endividada, é hora de começar a virar o jogo. Para isso, o primeiro passo é negociar as dívidas e evitar juros.

Muitas empresas oferecem boas ofertas para quem está em atraso. Saiba como negociar e avalie as propostas.

Além de diminuir tempo que será necessário para quitar a dívida, poderá reduzir muito os juros acumulados.

+ Renegociação de dívidas: por onde começar?

8. Reavaliando as despesas

Lembra quando você listou e projetou as despesas da sua família? Bom, agora que vocês já definiram metas e sabem os prazos que vão precisar para pagar as dívidas, é preciso garantir esse dinheiro.

Geralmente, quando fazemos o cálculo ‘quanto preciso de dinheiro x renda atual x tempo’, percebemos que não dá para conseguir o montante necessário.

Portanto, é hora reavaliar as despesas: o que pode sair do orçamento; o que não é necessário; em quais produtos e serviços é possível conseguir desconto.

9. Investimentos

Ao colocar todos esses passos em prática, nem pense em deixar o dinheiro no colchão. Investir é essencial para quem quer uma vida financeira familiar mais estável.

Seja qual for o propósito, tenha em mente que o dinheiro precisa estar sempre trabalhando. Por isso, escolha o investimento mais adequado e comece a fazê-lo render.

+ Como fazer investimentos para o futuro dos filhos

10. Não deixe a peteca cair

Infelizmente, outro problema comum na vida financeira familiar é a falta de comprometimento. Mas todos devem estar dispostos e contribuir para o bem-estar econômico do lar.

Constância é a palavra de ordem para manter as contas no azul. Ou seja, não abandone o planejamento e todos os meses volte para anotar despesas e receitas, além de investir.

Tamires Silva

Jornalista atuando como repórter e produtora de conteúdo. Produz conteúdo para internet desde 2015.

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

Como usar a conta digital e fugir do banco tradicional
Saque do PIS/Pasep
fgts
render seu dinheiro
Como sacar o FGTS