Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Dividendos: quanto ganha o acionista de uma empresa?

Escrito por: Priscila Gomes em 8 de maio de 2019

Para quem não tem muita familiaridade com determinados termos, o FinanceOne pode explicar.

Dividendos são as parcelas do lucro líquido que as companhias dispõem aos acionistas.

Lembrando que qualquer empresa que esteja listada na Bolsa de Valores ou não, tem o objetivo de gerar lucros para seus acionistas.

O tamanho de tais parcelas e seu valor total variam de acordo com alguns fatores. O primeiro deles é o lucro.

Além disso, são considerados a necessidade de investimentos (que pode consumir parte desse lucro), o caixa disponível e os valores mínimos estabelecidos no Estatuto Social da companhia.

Dividendos: quanto ganha o acionista de uma empresa?

Tipos de proventos 

Quando você compra uma ação, consequentemente você se torna um acionista dessa empresa e adquire o benefício de receber parte dos lucros do negócio em questão. 

Uma curiosidade é que além dos dividendos que estamos mencionando, há também outros tipos de proventos.

Juros sobre capital próprio

Para os investidores de dividendos, os juros sobre capital próprio são bastante parecidos.

No entanto, o que difere é a contabilidade da empresa que paga os proventos.

Bonificações

Nas bonificações, o número de ações recebidas pode variar conforme o número de ações que o investidor já alcançou.

Direitos de subscrição

Os direitos de subscrição ocorrem quando as empresas emitem mais ações.

O investidor possui o direito de comprá-las antes do mercado e mantém a mesma proporção das ações.

Em alguns casos, elas têm um valor abaixo do que geralmente é comum.

Por isso, é sempre necessário estar atento e verificar os preços, pois se o mercado estiver com um valor mais em conta não há motivos para você utilizar o direito de sua subscrição.

Entenda por que apenas uma parte dos dividendos é paga

As empresas precisam de capital para que possam expandir, crescer, tornar-se cada vez maior.

Essa é a forma de investimento necessária para que os negócios possam de fato alavancar.

Por isso, dificilmente você encontrará uma que distribua 100% de seus lucros entre os acionistas.

Se porventura fossem distribuídos todos os lucros adquiridos durante um determinado período, seria necessário que a empresa fizesse um empréstimo a um banco de qualquer denominação.

E isso significa que o banco cobraria juros ainda mais altos se comparado aos dos acionistas.

Dividendos: qual o valor?

A empresa é quem definirá o valor que será concedido entre os acionistas.

Tudo funciona de forma bem simples, primeiro será dividido o valor total de ações que o empreendimento possui.

Neste momento, os dividendos por ação são usados para calcular o indicador.

Então, divide-se este valor pelo número total de ações da companhia, encontrando os dividendos por ação, usados para calcular o indicador Dividend Yield.

O Dividend Yield nada mais é do que um índice feito com o intuito de medir a rentabilidade dos dividendos de uma companhia em relação ao valor de suas ações. 

Cada um dos investidores receberão um valor que corresponde ao número de ações realizados por ele.

Dividendos: quanto ganha o acionista de uma empresa?

Como funciona o investimento

Vale lembrar que o pagamento dos dividendos pode ser realizado mensalmente, trimestralmente, semestralmente e até mesmo anualmente.

E, ao longo desse tempo, determinadas instituições podem acabar aumentando os valores de distribuição de seus lucros.

A empresa que paga os dividendos com frequência e regularidade, geralmente possuem um corporativismo mais sólido e concreto, seu fluxo de caixa é mais previsível.

Já as empresas menores, estão em busca de crescimento o que significa que elas precisam investir e expandir com mais agilidade.

A partir do momento que elas se tornam boas pagadoras de investimento, gera-se cada vez mais investidores atraídos em participar dos seus negócios.

Desmistificando conceitos

Já ouviu falar em data de registro, declaração, ex-dividendo e índice de cobertura de dividendos? 

Para poder se beneficiar dos dividendos, é imprescindível que os acionistas entendam como funciona as datas abaixo.

Data de Registro

Nela, as companhias definem quem são os seus acionistas, além de ser determinado quem receberá procurações, relatórios financeiros e outras informações pertinentes ao processo de distribuição dos dividendos.

Essa data precisa estar na contabilidade de toda a organização para que assim os investidores possam receber a sua parcela dos lucros.

Data de Declaração

Os dividendos são anunciados pelo Conselho de Administração nesta data.

Juntamente ao anúncio, são comunicados os seus valores, as datas dos registros e também do pagamento.

Com isso, a empresa passa a ter a obrigação legal de dividir os seus lucros de fato.

Data Ex-Dividendo

Esse dia é destinado para quando os novos acionistas não têm mais direito a receber os dividendos declarados.

Cada um deles é anunciado geralmente dois dias úteis antes da data do registro, mas poderão haver mudanças quando houverem pagamentos que não são feitos em dinheiro.

Índice de Cobertura de Dividendos

Ele é a relação que existe entre o lucro líquido de uma organização e os dividendos que são pagos aos investidores.

Através desse índice, os acionistas podem medir a capacidade que a companhia tem de pagar pelos seus dividendos com uma facilidade maior.

Todo o cálculo é feito por meio da divisão de lucro total pelo valor do dividendo de uma determinada ação.

Priscila Gomes

Jornalista. Gosto de abraços, aniversários e do Natal. Atualmente produzo conteúdo para internet e faço assessoria sindical.

Deixe um comentário

Posts relacionados

FGC
aplicações-isentas-de-IR
Estudar o risco do investimento é importante para não ter prejuízos futuros
Conta digital Neon lança a opção "arrendondar os centavos"