Cursos que transformam sua vida financeira
Mais
    InícioCriptomoedaEthereum: saiba qual a atualização que pode aumentar o preço da moeda

    Ethereum: saiba qual a atualização que pode aumentar o preço da moeda

    5
    (2)

    Uma das atualizações mais aguardadas do Ethereum em 2021 foi concluída com sucesso no bloco 12,965,000. Na manhã do dia 5 de agosto entrou no ar a “Hard Fork London”, que entre as mudanças, a principal é a Proposta de Melhoria do Ethereum 1559 (EIP-1559, na sigla em inglês).

    Publicidade

    Essa atualização trará ainda mudanças significativas, sobretudo no sistema de taxas de transação da Ethereum. Além de também preparar os mineradores da rede para a mudança no protocolo de consenso da moeda que acontecerá, provavelmente, em 2022.

    Este fork está intimamente relacionado ao lançamento da Ethereum 2.0, previsto para ser finalizado em 2022.

    Uma das principais mudanças que a rede sofrerá é justamente esta alteração em seu modelo de protocolo de consenso, do Prova de Trabalho (Proof of Work), para o Prova de Participação (Proof of Stake).

    Este fork veio para auxiliar a comunidade a fazer a transição de maneira segura e gradual, vamos entender melhor o porquê.

    +Illuvium: o que é o novo jogo que vai distribuir Ethereum

    Mas o que é Fork?

    Os forks, também chamados de bifurcações, são exatamente estas atualizações que o código da Ethereum sofreu. Ou seja, toda e qualquer criptomoeda está sujeita a sofrer um fork, sempre em busca de aprimorar o seu código.

    Publicidade

    A partir do momento em que o sistema sofre as alterações, surgem novas possibilidades de códigos, que correspondem às bifurcações. Contudo, existem dois tipos de forks, os “softs” e os “hards”.

    O primeiro são alterações mais sutis e leves, não sendo necessário paralisar a cripto para que a atualização aconteça. São mudanças que ocorrem em segundo plano e muitas vezes os investidores nem percebem que foram feitas.

    Já os hard forks são alterações mais significativas, intensas e complexas. Na maioria das vezes os hard forks que as moedas sofrem se tornam verdadeiros eventos, aguardados pela comunidade cripto e pelos investidores.

    Afinal, trazem alterações fundamentais para a moeda e que podem causar grandes impactos na cripto, incluindo seu preço. E foi exatamente por isso que a rede Ethereum passou.

    Atualização será vetor de deflação

    Com a queima das taxas de transação, é esperado que, com o tempo, haja uma redução do ritmo de avanço no número de tokens sem a limitação da oferta. Isso acontecerá quando a quantidade de ether queimado for maior que o volume recém-minerado por meio de recompensas em bloco.

    Publicidade

    A partir desse ponto, deve haver um declínio gradual e constante na oferta da criptomoeda. O objetivo é reduzir a taxa de emissão anual de Ethereum, atualmente em 4%.

    Outras propostas de melhoria

    Além do EIP 1559, outras propostas de melhoria, com as EIPs 355435293198 e 3541, também estão previstas.

    O EIP 3554 atrasa a “bomba de dificuldade” que é codificada para tornar a mineração mais difícil, essencialmente “congelando-a”, como preparação para a transição do Ethereum do modelo proof of work para o proof of stake. Quando ativada, a mudança tornará as recompensas em bloco muito mais difíceis de obter.

    O EIP 3529 reduz a taxa de gás fee, que normalmente era usada ​​para incentivar os desenvolvedores a reduzir ou excluir smart contracts e endereços não utilizados no Ethereum. Isso porque os tokens de gás ocupam espaço na rede.

    O EIP 3198, por sua vez, permite que os usuários utilizem a taxa básica de qualquer bloco para estimativas de aplicações descentralizadas, e o EIP 3541 configura atualizações futuras.

    Publicidade

    A próxima atualização, batizada de Hard Fork Shanghai, está programada para o final do ano.

    Ethereum 2.0
    Atualização da criptomoeda Ethereum (ETH) deve reduzir os custos sobre as taxas cobradas

    Ethereum 2.0? O que isso?

    Todo esse processo faz parte de outras novidades em andamento na rede Ethereum. Tais quais a migração planejada de um modelo proof of work (PoW), considerado ultrapassado e pouco otimizado, para um modelo mais moderno de proof of stake (PoS).

    O objetivo, basicamente, é mudar todo o sistema de forma drástica, onde a escalabilidade da moeda se torne algo mais concreto, e sua eficiência em mineração seja mais assertiva. 

    Parte dessas mudanças aconteceram por conta das falas de Elon Musk. Para isso, a rede deve deixar uma nova mineração de prova de trabalho e adotar o sistema de prova de participação, o PoS. Aqui, o principal objetivo é descentralizar o ativo de possíveis impactos e reduzir o custo fixo da sua estrutura de validação.

    Além de diminuir o consumo energético da rede, reduzirá também a emissão de novas unidades de ether.

    Ficou interessado em investir na criptomoeda? Veja passo a passo para minerar a Ethereum

    O que achou disso?

    Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?

    Rafael Massadar
    Rafael Massadar
    Carioca, amante de esportes e de viagens. Escolhi o jornalismo porque ele vive pelo mundo e conta histórias de pessoas e realidades distintas. Tenho experiência em redação e assessoria de imprensa. Atualmente, trabalho numa agência de marketing digital.

    Artigos Relacionados

    Assine nossa newsletter!

    Páginas Populares

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    InícioCriptomoedaEthereum: saiba qual a atualização que pode aumentar o preço da moeda

    Ethereum: saiba qual a atualização que pode aumentar o preço da moeda

    5
    (2)

    Uma das atualizações mais aguardadas do Ethereum em 2021 foi concluída com sucesso no bloco 12,965,000. Na manhã do dia 5 de agosto entrou no ar a “Hard Fork London”, que entre as mudanças, a principal é a Proposta de Melhoria do Ethereum 1559 (EIP-1559, na sigla em inglês).

    Publicidade

    Essa atualização trará ainda mudanças significativas, sobretudo no sistema de taxas de transação da Ethereum. Além de também preparar os mineradores da rede para a mudança no protocolo de consenso da moeda que acontecerá, provavelmente, em 2022.

    Este fork está intimamente relacionado ao lançamento da Ethereum 2.0, previsto para ser finalizado em 2022.

    Uma das principais mudanças que a rede sofrerá é justamente esta alteração em seu modelo de protocolo de consenso, do Prova de Trabalho (Proof of Work), para o Prova de Participação (Proof of Stake).

    Este fork veio para auxiliar a comunidade a fazer a transição de maneira segura e gradual, vamos entender melhor o porquê.

    +Illuvium: o que é o novo jogo que vai distribuir Ethereum

    Mas o que é Fork?

    Os forks, também chamados de bifurcações, são exatamente estas atualizações que o código da Ethereum sofreu. Ou seja, toda e qualquer criptomoeda está sujeita a sofrer um fork, sempre em busca de aprimorar o seu código.

    Publicidade

    A partir do momento em que o sistema sofre as alterações, surgem novas possibilidades de códigos, que correspondem às bifurcações. Contudo, existem dois tipos de forks, os “softs” e os “hards”.

    O primeiro são alterações mais sutis e leves, não sendo necessário paralisar a cripto para que a atualização aconteça. São mudanças que ocorrem em segundo plano e muitas vezes os investidores nem percebem que foram feitas.

    Já os hard forks são alterações mais significativas, intensas e complexas. Na maioria das vezes os hard forks que as moedas sofrem se tornam verdadeiros eventos, aguardados pela comunidade cripto e pelos investidores.

    Afinal, trazem alterações fundamentais para a moeda e que podem causar grandes impactos na cripto, incluindo seu preço. E foi exatamente por isso que a rede Ethereum passou.

    Atualização será vetor de deflação

    Com a queima das taxas de transação, é esperado que, com o tempo, haja uma redução do ritmo de avanço no número de tokens sem a limitação da oferta. Isso acontecerá quando a quantidade de ether queimado for maior que o volume recém-minerado por meio de recompensas em bloco.

    Publicidade

    A partir desse ponto, deve haver um declínio gradual e constante na oferta da criptomoeda. O objetivo é reduzir a taxa de emissão anual de Ethereum, atualmente em 4%.

    Outras propostas de melhoria

    Além do EIP 1559, outras propostas de melhoria, com as EIPs 355435293198 e 3541, também estão previstas.

    O EIP 3554 atrasa a “bomba de dificuldade” que é codificada para tornar a mineração mais difícil, essencialmente “congelando-a”, como preparação para a transição do Ethereum do modelo proof of work para o proof of stake. Quando ativada, a mudança tornará as recompensas em bloco muito mais difíceis de obter.

    O EIP 3529 reduz a taxa de gás fee, que normalmente era usada ​​para incentivar os desenvolvedores a reduzir ou excluir smart contracts e endereços não utilizados no Ethereum. Isso porque os tokens de gás ocupam espaço na rede.

    O EIP 3198, por sua vez, permite que os usuários utilizem a taxa básica de qualquer bloco para estimativas de aplicações descentralizadas, e o EIP 3541 configura atualizações futuras.

    Publicidade

    A próxima atualização, batizada de Hard Fork Shanghai, está programada para o final do ano.

    Ethereum 2.0
    Atualização da criptomoeda Ethereum (ETH) deve reduzir os custos sobre as taxas cobradas

    Ethereum 2.0? O que isso?

    Todo esse processo faz parte de outras novidades em andamento na rede Ethereum. Tais quais a migração planejada de um modelo proof of work (PoW), considerado ultrapassado e pouco otimizado, para um modelo mais moderno de proof of stake (PoS).

    O objetivo, basicamente, é mudar todo o sistema de forma drástica, onde a escalabilidade da moeda se torne algo mais concreto, e sua eficiência em mineração seja mais assertiva. 

    Parte dessas mudanças aconteceram por conta das falas de Elon Musk. Para isso, a rede deve deixar uma nova mineração de prova de trabalho e adotar o sistema de prova de participação, o PoS. Aqui, o principal objetivo é descentralizar o ativo de possíveis impactos e reduzir o custo fixo da sua estrutura de validação.

    Além de diminuir o consumo energético da rede, reduzirá também a emissão de novas unidades de ether.

    Ficou interessado em investir na criptomoeda? Veja passo a passo para minerar a Ethereum

    O que achou disso?

    Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?