Cursos que transformam sua vida financeira
Mais
    InícioNotíciasFinanças PessoaisFintechs de crédito: como contratar sem cair numa cilada

    Fintechs de crédito: como contratar sem cair numa cilada

    5
    (1)

    O número de fintechs de crédito no Brasil está em crescimento. Elas oferecem crédito de modo rápido, fácil e sem as burocracias comuns das instituições financeiras, além de taxas menores que as do mercado.

    Publicidade

    Isso acontece devido a enxuta estrutura física e equipe que geralmente atua nesse tipo de serviço financeiro.

    Para se ter ideia, de acordo a Prestho, uma das primeiras fintechs do Brasil, o empréstimo online cresceu 28% e cerca de 67,7% das solicitações foram realizadas por meio de dispositivos móveis. No mês de outubro de 2020, a empresa registrou um aumento de 84% nas solicitações.

    Outro dado interessante é que, em 2020, os empréstimos triplicaram nas fintechs de crédito. Os dados são da Associação Brasileira de Crédito Digital (ABCD) e a Associação Brasileira de Fintechs (ABFintehcs).

    Ou seja, para o cliente, a dívida pode ficar mais barata, porém ainda assim é preciso ter alguns cuidados. Veja quais:

    1 – Verifique a veracidade do site

    O primeiro cuidado é verificar se a fintech de crédito está cadastrada no Banco Central. A consulta pode ser feita no próprio site do BC.

    Publicidade

    Depois, é o momento de verificar se o site da instituição é seguro, pois existe a possibilidade de ser falso.

    Para tanto, verifique se há um cadeado na barra de endereços do site acessado e se o endereço começa com “https”. Isso indica que a conexão é segura e criptografada, o que evita o furto de seus dados. Se for só “http”, suspeite.

    Confira ainda se o site informa o CNPJ, endereço físico, telefone, canais de contato direito com o consumidor (chat, e-mail e SAC). Se nenhum dado estiver disponível, desconfie.

    2 – Pesquise a reputação da empresa

    Consulte se há reclamações contra a instituição em sites de reclamação de consumidores. As redes sociais também podem te dar informações sobre a veracidade do site da empresa, assim como uma simples busca na internet.

    Basta colocar o nome da empresa em um site de buscas para encontrar informações do endereço fixo e contato oficial da empresa. Além de comentários de quem já solicitou empréstimos àquela empresa.

    Publicidade

    Lembre-se que empréstimos online são realmente mais fáceis e mais rápidos que os convencionais. No entanto, sempre uma análise de crédito irá ser solicitada pois é a forma mais segura ao de validar o contrato.

    3 – Não pague nada antecipadamente

    As instituições autorizadas pelo BC para operarem com empréstimos via internet não podem exigir nenhum pagamento antecipado. Se houver pedido de depósito da primeira parcela do valor a ser concedido ou o pagamento de taxas, fuja, pode ser golpe.

    Nunca deposite nada na conta de pessoas físicas. Elas não estão autorizadas a conceder empréstimos online.

    Fintechs de crédito
    Fintechs oferecem crédito de modo rápido, fácil e sem burocracias

    Os fraudadores utilizam do argumento de que é necessário pagar taxas para que possam conduzir a negociação do empréstimo. Depois, somem do mapa.

    De maneira geral, instituições financeiras confiáveis solicitam comprovantes de renda e histórico de crédito, antes de seguirem com a negociação.

    Publicidade

    4 – Não passe senhas e acesso a conta bancária

    Ao contratar o empréstimo em fintechs de crédito ou em bancos tradicionais não é necessário informar nenhuma senha de uso pessoal (informação sigilosa). Geralmente essas instituições pedem documentos básicos como RG, CPF, comprovante de endereço e comprovante de renda.

    Além disso, não deixe dados pessoais expostos como endereço, CPF, RG e telefone em comentários abertos de redes sociais.

    Fraudadores podem usar os dados e até mesmo ligarem se passando pela empresa. As análises de crédito são feitas através dos sites oficiais e aplicativos.

    5 – Peça e leia o contrato

    Antes de fechar o empréstimo via internet, solicite à empresa o contrato e leia atentamente todos os termos antes de assinar.

    Atenção para as condições estabelecidas e verifique se o documento detalha o CET (Custo Efetivo Total) do empréstimo, que inclui juros e taxas incorporadas ao valor solicitado.

    Será que compensa fazer empréstimo para quitar dívidas? Veja a análise do FinanceOne!

    O que achou disso?

    Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?

    Rafael Massadar
    Rafael Massadar
    Carioca, amante de esportes e de viagens. Escolhi o jornalismo porque ele vive pelo mundo e conta histórias de pessoas e realidades distintas. Tenho experiência em redação e assessoria de imprensa. Atualmente, trabalho numa agência de marketing digital.

    Artigos Relacionados

    Assine nossa newsletter!

    Páginas Populares

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    InícioNotíciasFinanças PessoaisFintechs de crédito: como contratar sem cair numa cilada

    Fintechs de crédito: como contratar sem cair numa cilada

    5
    (1)

    O número de fintechs de crédito no Brasil está em crescimento. Elas oferecem crédito de modo rápido, fácil e sem as burocracias comuns das instituições financeiras, além de taxas menores que as do mercado.

    Publicidade

    Isso acontece devido a enxuta estrutura física e equipe que geralmente atua nesse tipo de serviço financeiro.

    Para se ter ideia, de acordo a Prestho, uma das primeiras fintechs do Brasil, o empréstimo online cresceu 28% e cerca de 67,7% das solicitações foram realizadas por meio de dispositivos móveis. No mês de outubro de 2020, a empresa registrou um aumento de 84% nas solicitações.

    Outro dado interessante é que, em 2020, os empréstimos triplicaram nas fintechs de crédito. Os dados são da Associação Brasileira de Crédito Digital (ABCD) e a Associação Brasileira de Fintechs (ABFintehcs).

    Ou seja, para o cliente, a dívida pode ficar mais barata, porém ainda assim é preciso ter alguns cuidados. Veja quais:

    1 – Verifique a veracidade do site

    O primeiro cuidado é verificar se a fintech de crédito está cadastrada no Banco Central. A consulta pode ser feita no próprio site do BC.

    Publicidade

    Depois, é o momento de verificar se o site da instituição é seguro, pois existe a possibilidade de ser falso.

    Para tanto, verifique se há um cadeado na barra de endereços do site acessado e se o endereço começa com “https”. Isso indica que a conexão é segura e criptografada, o que evita o furto de seus dados. Se for só “http”, suspeite.

    Confira ainda se o site informa o CNPJ, endereço físico, telefone, canais de contato direito com o consumidor (chat, e-mail e SAC). Se nenhum dado estiver disponível, desconfie.

    2 – Pesquise a reputação da empresa

    Consulte se há reclamações contra a instituição em sites de reclamação de consumidores. As redes sociais também podem te dar informações sobre a veracidade do site da empresa, assim como uma simples busca na internet.

    Basta colocar o nome da empresa em um site de buscas para encontrar informações do endereço fixo e contato oficial da empresa. Além de comentários de quem já solicitou empréstimos àquela empresa.

    Publicidade

    Lembre-se que empréstimos online são realmente mais fáceis e mais rápidos que os convencionais. No entanto, sempre uma análise de crédito irá ser solicitada pois é a forma mais segura ao de validar o contrato.

    3 – Não pague nada antecipadamente

    As instituições autorizadas pelo BC para operarem com empréstimos via internet não podem exigir nenhum pagamento antecipado. Se houver pedido de depósito da primeira parcela do valor a ser concedido ou o pagamento de taxas, fuja, pode ser golpe.

    Nunca deposite nada na conta de pessoas físicas. Elas não estão autorizadas a conceder empréstimos online.

    Fintechs de crédito
    Fintechs oferecem crédito de modo rápido, fácil e sem burocracias

    Os fraudadores utilizam do argumento de que é necessário pagar taxas para que possam conduzir a negociação do empréstimo. Depois, somem do mapa.

    De maneira geral, instituições financeiras confiáveis solicitam comprovantes de renda e histórico de crédito, antes de seguirem com a negociação.

    Publicidade

    4 – Não passe senhas e acesso a conta bancária

    Ao contratar o empréstimo em fintechs de crédito ou em bancos tradicionais não é necessário informar nenhuma senha de uso pessoal (informação sigilosa). Geralmente essas instituições pedem documentos básicos como RG, CPF, comprovante de endereço e comprovante de renda.

    Além disso, não deixe dados pessoais expostos como endereço, CPF, RG e telefone em comentários abertos de redes sociais.

    Fraudadores podem usar os dados e até mesmo ligarem se passando pela empresa. As análises de crédito são feitas através dos sites oficiais e aplicativos.

    5 – Peça e leia o contrato

    Antes de fechar o empréstimo via internet, solicite à empresa o contrato e leia atentamente todos os termos antes de assinar.

    Atenção para as condições estabelecidas e verifique se o documento detalha o CET (Custo Efetivo Total) do empréstimo, que inclui juros e taxas incorporadas ao valor solicitado.

    Será que compensa fazer empréstimo para quitar dívidas? Veja a análise do FinanceOne!

    O que achou disso?

    Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?