Cursos que transformam sua vida financeira
Mais
    InícioNotíciasFinanças PessoaisFranquia de seguro: entenda como funciona e quanto custa

    Franquia de seguro: entenda como funciona e quanto custa

    0
    (0)

    Dentro do seguro de automóvel há a franquia de seguro. Você sabe o que é esse termo, como funciona e qual o custo para o motorista?

    Publicidade

    A franquia do seguro nada mais é que a taxa cobrada para assumir o conserto do veículo nos casos em que não for necessária a indenização integral.

    Portanto, a modalidade é uma proteção para a apólice, garantindo que o segurado não acione o seguro por danos pequenos. Além disso, é uma forma de disciplinar o segurado, incentivando-o a guiar o veículo com cuidado e a zelar por sua conservação.

    Assim, evitará negligenciar as leis de trânsito ou se arriscar mais que o recomendado simplesmente por considerar que, estando segurado, não sairá no prejuízo.

    Mas o que é uma franquia de seguro?

    Ainda ficou confuso sobre o que é uma franquia de seguro? Ela funciona como a parte em dinheiro que o cliente arca para consertar alguma peça no carro. E a franquia deve ser paga em cada sinistro parcial que acontecer.

    O valor da franquia é definido na hora de contratar o seguro, junto com a apólice do seguro, como um custo fixo ou percentual a mais a ser pago.

    Publicidade

    Sendo assim, a franquia é como uma coparticipação do segurado no valor dos orçamentos dos consertos a serem realizados. Por isso, é fundamental que você leia o contrato do seguro com bastante atenção.

    Dessa forma, será possível saber exatamente os valores que serão pagos após acionar o sinistro do seguro do seu veículo.

    + Tenha um seguro de carro com assistência 24h!

    Conheça os 4 tipos de franquia do seguro

    O pagamento da franquia do seguro depende do tipo de sinistro do carro. Ou seja, o valor da franquia está sujeito ao tipo de evento que causou dano material ao veículo.

    1 – Integral

    Ela vale para quando o acidente deixa o veículo irrecuperável ou os danos superam 75% do valor do automóvel. Nesse caso, não é necessário pagar a franquia e o segurado tem direito a receber o valor integral da seguradora pela indenização.

    Publicidade

    Geralmente, nestes casos, as companhias de seguro utilizam a Tabela Fipe para basear seus cálculos financeiros.

    2 – Parcial

    Quando os danos são inferiores a 75% do valor do veículo, o segurado e a seguradora dividem o custo do conserto de acordo com as regras estabelecidas no contrato.

    Nesse caso, o pagamento da franquia é obrigatório e costuma ser feito diretamente com a oficina mecânica aprovada pela companhia de seguro automotivo.

    3 – Terceiros

    Esse tipo varia de acordo com o tipo de seguro contratado. Caso o motorista tenha adquirido um serviço que envolva acidente com terceiros, a seguradora irá arcar com parte dos custos de reparo mecânico ou das despesas médicas dessas pessoas.

    Mas, se o seguro for apenas contra roubo e furto, o motorista terá que arcar com todas as despesas.

    Publicidade

    4 – Isenta

    Nesta modalidade não há a cobrança de franquia do usuário. Não são todas as seguradoras que oferecem a opção, seu uso geralmente tem limite de ocorrências e o valor do seguro é ainda mais caro que o cobrado no contrato com franquia reduzida.

    Franquia de seguro: qual escolher?

    A franquia de seguro depende de você! Se preferir gastar menos no valor total do seguro, sabendo que pagará mais para usá-lo caso bata o carro, escolha a franquia normal.

    Mas quem acha vantajoso gastar mais no seguro para usar a franquia com uma frequência maior, a reduzida é a opção ideal.

    Se não costuma usar o seguro ou vai contratar um pela primeira vez, escolha a franquia normal. Assim, você gasta menos para proteger o seu carro.

    Cofre de porquinho em cima de um carro de brinquedo azul claro
    Existem 3 tipos de franquia de seguro

    Quando se aciona o seguro em caso de algum sinistro, é necessário pagar a franquia de seguro de carro, um valor, também contemplado na apólice, que precisa ser pago para que aquele serviço seja realizado.

    Este valor é independente das mensalidades do seguro. Ou seja, mesmo que elas estejam em dia, o segurado precisa pagar a franquia para que o carro seja consertado no caso de uma colisão com perda parcial, quando não houve perda total do veículo.

    Em outras palavras, via de regra, é preciso pagar a franquia sempre quando o bem puder ser separado, salvo em algumas exceções.

    É importante esclarecer também que a Circular SUSEP nº 269, de 30 de setembro de 2004, da Superintendência de Seguros Privados, trata especialmente sobre as franquias.

    Ela estabelece, legalmente, como ela funciona, com todos os detalhes e respaldos técnicos devidos.

    Gostou do conteúdo? Então continue navegando em nosso site e leia também: como fazer um seguro de automóvel barato. Assim, você fica ainda mais por dentro do assunto!

    O que achou disso?

    Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?

    Redação
    Redação
    O FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde 2003, publicamos conteúdos que buscam traduzir desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa. Nossa missão é mostrar que qualquer pessoa pode ter controle financeiro e fazer as escolhas certas. Assim como ter no dinheiro um aliado para viver bem e conquistar seus sonhos.

    Artigos Relacionados

    Assine nossa newsletter!

    Páginas Populares

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    InícioNotíciasFinanças PessoaisFranquia de seguro: entenda como funciona e quanto custa

    Franquia de seguro: entenda como funciona e quanto custa

    0
    (0)

    Dentro do seguro de automóvel há a franquia de seguro. Você sabe o que é esse termo, como funciona e qual o custo para o motorista?

    Publicidade

    A franquia do seguro nada mais é que a taxa cobrada para assumir o conserto do veículo nos casos em que não for necessária a indenização integral.

    Portanto, a modalidade é uma proteção para a apólice, garantindo que o segurado não acione o seguro por danos pequenos. Além disso, é uma forma de disciplinar o segurado, incentivando-o a guiar o veículo com cuidado e a zelar por sua conservação.

    Assim, evitará negligenciar as leis de trânsito ou se arriscar mais que o recomendado simplesmente por considerar que, estando segurado, não sairá no prejuízo.

    Mas o que é uma franquia de seguro?

    Ainda ficou confuso sobre o que é uma franquia de seguro? Ela funciona como a parte em dinheiro que o cliente arca para consertar alguma peça no carro. E a franquia deve ser paga em cada sinistro parcial que acontecer.

    O valor da franquia é definido na hora de contratar o seguro, junto com a apólice do seguro, como um custo fixo ou percentual a mais a ser pago.

    Publicidade

    Sendo assim, a franquia é como uma coparticipação do segurado no valor dos orçamentos dos consertos a serem realizados. Por isso, é fundamental que você leia o contrato do seguro com bastante atenção.

    Dessa forma, será possível saber exatamente os valores que serão pagos após acionar o sinistro do seguro do seu veículo.

    + Tenha um seguro de carro com assistência 24h!

    Conheça os 4 tipos de franquia do seguro

    O pagamento da franquia do seguro depende do tipo de sinistro do carro. Ou seja, o valor da franquia está sujeito ao tipo de evento que causou dano material ao veículo.

    1 – Integral

    Ela vale para quando o acidente deixa o veículo irrecuperável ou os danos superam 75% do valor do automóvel. Nesse caso, não é necessário pagar a franquia e o segurado tem direito a receber o valor integral da seguradora pela indenização.

    Publicidade

    Geralmente, nestes casos, as companhias de seguro utilizam a Tabela Fipe para basear seus cálculos financeiros.

    2 – Parcial

    Quando os danos são inferiores a 75% do valor do veículo, o segurado e a seguradora dividem o custo do conserto de acordo com as regras estabelecidas no contrato.

    Nesse caso, o pagamento da franquia é obrigatório e costuma ser feito diretamente com a oficina mecânica aprovada pela companhia de seguro automotivo.

    3 – Terceiros

    Esse tipo varia de acordo com o tipo de seguro contratado. Caso o motorista tenha adquirido um serviço que envolva acidente com terceiros, a seguradora irá arcar com parte dos custos de reparo mecânico ou das despesas médicas dessas pessoas.

    Mas, se o seguro for apenas contra roubo e furto, o motorista terá que arcar com todas as despesas.

    Publicidade

    4 – Isenta

    Nesta modalidade não há a cobrança de franquia do usuário. Não são todas as seguradoras que oferecem a opção, seu uso geralmente tem limite de ocorrências e o valor do seguro é ainda mais caro que o cobrado no contrato com franquia reduzida.

    Franquia de seguro: qual escolher?

    A franquia de seguro depende de você! Se preferir gastar menos no valor total do seguro, sabendo que pagará mais para usá-lo caso bata o carro, escolha a franquia normal.

    Mas quem acha vantajoso gastar mais no seguro para usar a franquia com uma frequência maior, a reduzida é a opção ideal.

    Se não costuma usar o seguro ou vai contratar um pela primeira vez, escolha a franquia normal. Assim, você gasta menos para proteger o seu carro.

    Cofre de porquinho em cima de um carro de brinquedo azul claro
    Existem 3 tipos de franquia de seguro

    Quando se aciona o seguro em caso de algum sinistro, é necessário pagar a franquia de seguro de carro, um valor, também contemplado na apólice, que precisa ser pago para que aquele serviço seja realizado.

    Este valor é independente das mensalidades do seguro. Ou seja, mesmo que elas estejam em dia, o segurado precisa pagar a franquia para que o carro seja consertado no caso de uma colisão com perda parcial, quando não houve perda total do veículo.

    Em outras palavras, via de regra, é preciso pagar a franquia sempre quando o bem puder ser separado, salvo em algumas exceções.

    É importante esclarecer também que a Circular SUSEP nº 269, de 30 de setembro de 2004, da Superintendência de Seguros Privados, trata especialmente sobre as franquias.

    Ela estabelece, legalmente, como ela funciona, com todos os detalhes e respaldos técnicos devidos.

    Gostou do conteúdo? Então continue navegando em nosso site e leia também: como fazer um seguro de automóvel barato. Assim, você fica ainda mais por dentro do assunto!

    O que achou disso?

    Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?