Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Investimento-anjo: o que é e como funciona

Escrito por: Mateus Carvalho em 28 de junho de 2019

Você já escutou falar na expressão investimento-anjo? Sabe o que significa e como funciona? Para quem quer investir e ser sócio em uma startup essa pode ser uma boa alternativa para aplicar o dinheiro.

Esse tipo de investimento já existe em mercados internacionais. Grandes empresas internacionais tiveram os projetos iniciais a participação de investidores-anjo.

Como por exemplo o Google, Facebook e Apple. E nos últimos anos essa modalidade de investimento teve um grande crescimento.

investimento-anjo
O investidor-anjo é uma pessoa física que aplica dinheiro em startups

Esse fator proporcionou o surgimento de plataformas com o objetivo de intermediar os investidores-anjo e startups.

Mas o que de fato é um investidor-anjo? Quem pode se tornar um?

O que é investimento-anjo?

O investimento-anjo é considerado a maior fonte de capital para startups, que são pequenas empresas em fase final de validação ou na etapa de crescimento.

Dessa forma, os investidores-anjo são profissionais mais experientes com conhecimento em finanças e mercado. Além de ser uma pessoa com capital para alavancar uma startup.

Vale ressaltar que o investimento-anjo é realizado por pessoas físicas com o próprio capital. Em troca, esses empresários recebem uma porcentagem ou ações da empresa.

Outra informação importante é que normalmente o investidor-anjo não tem voz decisiva ou posição executiva no negócio.

Porém, eles atuam como mentores ou conselheiros, oferecendo aporte financeiro e network.

Quem pode realizar um investimento-anjo?

Se interessou e quer fazer um investimento-anjo? Ou está querendo um investidor-anjo para a sua startup?

Para isso é necessário verificar as características de um investimento desse tipo. Isso porque é preciso avaliar quem pode e quem não pode aplicar o dinheiro nessas empresas.

Para começar, um investidor-anjo é, geralmente, um empresário ou ex-empresário bem-sucedido. Este deve ter recursos para investir uma pequena parte do patrimônio na startup escolhida.

É importante frisar que esse tipo de investidor não precisa ser milionário. Isso porque ele deve trabalhar com aplicações que girem em torno dos 5% ou 10% do próprio capital.

Além disso, o investimento-anjo costuma ser feito por grupo, de duas a cinco pessoas, o que diminui os riscos.

Sendo assim, o investimento médio fica em torno de R$100 mil a R$500 mil. Em alguns poucos casos podendo chegar a R$1 milhão.

Outra informação importante é que o investimento-anjo não se limita somente à fase de implantação. Mas ela se repete com novos aportes para fomentar o crescimento.

Os investidores-anjo que aplicam o dinheiro querem diversificar os próprios investimentos e patrimônios.

O que faz com que eles costumem investir em áreas de seu conhecimento, para agregar valor com o que já sabem.

Como funciona o investimento-anjo?

De uma forma básica, o investimento-anjo funciona com o investidor dando capital à startup em troca de ações da empresa.

O empresário terá ações preferenciais da startup ou até mesmo uma dívida conversível em papéis da mesma.

Caso o acordo seja realizado de acordo com a segunda opção, isso significa que o investidor está emprestando o dinheiro à startup.

Dessa forma, será possível converter o pagamento em ações da empresa em um espaço de tempo acordado entre ambas as partes.

Além disso, existem diversas associações e redes de investidores que assessoram interessados nessa modalidade financeira. Bons exemplos são a Anjos Brasil e a Gávea Angels.

são essas associações que criam redes de contatos, buscam e apresentam startups aos investidores-anjo. Além de assessorar na documentação do acordo. 

Se você é novo no mercado, o recomendado é se juntar a um grupo de investidores ou co-investir com outros empresários.

Uma aliança de investidores significa que todos estão investindo nos mesmos termos e por meio do mesmo contato. Por isso, é comum existir um líder que negocia todos os termos e representa os demais.

Uma forma fácil de começar o investimento-anjo é encontrar um conhecido que já faça esse tipo de aplicação e buscar ser incluído nesse grupo.

Benefícios do investimento-anjo

Como você já sabe, o objetivo do investimento-anjo é aplicar dinheiro em negócios em que os riscos são considerados, no mínimo, proporcionais ao potencial de retorno.

Mas os investidores também avaliam os investimentos, observando o impacto que as startups podem ter na sociedade.

Sendo assim, eles buscam gerar novas oportunidades de trabalho e de renda. Além de orientar e promover o conhecimento das futuras gerações, desenvolver novas tecnologias e até mesmo promover inovações para melhorar a vida da sociedade.

Para quem recebe o investimento, além da vantagem do aporte de capital, ainda é possível receber orientação estratégica e financeira de alguém que já passou por isso antes.

Os investidores costumam abrir as portas para suas redes de relacionamento, o que é fundamental para o mundo dos negócios.

Mateus Carvalho

Jornalista formado pela Unicarioca. Atualmente, repórter da Folha Dirigida e produtor de conteúdo no FinanceOne. Já fui colaborador do Torcedores.com.

Deixe uma resposta

Posts relacionados

Mercado de debêntures cresce em 2018
financiar um imóvel
aplicativos para investidores
2019 melhor ano financeiro