Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Investimento-anjo: o que é e como funciona

Escrito por: Mateus Carvalho em 28 de junho de 2019

Você já escutou falar na expressão investimento-anjo? Sabe o que significa e como funciona? Para quem quer investir e ser sócio em uma startup essa pode ser uma boa alternativa para aplicar o dinheiro.

Esse tipo de investimento já existe em mercados internacionais. Grandes empresas internacionais tiveram os projetos iniciais a participação de investidores-anjo.

Como por exemplo o Google, Facebook e Apple. E nos últimos anos essa modalidade de investimento teve um grande crescimento.

investimento-anjo
O investidor-anjo é uma pessoa física que aplica dinheiro em startups

Esse fator proporcionou o surgimento de plataformas com o objetivo de intermediar os investidores-anjo e startups.

Mas o que de fato é um investidor-anjo? Quem pode se tornar um?

O que é investimento-anjo?

O investimento-anjo é considerado a maior fonte de capital para startups, que são pequenas empresas em fase final de validação ou na etapa de crescimento.

Dessa forma, os investidores-anjo são profissionais mais experientes com conhecimento em finanças e mercado. Além de ser uma pessoa com capital para alavancar uma startup.

Vale ressaltar que o investimento-anjo é realizado por pessoas físicas com o próprio capital. Em troca, esses empresários recebem uma porcentagem ou ações da empresa.

Outra informação importante é que normalmente o investidor-anjo não tem voz decisiva ou posição executiva no negócio.

Porém, eles atuam como mentores ou conselheiros, oferecendo aporte financeiro e network.

Quem pode realizar um investimento-anjo?

Se interessou e quer fazer um investimento-anjo? Ou está querendo um investidor-anjo para a sua startup?

Para isso é necessário verificar as características de um investimento desse tipo. Isso porque é preciso avaliar quem pode e quem não pode aplicar o dinheiro nessas empresas.

Para começar, um investidor-anjo é, geralmente, um empresário ou ex-empresário bem-sucedido. Este deve ter recursos para investir uma pequena parte do patrimônio na startup escolhida.

É importante frisar que esse tipo de investidor não precisa ser milionário. Isso porque ele deve trabalhar com aplicações que girem em torno dos 5% ou 10% do próprio capital.

Além disso, o investimento-anjo costuma ser feito por grupo, de duas a cinco pessoas, o que diminui os riscos.

Sendo assim, o investimento médio fica em torno de R$100 mil a R$500 mil. Em alguns poucos casos podendo chegar a R$1 milhão.

Outra informação importante é que o investimento-anjo não se limita somente à fase de implantação. Mas ela se repete com novos aportes para fomentar o crescimento.

Os investidores-anjo que aplicam o dinheiro querem diversificar os próprios investimentos e patrimônios.

O que faz com que eles costumem investir em áreas de seu conhecimento, para agregar valor com o que já sabem.

Como funciona o investimento-anjo?

De uma forma básica, o investimento-anjo funciona com o investidor dando capital à startup em troca de ações da empresa.

O empresário terá ações preferenciais da startup ou até mesmo uma dívida conversível em papéis da mesma.

Caso o acordo seja realizado de acordo com a segunda opção, isso significa que o investidor está emprestando o dinheiro à startup.

Dessa forma, será possível converter o pagamento em ações da empresa em um espaço de tempo acordado entre ambas as partes.

Além disso, existem diversas associações e redes de investidores que assessoram interessados nessa modalidade financeira. Bons exemplos são a Anjos Brasil e a Gávea Angels.

são essas associações que criam redes de contatos, buscam e apresentam startups aos investidores-anjo. Além de assessorar na documentação do acordo. 

Se você é novo no mercado, o recomendado é se juntar a um grupo de investidores ou co-investir com outros empresários.

Uma aliança de investidores significa que todos estão investindo nos mesmos termos e por meio do mesmo contato. Por isso, é comum existir um líder que negocia todos os termos e representa os demais.

Uma forma fácil de começar o investimento-anjo é encontrar um conhecido que já faça esse tipo de aplicação e buscar ser incluído nesse grupo.

Benefícios do investimento-anjo

Como você já sabe, o objetivo do investimento-anjo é aplicar dinheiro em negócios em que os riscos são considerados, no mínimo, proporcionais ao potencial de retorno.

Mas os investidores também avaliam os investimentos, observando o impacto que as startups podem ter na sociedade.

Sendo assim, eles buscam gerar novas oportunidades de trabalho e de renda. Além de orientar e promover o conhecimento das futuras gerações, desenvolver novas tecnologias e até mesmo promover inovações para melhorar a vida da sociedade.

Para quem recebe o investimento, além da vantagem do aporte de capital, ainda é possível receber orientação estratégica e financeira de alguém que já passou por isso antes.

Os investidores costumam abrir as portas para suas redes de relacionamento, o que é fundamental para o mundo dos negócios.

Mateus Carvalho

Jornalista formado pela Unicarioca. Atualmente, repórter da Folha Dirigida e produtor de conteúdo no FinanceOne. Já fui colaborador do Torcedores.com.

Deixe um comentário

Posts relacionados

ETF é um bom investimento para iniciantes?
Desenvolver a autoconfiança é fundamental para lidar com os altos e baixos dos investimentos
Como funciona o Consórcio Honda
Avaliar a liquidez do investimento é importante para saber o prazo que poderá resgatar os lucros
FGC