5 melhores investimentos a curto prazo em 2018 | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,843
Euro R$ 4,457
Bitcoin R$ 24.664,04
Bovespa 74.538,54
CDI 6,39% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 5,053
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


5 melhores investimentos a curto prazo em 2018

Cuidar do seu dinheiro é uma tarefa fundamental e um ponto de equilíbrio para a sua vida financeira. Uma das melhores formas de lograr êxito nessa tarefa é procurar maneiras fáceis e práticas de investi-lo. Já pensou em apostar nos investimentos a curto prazo?

Atualmente, existem diversos investimentos em vários segmentos. Uns com uma rentabilidade mais baixa, enquanto outros se destacam por ter um índice maior. No entanto, alguns tipos são bem visados por darem um retorno a curto prazo.

investimentos a curto prazo

Investimento requer organização e planejamento

Investir por investir não basta, é preciso ter um pensamento crítico e pensando de uma maneira organizacional. Como colocar em prática? Quais as principais consequências? O que deve render e quanto deve custar?

Além disso, é necessário ter uma visão de negócios. Mesmo que seja um pequeno investimento, ter um planejamento é essencial e sinaliza todos os principais pontos para colocar em prática sem erros. E mesmo que algo dê errado, o planejamento ajuda a executar os planos de ação, caso necessário.

O que acontece hoje em dia é o excesso de comodidade. Muitas pessoas ainda sem saber das opções e novidades do mercado financeiro, seguem deixando suas economias estagnadas: seja em conta corrente ou poupança. O acontece é que essas são opções que não trazem muito retorno.

5 melhores investimentos a curto prazo

Se você está disposto a começar um novo investimento, mas precisa de retorno a curto prazo, separamos 5 maneiras de investir e ter essa resposta mais rápido. Confira abaixo a listagem!

CDB

Os CDB’s são os Certificados de Depósitos Bancários, que podem ser considerados uma excelente opção para quem quer investir a curto prazo. Além de serem seguros, já foi comprovado que conseguem render mais que a poupança.

No caso dos CDB’s, eles são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para o caso de investimentos de até R$250 mil, por CPF e por instituição financeira. Os pequenos e médios bancos oferecem a mesma proteção de FGC dos bancos mais conhecidos. A principal recomendação é escolher CDB’s com liquidez diária ou de pouca carência.

Não se precipite. Antes mesmo de escolher o seu banco, faça uma análise sobre ele, sobre todas as suas características que envolvem a sua saúde financeira. Uma dica essencial é considerar que o imposto a ser pago tende a ser variável com o tempo de resgate dessa liquidez.

– Até 180 dias – desconto de 22,5%

– Entre 181 e 360 dias – desconto de 20%

– Entre 361 e 720 dias – desconto de 17,5%

– Acima de 720 dias – desconto de 15%

LCI

Para quem não conhece, a sigla LCI significa Letra de Crédito Imobiliário. Nada mais é do que um investimento convertido em crédito para financiar imóveis. Este é um investimento livre de imposto e que se destaca por ser protegido pelo Fundo Garantidor de Crédito.

A liquidez dos LCI’s varia de 3 a 24 meses. Sem dúvidas são uma boa alternativa. Entretanto, acabam que rendem melhor quando em longo prazo. Sendo assim, alguns poderão apresentar uma liquidez mais lenta. Conheça as vantagens e desvantagens da LCI, LCA ou CDB.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é mais uma opção para quem deseja investir e ter um retorno a curto prazo. Ligado à taxa Selic, este é um título oferecido pelo governo com o intuito de quitar as despesas de pessoas físicas. Além disso, com a redução da Selic a poupança fica mais atrativa.

O Tesouro Selic é pós-fixado e tem um rendimento diário. É descontado o imposto de renda e uma taxa de 0,3% ao ano. É ainda mais vantajoso se estiver ligado à poupança, principalmente se o investimento for maior que R$50 mil.

Fundos de renda fixa atrelados ao CDI

Nesse caso é preciso, no entanto, ter uma preocupação referente a quanto o banco pagará sobre a CDI. A remuneração deverá sempre ser maior do que o total da CDI. Você encontrará títulos CDB, LCI, além dos LCA ligados ao financiamento para o agronegócio.

O importante nesse caso é que a taxa de administração não supere o valor de 1% ao ano, pois assim ele se tornará bem mais rentável. O investidor precisa ficar de olho na quantidade das carências. Isso porque se tiver menos liquidez e mais taxas de retorno o investimento se tornará mais propício.

Fundos de renda fixa referenciados DI

Mesmo sem a garantia da rentabilidade, os bancos precisam garantir 95% dos ativos com CDI, para alcançar a estabilidade na rentabilidade. Os fundos DI são pós-fixados e acabam que oscilam de acordo com a Selic.

Como principal vantagem do fundo DI pode-se destacar a liquidez, que é bem rápida e permite conseguir resgatar o investimento a qualquer momento. Nesse investimento, é importante destacar que a taxa de operação não pode ultrapassar 0,5% ao ano e a remuneração precisa ser maior que 100% do CDI.







Mais lidos

Reembolso em planos de saúde: como funciona e como pedir
Quem nunca se consultou com um médico durante anos? E, depois teve que mudar porque ele passou a n...
Transações do mercado imobiliário superam R$472 bi no Brasil
O setor de imóveis volta a crescer em 2018. As transações do mercado imobiliário brasileiro movi...
Aprenda a driblar esses 4 inimigos do seu bolso
Administrar a vida financeira não é uma tarefa fácil, ainda mais na sociedade atual onde a todo m...
Taxas do Tesouro Direto: quais são e quanto custam
Tesouro Direto é um tipo de investimento de renda fixa. Isso significa que, ao aplicar nessa modali...
Onde conseguir crédito mais barato para seu negócio?
Para conseguir crédito mais barato é preciso muita pesquisa. Isso é fundamental para evitar o des...
Truques para cumprir metas ainda este ano
O segundo semestre de 2018 começou há pouco. E o que você fez até então? Toda aquela lista da r...




Publicidade