InícioNotíciasInvestimentosO que são fundos verdes ou fundos ESG? Confira

O que são fundos verdes ou fundos ESG? Confira

0
(0)

A busca pelo desenvolvimento sustentável é uma pauta que impacta cada vez mais em várias esferas da sociedade. E até mesmo no mercado financeiro, com, por exemplo, o surgimento dos chamados fundos verdes.

Alternativas de investimentos sustentáveis, esses fundos – também chamados de fundos ESG – representaram um salto das empresas que são reconhecidas por um alto desempenho sustentável, principalmente durante a pandemia.

Mas para entender o que são os fundos verdes é preciso conhecer o ESG. Essa é sigla para os termos em Environment, Social, Governance. Ou ASG, em português: ambiental, social e governança corporativa.

Trata-se de um conceito usado para se referir às melhores práticas ambientais, sociais e de governança de um negócio. Ou seja, empresas que se preocupam com o impacto de suas ações na comunidade e no ambiente, são empresas ESG.

O que são os fundos verdes?

Cuidar do meio ambiente, ter responsabilidade social e adotar melhores práticas de governança não são apenas questões de marketing para as empresas.

Na verdade, esses são, comprovadamente, fatores que têm impactos positivos para os negócios, desde maior lucratividade até melhora no valor de mercado.

Tela de computador apresenta símbolos de sustentabilidade e investimentos
Fundos ESG podem ser investimentos promissores

Sendo assim, adotar o tal do ESG (ou ASG) ajuda no balanço das empresas. Mas o ponto é que hoje ele é também um critério para investimentos.

É aqui que entram os fundos verdes. Uma alternativa de investimento sustentável voltado para quem se interessar em expor sua carteira às vantagens do ESG.

Isso é possível por meio dos fundos de investimento, os fundos ESG, também conhecidos como fundos verdes

Eles buscam ações de empresas que são comprometidas e se destacam em pelo menos um dos três aspectos do ESG ( Environment, Social, Governance).

Em resumo: fundos verdes são os fundos de investimento de empresas que apresentam padrões de atuação dentro dos critérios ESG de sustentabilidade, sociedade e governança.

Por isso, se trata de uma alternativa de investimento sustentável, assim como os green bonds e o crédito de carbono, por exemplo.

Alguns exemplos de fundos ESG no Brasil são Santander FIC FI Ethical Ações; Carteira Itaú Internacional ESG, Bradesco FIC MM ESG Global, NAU Capital Impacto FIQ de FIA, Trend Lideranças Femininas, Bradesco FIA Sustentabilidade Empresarial, BB Ações Sustentabilidade FIC Ações.

Como explica a Ambipar, empresa pioneira em soluções ambientais, existem índices específicos do mercado financeiro para mensurar o desempenho de acordo com critérios de ESG.

No Brasil, pode-se alguns deles são o ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial), o ICO2 (Índice Carbono Eficiente) e o S&P/B3 Brasil ESG, criado em 2020 por meio de uma parceria entre a Bolsa brasileira e a S&P Dow Jones.

Vale a pena investir nos fundos ESG?

Um relatório da consultoria Morningstar apontou que o volume aplicado em empresas ESG atingiu 250 bilhões de dólares em todo o mundo na pandemia.

Só nos EUA os investimentos sustentáveis (o que inclui os fundos verdes) já correspondem a 20% do mercado.

O ESG não se trata apenas de estratégia de marketing das empresas e se mostra cada vez mais um verdadeiro critério de investimento. E o reconhecimento de que fatores ESG têm papel significativo na determinação de risco e retorno é crescente.

De acordo com a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), os fundos de ações sustentáveis e de governança somavam R$543,4 milhões em junho de 2020.

Em dezembro, já havia saltado para R$817,9 milhões, um crescimento de 46%. E em janeiro ultrapassou R$1 bilhão, quase o dobro do montante de um ano anterior.

Mesmo assim, o segmento representa apenas 0,13% do patrimônio dos fundos de ações e apenas 0,01% da indústria de fundos de investimentos em geral.

Os dados sobre o tamanho da indústria de investimentos ESG no Brasil ainda são relativamente poucos. O segmento ainda representa apenas 0,13% do patrimônio dos fundos de ações e 0,01% da indústria de fundos de investimentos em geral.

Mas abrir a carteira para os fundos verdes ou fundos ESG ou ainda para outros investimentos sustentáveis pode, sim, trazer bons retornos. Principalmente se considerarmos o maior potencial de competitividade a longo prazo dessas empresas.

Gostou do conteúdo? Está pensando em investir? Confira também este artigo para ficar ainda mais por dentro:
+ O que é ESG e qual a relação com o mercado financeiro?

O que achou disso?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?

Assine nossa newsletter!

Páginas Populares

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui