InícioNotíciasEconomiaOrçamento 2021 aprovado: entenda os principais pontos

Orçamento 2021 aprovado: entenda os principais pontos

Tempo de leitura: 3 minutos
()

O Congresso Nacional aprovou o Projeto de Lei 28/2020, que tem como base o orçamento 2021 da União. No Senado, foram 60 votos a 12, com uma abstenção, enquanto na Câmara dos Deputados a matéria foi aprovada por 346 votos a favor e 110 contrários, com uma abstenção.

O parecer aprovado é do relator geral, o senador Márcio Bittar (MDB). Além do parecer, foram apreciados dois destaques, do PSol e do Partido Novo, ambos rejeitados.

A apreciação do projeto deveria ter ocorrido em 2020. No entanto, foi adiada por conta da pandemia da Covid-19, das eleições municipais e por desavenças políticas.

As receitas foram estimadas em R$4,324 trilhões, das quais cerca de R$2,576 trilhões são para o refinanciamento da dívida e as empresas estatais. O teto dos gastos é de R$1,48 trilhão.

Ainda de acordo com o texto aprovado, se somadas, as receitas e as despesas são de R$4,324 trilhões.

O rompimento do setor público deve alcançar R$251,1 bilhões (incluindo empresas estatais, estados e municípios). O teto dos gastos é de R$1,48 trilhão e o déficit primário pode chegar a R$247,1 bilhões.

Orçamento 2021 é criticado por parlamentares

Parlamentares de oposição criticaram os cortes no Orçamento 2021 e reclamaram das dotações para áreas que consideram estratégicas. As principais críticas são cortes em diversas áreas sociais.

Para a oposição, a situação de crise humanitária causada pela pandemia de covid-19 exige mais investimentos sociais. Quem também saiu perdendo foi a Previdência Social, com R$13,5 bilhões a menos.

Outro ponto bastante questionado foi o destino de R$8,3 bilhões para investimentos do Ministério da Defesa. Ou seja, um quinto (22%) do total para todo o governo federal.

Aliado a isso, os militares também são a única categoria que deve ser contemplada este ano com reajuste, o que deve consumir outros R$7,1 bilhões dos cofres públicos. Enquanto isso, todo o restante do funcionalismo está com o salário congelado até dezembro.

Orçamento 2021
Corte do Orçamento 2021 pode inviabilizar Censo

Censo 2021 foi inviabilizado

O texto do orçamento deixa quase sem recursos o Censo 2021 e pode inviabilizar a pesquisa. Inicialmente, o orçamento pedido pelo IBGE era de R$3,4 bilhões, mas, após pressão do governo federal, o instituto teve que enxugar a pesquisa, e o custo passou para cerca de R$2 bilhões.

O Orçamento da União aprovado, no entanto, destina apenas R$71 milhões para a pesquisa – menos de 5% do custo acordado. Isso vai fazer com que o censo realizado no Brasil de dez em dez anos seja cancelado mais uma vez.

Afinal, o 13° Censo Demográfico estava previsto para ser realizado em 2020, mas foi adiado por causa da pandemia. A pesquisa é a fonte mais completa de informação sobre as condições de vida da população do país.

Projeto evidência pedalada fiscal?

Vinte deputados de partidos da base governista e da oposição enviaram uma carta para o presidente da República, Jair Bolsonaro. O texto cobra explicações sobre que medidas serão tomadas para cumprir o teto de gastos e evitar que se cometa crime de responsabilidade fiscal no orçamento 2021.

No documento, os deputados afirmam que a base governista concordou com as condições precárias do Orçamento. A avaliação é que isso exigirá medidas do governo federal para cumprir o teto de gastos e a meta fiscal, sem que se recorra às chamadas pedaladas fiscais.

Segundo os parlamentares, o Ministério da Economia enviou relatório alertando para um rombo de R$17 bi no Orçamento com despesas primárias.

No entanto, ignorando este fato, o Congresso cortou mais R$26 bilhões em despesas primárias obrigatórias para viabilizar o aumento de R$3 bi para R$30 bi no valor concentrado nas mãos do relator.

Este conteúdo lhe foi útil? Você gostou de saber dessas informações? Então aumente o seu conhecimento e confira o que esperar da economia brasileira em 2021? Veja aqui!

O que achou disso?

Média da classificação / 5. Número de votos:

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?

Tempo de leitura: 3 minutos
Rafael Massadar
Carioca, amante de esportes e de viagens. Escolhi o jornalismo porque ele vive pelo mundo e conta histórias de pessoas e realidades distintas. Tenho experiência em redação e assessoria de imprensa. Atualmente, trabalho numa agência de marketing digital.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui