Início Notícias Finanças Pessoais Pagamentos pelo WhatsApp não estão proibidos. Entenda!

Pagamentos pelo WhatsApp não estão proibidos. Entenda!

0
(0)

Os pagamentos por meio do WhatsApp Pay não estão proibidos. De acordo com o diretor de organização do sistema financeiro do Banco Central, João Manoel Pinheiro, o BC não proibiu o funcionamento, apenas suspendeu a funcionalidade.

O WhatsApp Pay pretende que usuários recebam e enviem dinheiro através do aplicativo.

“O Banco Central não proibiu a operação do WhatsApp. Ninguém proibiu nada. É uma decisão cautelar. Se seguir as condições, será permitido sem problemas”, afirmou o diretor, durante a live “PIX – A nova era dos meios de pagamento”, realizada na quinta feira, 16. 

No dia 23 de junho, o banco determinou que Mastercard e Visa suspendessem o uso do aplicativo para realizar os pagamentos e transferências de dinheiro.

Na época, o Banco Central informou que a decisão era para “preservar um adequado ambiente competitivo, que assegure o funcionamento de um sistema de pagamentos interoperável, rápido, seguro, transparente, aberto e barato”.

O diretor também disse que a nova modalidade lançada pelo WhatsApp é uma saída para dois casos: transferência entre pessoas e para pagamento de estabelecimento comercial.

Segundo ele, nos dois casos o BC deveria ter sido consultado antes da plataforma oferecer o serviço.

Foto de um iphone com a tela desbloqueada e aparecendo o ícone do WhatsApp para ilustrar o texto sobre pagamentos do WhatsApp
Em junho, o Banco Central determinou que o serviço de pagamentos do WhatsApp fosse suspenso

Comunicado sobre pagamentos pelo WhatsApp foi feito em junho

Em junho, o WhatsApp comunicou que o Brasil seria o primeiro país a receber a atualização da ferramenta para permitir transferência de dinheiro.

De acordo com o WhatsApp, o recurso facilita a transferência bancária entre os clientes diretamente na plataforma.

Além disso, a novidade anunciada também permite que contas do WhasApp Business — desenvolvido especialmente para empresas — também recebam pagamentos por serviços e produtos.

Veja como é o funcionamento do WhatsApp Pay

Por meio da plataforma, a pessoa poderá efetuar pagamentos por serviços e produtos. Se for o caso, também poderá enviar dinheiro para algum familiar ou amigo. Tudo feito diretamente no aplicativo.

De acordo com o WhatsApp, a nova modalidade será realizada por meio do Facebook Pay — serviços de pagamento do Facebook que permite comprar produtos e jogos, por exemplo.

O Facebook Pay, no entanto, não é um aplicativo. Portanto, é necessário configurar um cartão de débito ou crédito para conseguir usar a função de pagamentos no WhatsApp.

Ainda conforme o WhatsApp, o serviço não cobrará taxas dos usuários, seja para transferências via cartão de débito, seja para pagamentos via cartão de crédito e débito.

Como funcionaria o pagamento pelo aplicativo

Se liberado pelo Banco Central, o pagamento pelo WhatsApp funcionará da seguinte maneira:

–> haverá uma aba, no mesmo lugar do envio de imagens, chamada “pagamento”;

–> o usuário deverá clicar nela, e o aplicativo vai solicitar um valor e redirecioná-lo para a criação da conta;

–> será necessário aceitar os termos de uso da plataforma e criar uma senha;

–> em seguida, o usuário vai precisar informar nome, CPF e um cartão emitido por um dos bancos parceiros do aplicativo;

–> será obrigatório verificar o cartão junto ao banco, que em seguida enviará um código ao usuário por SMS, e-mail ou aplicativo do próprio banco.

Segundo o aplicativo, esse código servirá para impedir o cadastro de cartões furtados ou roubados, por exemplo.

De acordo com o WhatsApp, o uso da senha ou reconhecimento biométrico do celular será necessário toda vez que o usuário for enviar dinheiro.

E você, gostou do nosso texto sobre pagamentos pelo WhatsApp? Quer ficar por dentro de outros conteúdos? Então assine a nossa newsletter e receba as novidades diretamente no seu e-mail.

O que achou disso?

Deixei sua classificação

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Seja o primeiro a avaliar este post.

Camila Miranda
Nascida na Zona Oeste do Rio, me divido entre jornalismo e marketing digital. Com três anos de experiência em Comunicação, já trabalhei em redação de jornal impresso, webjornalismo e assessoria de imprensa. Hoje, faço gestão de mídias sociais e produção de conteúdo. Amo assuntos sobre as áreas cultural e política. Reclamo do transporte público.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Auxílio emergencial: confira calendário para os reavaliados

O Ministério da Cidadania publicou nesta sexta-feira, 27, um novo calendário de pagamento para as parcelas do auxílio emergencial. Este calendário é...

4 carreiras promissoras no setor de beleza para 2021

O segmento da beleza não para de crescer no Brasil. Nosso país, por exemplo, é considerado o terceiro maior mercado consumidor do...

Nubank x Inter: compare os cartões sem anuidade

Os cartões sem anuidade estão ganhando cada vez mais espaço no mercado e no coração dos brasileiros. Com tantas opções pode ser...

Black Friday 2020: confira os melhores sites e ofertas

Você já se preparou para as ofertas da Black Friday 2020? Está com a lista de compras feita e separada para aproveitar...

5 dicas para saber se uma loja virtual é confiável

A pandemia da Covid-19 impulsionou o e-commerce e a Black Friday deve alavancar ainda mais as vendas online. Cerca de 80% dos...

Salário mínimo na Suíça chega a R$25 mil

Você já se perguntou quanto é o salário mínimo na Suíça, mesmo que seja só por curiosidade? Se a resposta é sim,...