InícioNotíciasFinanças PessoaisSaiba por quanto tempo é preciso guardar boletos pagos

Saiba por quanto tempo é preciso guardar boletos pagos

4.1
(16)

Todo mês é a mesma coisa, pagamos boletos e contas dos mais diversos tipos, mas o que fazer com os comprovantes? Você sabe quanto tempo precisa guardar os boletos pagos?

No final de um ano, é inevitável que as gavetas fiquem cheias deles e a vontade de jogar fora também. Mas cuidado, diversos documentos devem ser guardados para evitar problemas legais.

Daí a importância de manter um arquivo com todos os documentos e contas que recebemos e emitimos, de forma a nos proteger de cobranças indevidas e resguardar nossos direitos.

Por isso, vamos explicar por quanto tempo é preciso guardar boletos pagos. Aliado a isso, também reunimos algumas dicas, a fim de auxiliar na organização de documentos da sua casa. Boa leitura!

Por quanto tempo devo guardar os boletos pagos?

Antes de explicarmos o tempo que é necessário armazenar os boletos pagos, você precisa conhecer a Lei Federal nº 12.007. Ela estabelece que empresas prestadoras de serviços devem enviar anualmente para os consumidores uma quitação anual de dívidas.

A concessionária pode emitir essa declaração de quitação de débitos na própria fatura ou enviar documento específico. Portanto, dê uma olhada nas faturas entre janeiro e maio para ver se há a informação “as faturas de consumo vencidas no ano X foram quitadas.”

Com essa informação sinalizada, só é necessário guardar boletos pagos determinado em lei. Caso você não receba a declaração anual de quitação de débitos, peça por telefone ou meio digital ao fornecedor e guarde a cópia do pedido com protocolo.

+ Descubra como pagar contas e boletos com o cartão de crédito

Prazos para armazenar boletos pagos

Descubra aqui o prazo do que deve ser guardado e o que pode ser jogado fora. Confira:

Imposto de Renda

Pessoas físicas devem guardar os documentos que foram utilizados na elaboração da Declaração de Imposto de Renda, assim como o próprio recibo e download do arquivo entregue, pelo prazo mínimo de cinco anos.

Além disso, é necessário arquivar os documentos de comprovação das deduções da declaração, como recibos, notas fiscais, extratos bancários, holerites e comprovantes de rendimentos bancários e do trabalho.

IPTU, IPVA e outros impostos

Recibos de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) deverão ser guardados por cinco anos, segundo o Código Tributário Nacional.

Notas fiscais

As notas fiscais devem ser guardadas durante toda a vida útil do produto como forma de proteger o consumidor caso ele precise reclamar de eventuais defeitos no aparelho. 

Embora o prazo de garantia de produtos duráveis seja de 90 dias, é possível que surjam casos de vício oculto (defeito que aparece após a garantia do fabricante) – em casos assim, o prazo para reclamação do defeito começa quando o consumidor tomar conhecimento do problema.

Água, luz, telefone, internet, escola, universidade

Recibos de serviços de prestação contínua, casos das contas de água, luz, telefone, internet, escola, universidade e até do cartão de crédito, devem ser guardados por um ano.

Após esse prazo, os recibos mensais podem ser substituídos pela declaração anual de quitação enviada pelo prestador de serviços.

Aluguel: durante a vigência do contrato

Guarde os recibos por todo o período do contrato de aluguel e condomínio.

Ao encerrar o contrato, a recomendação é que os recibos de aluguel sejam guardados por três anos, que é o prazo que o proprietário tem para cobrar valores em atraso.

Os recibos de condomínio de contratos encerrados devem ser guardados por cinco anos.

Condomínio

As declarações de quitação do pagamento do condomínio devem ser guardadas durante todo o período em que o morador estiver no imóvel.

Depois de sair do imóvel, guarde-os por 5 anos.

Plano de saúde e convênio médico

 A lógica é a mesma do Imposto de Renda.

Se o documento for usado na declaração de IR, deve ser guardado por 5 anos.

A proposta e contrato devem ser guardados por todo o período em que estiver como conveniado.

Os recibos dos 12 meses anteriores ao último reajuste devem ser guardados por todo o período de contratação.

+ Conheça os 3 tipos de boletos bancários e suas diferenças

Documentos trabalhistas

Esse tipo de documento precisa de uma atenção especial.

Dependendo da situação, é recomendado armazenar documentos trabalhistas por 10 anos, como a folha de pagamento e o registro eletrônico. 

Documentos comprobatórios para a aposentadoria

O armazenamento desses documentos deve ser de 20 anos.

Fundo de Garantia do tempo de Serviço (FGTS)

Este documento é recomendado que seja guardado por 30 anos. O mesmo acontece para o Guia recolhimento do FGTS e informações à Previdência Social (GFIP) e o Guia de recolhimento rescisório do FGTS e da contribuição social (GRFC).

imagem de pasta para organizar boletos
Tenha determinados papéis na gaveta para reclamar de problemas em produtos ou serviços e evitar cobranças indevidas

Como organizar documentos: dicas essenciais

 Como visto acima, você terá que guardá-los por algum tempo. Ou seja, a possibilidade de perda é grande. Para que isso não aconteça é necessário muita organização.

Assim, você economiza espaço, tempo para encontrar, espaço e até mesmo dinheiro. Afinal, documentos perdidos ou mal conservados podem te fazer gastar com taxas, segundas vias e até multas.

Portanto, o primeiro passo para guardar boletos pagos é providenciar pastas e etiquetas. Nela, organize os documentos.

Outra dica é digitalizar tudo. Hoje em dia existem aplicativos que permitem fotografar os documentos e, em seguida, convertê-los em PDF. Depois guarde em alguma pasta do seu computador ou na nuvem. Contudo, ainda assim, é preciso cautela. Nem sempre a cópia digitalizada substitui a original.

Isso acontece porque nem sempre a cópia digitalizada substitui a original. Embora os tribunais reconheçam a força probante das cópias digitalizadas, elas possuem uma presunção relativa de veracidade.

A mesma legislação que confere validade a tais documentos, prevê a possibilidade de arguição de falsidade. Nesse caso, a única defesa é apresentar o documento original.

Caso você não tenha feito nada disso e perdeu algum documento, calma! O comprovante de pagamento pode ser requisitado ao banco. Afinal, o extrato bancário não é suficiente para demonstrar que a dívida foi paga.

Este post sobre guardar boletos pagos foi útil para você? Assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos sobre o assunto em primeira mão e diretamente no seu e-mail.

O que achou disso?

Média da classificação 4.1 / 5. Número de votos: 16

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?

Rafael Massadar
Rafael Massadar
Carioca, amante de esportes e de viagens. Escolhi o jornalismo porque ele vive pelo mundo e conta histórias de pessoas e realidades distintas. Tenho experiência em redação e assessoria de imprensa. Atualmente, trabalho numa agência de marketing digital.

Assine nossa newsletter!

Páginas Populares

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

InícioNotíciasFinanças PessoaisSaiba por quanto tempo é preciso guardar boletos pagos

Saiba por quanto tempo é preciso guardar boletos pagos

4.1
(16)

Todo mês é a mesma coisa, pagamos boletos e contas dos mais diversos tipos, mas o que fazer com os comprovantes? Você sabe quanto tempo precisa guardar os boletos pagos?

No final de um ano, é inevitável que as gavetas fiquem cheias deles e a vontade de jogar fora também. Mas cuidado, diversos documentos devem ser guardados para evitar problemas legais.

Daí a importância de manter um arquivo com todos os documentos e contas que recebemos e emitimos, de forma a nos proteger de cobranças indevidas e resguardar nossos direitos.

Por isso, vamos explicar por quanto tempo é preciso guardar boletos pagos. Aliado a isso, também reunimos algumas dicas, a fim de auxiliar na organização de documentos da sua casa. Boa leitura!

Por quanto tempo devo guardar os boletos pagos?

Antes de explicarmos o tempo que é necessário armazenar os boletos pagos, você precisa conhecer a Lei Federal nº 12.007. Ela estabelece que empresas prestadoras de serviços devem enviar anualmente para os consumidores uma quitação anual de dívidas.

A concessionária pode emitir essa declaração de quitação de débitos na própria fatura ou enviar documento específico. Portanto, dê uma olhada nas faturas entre janeiro e maio para ver se há a informação “as faturas de consumo vencidas no ano X foram quitadas.”

Com essa informação sinalizada, só é necessário guardar boletos pagos determinado em lei. Caso você não receba a declaração anual de quitação de débitos, peça por telefone ou meio digital ao fornecedor e guarde a cópia do pedido com protocolo.

+ Descubra como pagar contas e boletos com o cartão de crédito

Prazos para armazenar boletos pagos

Descubra aqui o prazo do que deve ser guardado e o que pode ser jogado fora. Confira:

Imposto de Renda

Pessoas físicas devem guardar os documentos que foram utilizados na elaboração da Declaração de Imposto de Renda, assim como o próprio recibo e download do arquivo entregue, pelo prazo mínimo de cinco anos.

Além disso, é necessário arquivar os documentos de comprovação das deduções da declaração, como recibos, notas fiscais, extratos bancários, holerites e comprovantes de rendimentos bancários e do trabalho.

IPTU, IPVA e outros impostos

Recibos de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) deverão ser guardados por cinco anos, segundo o Código Tributário Nacional.

Notas fiscais

As notas fiscais devem ser guardadas durante toda a vida útil do produto como forma de proteger o consumidor caso ele precise reclamar de eventuais defeitos no aparelho. 

Embora o prazo de garantia de produtos duráveis seja de 90 dias, é possível que surjam casos de vício oculto (defeito que aparece após a garantia do fabricante) – em casos assim, o prazo para reclamação do defeito começa quando o consumidor tomar conhecimento do problema.

Água, luz, telefone, internet, escola, universidade

Recibos de serviços de prestação contínua, casos das contas de água, luz, telefone, internet, escola, universidade e até do cartão de crédito, devem ser guardados por um ano.

Após esse prazo, os recibos mensais podem ser substituídos pela declaração anual de quitação enviada pelo prestador de serviços.

Aluguel: durante a vigência do contrato

Guarde os recibos por todo o período do contrato de aluguel e condomínio.

Ao encerrar o contrato, a recomendação é que os recibos de aluguel sejam guardados por três anos, que é o prazo que o proprietário tem para cobrar valores em atraso.

Os recibos de condomínio de contratos encerrados devem ser guardados por cinco anos.

Condomínio

As declarações de quitação do pagamento do condomínio devem ser guardadas durante todo o período em que o morador estiver no imóvel.

Depois de sair do imóvel, guarde-os por 5 anos.

Plano de saúde e convênio médico

 A lógica é a mesma do Imposto de Renda.

Se o documento for usado na declaração de IR, deve ser guardado por 5 anos.

A proposta e contrato devem ser guardados por todo o período em que estiver como conveniado.

Os recibos dos 12 meses anteriores ao último reajuste devem ser guardados por todo o período de contratação.

+ Conheça os 3 tipos de boletos bancários e suas diferenças

Documentos trabalhistas

Esse tipo de documento precisa de uma atenção especial.

Dependendo da situação, é recomendado armazenar documentos trabalhistas por 10 anos, como a folha de pagamento e o registro eletrônico. 

Documentos comprobatórios para a aposentadoria

O armazenamento desses documentos deve ser de 20 anos.

Fundo de Garantia do tempo de Serviço (FGTS)

Este documento é recomendado que seja guardado por 30 anos. O mesmo acontece para o Guia recolhimento do FGTS e informações à Previdência Social (GFIP) e o Guia de recolhimento rescisório do FGTS e da contribuição social (GRFC).

imagem de pasta para organizar boletos
Tenha determinados papéis na gaveta para reclamar de problemas em produtos ou serviços e evitar cobranças indevidas

Como organizar documentos: dicas essenciais

 Como visto acima, você terá que guardá-los por algum tempo. Ou seja, a possibilidade de perda é grande. Para que isso não aconteça é necessário muita organização.

Assim, você economiza espaço, tempo para encontrar, espaço e até mesmo dinheiro. Afinal, documentos perdidos ou mal conservados podem te fazer gastar com taxas, segundas vias e até multas.

Portanto, o primeiro passo para guardar boletos pagos é providenciar pastas e etiquetas. Nela, organize os documentos.

Outra dica é digitalizar tudo. Hoje em dia existem aplicativos que permitem fotografar os documentos e, em seguida, convertê-los em PDF. Depois guarde em alguma pasta do seu computador ou na nuvem. Contudo, ainda assim, é preciso cautela. Nem sempre a cópia digitalizada substitui a original.

Isso acontece porque nem sempre a cópia digitalizada substitui a original. Embora os tribunais reconheçam a força probante das cópias digitalizadas, elas possuem uma presunção relativa de veracidade.

A mesma legislação que confere validade a tais documentos, prevê a possibilidade de arguição de falsidade. Nesse caso, a única defesa é apresentar o documento original.

Caso você não tenha feito nada disso e perdeu algum documento, calma! O comprovante de pagamento pode ser requisitado ao banco. Afinal, o extrato bancário não é suficiente para demonstrar que a dívida foi paga.

Este post sobre guardar boletos pagos foi útil para você? Assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos sobre o assunto em primeira mão e diretamente no seu e-mail.

O que achou disso?

Média da classificação 4.1 / 5. Número de votos: 16

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?