Cursos que transformam sua vida financeira
Mais
    InícioNotíciasInvestimentosTaxa de custódia do Tesouro Direto: você sabe o que é? Veja...

    Taxa de custódia do Tesouro Direto: você sabe o que é? Veja como funciona!

    4.3
    (19)

    Você costuma investir em títulos públicos? Ou está pensando em aplicar dinheiro nesse tipo de investimento? Então talvez já tenha escutado falar sobre a taxa de custódia do Tesouro Direto.

    Publicidade

    Mas sabe o que é? Como funciona? Quando e como essa taxa é cobrada?

    Se você investe no Tesouro Direto, é provável que tenha visto propagandas de corretoras dizendo que é possível aplicar nesse tipo de investimento com taxa zero.

    Porém, o custo da taxa de custódia é um que as corretoras não podem eliminar, para a sua própria segurança. Quer saber o motivo?

    Antes disso, é importante entender o que é a taxa de custódia do Tesouro Direto. Continue lendo este artigo para saber tudo a respeito!

    O que é a Taxa de Custódia do Tesouro Direto?

    Essa taxa é cobrada para custodiar os títulos públicos em que você investe pelo sistema do Tesouro. Mantendo assim a aplicação vinculada ao seu CPF.

    Publicidade

    Além disso, a taxa de custódia do Tesouro Direto remunera a B3 (antiga BM&F Bovespa), a bolsa de valores oficial do Brasil, pelos serviços de:

    • guarda dos títulos
    • manutenção do sistema
    • envio de extratos mensais aos investidores

    Sendo assim, não importa a corretora pela qual você invista, sempre haverá a taxa de custódia da B3.

    Vale ressaltar que a Bolsa é parceira operacional do Tesouro Nacional. Sendo assim, é possível oferecer títulos públicos para pessoas físicas por meio do programa Tesouro Direto.

    E é a B3 que cuida de tudo para que o dinheiro esteja protegido.

    Qual é o valor da Taxa de custódia?

    Até o final de 2021 a taxa de custódia do Tesouro Direto é de 0,25% do valor dos papéis. Mas a partir de 1º de janeiro de 2022 ela passará a ser 0,20%.

    Publicidade

    A redução foi anunciada pelo secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, no encerramento da Semana do Investidor, no dia 7 de outubro.

    De acordo com ele, o objetivo é baratear de forma permanente a taxa cobrada pela bolsa de valores.

    Quando o Tesouro Direto foi criado, em 2002, os bancos e as corretoras cobravam uma taxa de administração e a B3 tinha a taxa de custódia. Na época, ela era de 0,50%.

    Depois de alguns anos as taxas de administração deixaram de existir e a taxa de custódia caiu progressivamente.

    Até 2019 ela era de 0,30%, então caiu para 0,25%. Agora passará a ser de 0,20%.

    Publicidade

    Como é cobrada a taxa de custódia do Tesouro Direto

    Agora que você já sabe o que é a taxa de custódia do Tesouro Direto, deve estar se perguntando como ela é cobrada. Essa taxa é debitada automaticamente da sua conta na corretora.

    Dessa forma, é importante ter recursos em caixa para que o débito seja realizado.

    Mão com caneta escrevendo em um papel com gráficos e calculadora
    A taxa de custódia do Tesouro Direto está em 0,25%

    E para te ajudar a lembrar do débito, alguns dias antes de cobrar a taxa, o Tesouro Nacional envia um e-mail avisando qual valor será cobrado.

    Além disso, a taxa de custódia do Tesouro Direto é calculada todos os dias, com base no saldo diário de títulos das pessoas que investem.

    A taxa é de 0,25% ao ano, transformada em uma taxa diária pequena. Esta é equivalente ao valor da custódia de cada dia desde que os títulos foram comprados.

    A cobrança também é feita semestralmente: metade do valor é pago no primeiro dia útil de janeiro, enquanto a outra metade no primeiro dia útil de julho.

    Mas vale ressaltar que a cobrança pode ser antecipada na ocorrência dos seguintes eventos:

    -> Pagamento de juros em títulos com juros semestrais: algumas aplicações pagam os juros por semestres. É o caso do Tesouro Prefixado com Juros Semestrais. Sendo assim, a cobrança da taxa acontece no recolhimento desses juros;

    -> Resgate antecipado do título: a cobrança acontece na sua conta da corretora. É cobrado o valor proporcional entre a última cobrança e o dia do resgate;

    -> Vencimento do título: é quando chega a data do vencimento do título. A taxa também será proporcional, desde a última cobrança realizada. Acontece da mesma forma que no resgate antecipado.

    Vale ressaltar ainda que essa regra é válida somente para os investimentos de renda fixa no Tesouro Direto. 

    Além disso, não existe taxa de custódia zero. Caso você tenha visto isso por aí, significa que a taxa zero é da corretora. Ela pode optar em não cobrar dos investidores, porém a taxa de custódia é obrigatória.

    Como é calculada a taxa de custódia do Tesouro Direto

    O cálculo da taxa de custódia do Tesouro Direto consiste em descontar 0,25% do total aplicado.

    Para te ajudar a entender melhor, vamos a um exemplo prático. Pense que você investiu R$1.000 no Tesouro Selic.

    Com a taxa a 6,50% ao ano, a rentabilidade bruta, em um ano, será de R$65,11.

    Depois, é necessário multiplicar 0,25% sobre o R$1.065,11. Com isso, a taxa de custódia do Tesouro Direto da aplicação ficará em R$2,66.

    Com a taxa de 0,30% ao ano, como era anteriormente, o resultado seria de R$3,19. Mesmo que a redução tenha sido pequena, em valores maiores, ela pode se tornar bastante significativa.

    É importante frisar que a taxa de custódia é cobrada somente até o saldo limite de R$5 milhões em títulos públicos, por pessoa que investe e em cada instituição financeira.

    Taxas do Tesouro Direto: quais são e quanto custam?

    Tesouro Direto é um tipo de investimento de renda fixa. Isso significa que, ao aplicar nessa modalidade, você já saberá o valor da remuneração no momento da aplicação.

    As regras vão determinar quanto tempo o dinheiro precisa ficar investido e quanto vai render.

    Mas, assim como praticamente todos os investimentos, existem taxas do Tesouro Direto.

    Gostou do conteúdo? Então compartilhe com os seus amigos investidores!

    O que achou disso?

    Média da classificação 4.3 / 5. Número de votos: 19

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?

    Redação
    Redação
    O FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde 2003, publicamos conteúdos que buscam traduzir desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa. Nossa missão é mostrar que qualquer pessoa pode ter controle financeiro e fazer as escolhas certas. Assim como ter no dinheiro um aliado para viver bem e conquistar seus sonhos.

    Artigos Relacionados

    Assine nossa newsletter!

    Páginas Populares

    7 COMENTÁRIOS

    1. Olá, tudo bem? Meu nome é Nery Neto. Quero parabenizar pelo artigo. Está muito elucidativo e sucinto. Parabéns.

      O único ponto de melhoria seria a correção do cálculo da taxa de custódia do tesouro direto: O valor de 26,62 corresponde a 2,5% do montante 1.065,11. Então seria necessário aumentar o montante para 10.651,10 ou reduzir a taxa para 2,66.

      Fora isso foi de muita valia. Muito obrigado pelo conteúdo.

    2. Boa noite! Eu gostaria de entender o cálculo da remuneração bruta. Por que a remuneração bruta é 65,11 e não 65? Poderiam indicar a fórmula utilizada? Desde já agradeço a atenção.

    3. A taxa de custódia do exemplo resulta em R$ 2,66 em vez de R$ 26,62. Não é possível deixarem um erro grosseiro desse no site.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    InícioNotíciasInvestimentosTaxa de custódia do Tesouro Direto: você sabe o que é? Veja...

    Taxa de custódia do Tesouro Direto: você sabe o que é? Veja como funciona!

    4.3
    (19)

    Você costuma investir em títulos públicos? Ou está pensando em aplicar dinheiro nesse tipo de investimento? Então talvez já tenha escutado falar sobre a taxa de custódia do Tesouro Direto.

    Publicidade

    Mas sabe o que é? Como funciona? Quando e como essa taxa é cobrada?

    Se você investe no Tesouro Direto, é provável que tenha visto propagandas de corretoras dizendo que é possível aplicar nesse tipo de investimento com taxa zero.

    Porém, o custo da taxa de custódia é um que as corretoras não podem eliminar, para a sua própria segurança. Quer saber o motivo?

    Antes disso, é importante entender o que é a taxa de custódia do Tesouro Direto. Continue lendo este artigo para saber tudo a respeito!

    O que é a Taxa de Custódia do Tesouro Direto?

    Essa taxa é cobrada para custodiar os títulos públicos em que você investe pelo sistema do Tesouro. Mantendo assim a aplicação vinculada ao seu CPF.

    Publicidade

    Além disso, a taxa de custódia do Tesouro Direto remunera a B3 (antiga BM&F Bovespa), a bolsa de valores oficial do Brasil, pelos serviços de:

    • guarda dos títulos
    • manutenção do sistema
    • envio de extratos mensais aos investidores

    Sendo assim, não importa a corretora pela qual você invista, sempre haverá a taxa de custódia da B3.

    Vale ressaltar que a Bolsa é parceira operacional do Tesouro Nacional. Sendo assim, é possível oferecer títulos públicos para pessoas físicas por meio do programa Tesouro Direto.

    E é a B3 que cuida de tudo para que o dinheiro esteja protegido.

    Qual é o valor da Taxa de custódia?

    Até o final de 2021 a taxa de custódia do Tesouro Direto é de 0,25% do valor dos papéis. Mas a partir de 1º de janeiro de 2022 ela passará a ser 0,20%.

    Publicidade

    A redução foi anunciada pelo secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, no encerramento da Semana do Investidor, no dia 7 de outubro.

    De acordo com ele, o objetivo é baratear de forma permanente a taxa cobrada pela bolsa de valores.

    Quando o Tesouro Direto foi criado, em 2002, os bancos e as corretoras cobravam uma taxa de administração e a B3 tinha a taxa de custódia. Na época, ela era de 0,50%.

    Depois de alguns anos as taxas de administração deixaram de existir e a taxa de custódia caiu progressivamente.

    Até 2019 ela era de 0,30%, então caiu para 0,25%. Agora passará a ser de 0,20%.

    Publicidade

    Como é cobrada a taxa de custódia do Tesouro Direto

    Agora que você já sabe o que é a taxa de custódia do Tesouro Direto, deve estar se perguntando como ela é cobrada. Essa taxa é debitada automaticamente da sua conta na corretora.

    Dessa forma, é importante ter recursos em caixa para que o débito seja realizado.

    Mão com caneta escrevendo em um papel com gráficos e calculadora
    A taxa de custódia do Tesouro Direto está em 0,25%

    E para te ajudar a lembrar do débito, alguns dias antes de cobrar a taxa, o Tesouro Nacional envia um e-mail avisando qual valor será cobrado.

    Além disso, a taxa de custódia do Tesouro Direto é calculada todos os dias, com base no saldo diário de títulos das pessoas que investem.

    A taxa é de 0,25% ao ano, transformada em uma taxa diária pequena. Esta é equivalente ao valor da custódia de cada dia desde que os títulos foram comprados.

    A cobrança também é feita semestralmente: metade do valor é pago no primeiro dia útil de janeiro, enquanto a outra metade no primeiro dia útil de julho.

    Mas vale ressaltar que a cobrança pode ser antecipada na ocorrência dos seguintes eventos:

    -> Pagamento de juros em títulos com juros semestrais: algumas aplicações pagam os juros por semestres. É o caso do Tesouro Prefixado com Juros Semestrais. Sendo assim, a cobrança da taxa acontece no recolhimento desses juros;

    -> Resgate antecipado do título: a cobrança acontece na sua conta da corretora. É cobrado o valor proporcional entre a última cobrança e o dia do resgate;

    -> Vencimento do título: é quando chega a data do vencimento do título. A taxa também será proporcional, desde a última cobrança realizada. Acontece da mesma forma que no resgate antecipado.

    Vale ressaltar ainda que essa regra é válida somente para os investimentos de renda fixa no Tesouro Direto. 

    Além disso, não existe taxa de custódia zero. Caso você tenha visto isso por aí, significa que a taxa zero é da corretora. Ela pode optar em não cobrar dos investidores, porém a taxa de custódia é obrigatória.

    Como é calculada a taxa de custódia do Tesouro Direto

    O cálculo da taxa de custódia do Tesouro Direto consiste em descontar 0,25% do total aplicado.

    Para te ajudar a entender melhor, vamos a um exemplo prático. Pense que você investiu R$1.000 no Tesouro Selic.

    Com a taxa a 6,50% ao ano, a rentabilidade bruta, em um ano, será de R$65,11.

    Depois, é necessário multiplicar 0,25% sobre o R$1.065,11. Com isso, a taxa de custódia do Tesouro Direto da aplicação ficará em R$2,66.

    Com a taxa de 0,30% ao ano, como era anteriormente, o resultado seria de R$3,19. Mesmo que a redução tenha sido pequena, em valores maiores, ela pode se tornar bastante significativa.

    É importante frisar que a taxa de custódia é cobrada somente até o saldo limite de R$5 milhões em títulos públicos, por pessoa que investe e em cada instituição financeira.

    Taxas do Tesouro Direto: quais são e quanto custam?

    Tesouro Direto é um tipo de investimento de renda fixa. Isso significa que, ao aplicar nessa modalidade, você já saberá o valor da remuneração no momento da aplicação.

    As regras vão determinar quanto tempo o dinheiro precisa ficar investido e quanto vai render.

    Mas, assim como praticamente todos os investimentos, existem taxas do Tesouro Direto.

    Gostou do conteúdo? Então compartilhe com os seus amigos investidores!

    O que achou disso?

    Média da classificação 4.3 / 5. Número de votos: 19

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?