Cursos que transformam sua vida financeira
Mais
    InícioNotíciasInvestimentosTesouro Direto: saiba qual a melhor opção para você

    Tesouro Direto: saiba qual a melhor opção para você

    5
    (2)

    O Tesouro Direto é um investimento que tem conquistado cada vez mais os brasileiros. Isso porque na plataforma desta aplicação é possível investir em diversas opções de títulos públicos, tudo de forma simples e rápida.

    Publicidade

    Além da facilidade e a falta de burocracia, duas vantagens que são levadas em consideração pelos investidores, também é preciso saber que existem três tipos diferentes de títulos públicos.

    Mas como escolher qual a melhor opção de títulos do Tesouro Direto para você? Tenha em mente que a melhor forma é sempre conhecendo bem os tipos de investimentos que existem. 

    Sendo assim, com os títulos públicos do Tesouro Direto não seria diferente. É preciso saber o que cada um tem a oferecer e qual é o que vai atender melhor às suas necessidades e objetivos.

    Vale ressaltar ainda que as novas modalidades de aplicações do Tesouro Direto já estão inseridas nos três tipos que iremos abordar durante esse artigo.

    Tesouro Direto: entenda o que é esse investimento

    Antes de qualquer coisa é preciso entender o que é o Tesouro Direto, para somente depois começar a pensar em aplicar nos títulos públicos desse investimento.

    Publicidade

    Ele é um programa com o objetivo de facilitar o acesso dos brasileiros aos investimentos em títulos públicos do Governo Federal. E desde a criação, pelo Tesouro Nacional, em conjunto com a Bolsa de Valores, em 2002, já foram abertas milhares de carteiras de investimentos.

    Antes disso, quem quisesse investir precisava procurar por alguma instituição financeira para que fosse possível aplicar o dinheiro em algum tipo de investimento.

    Uma vantagem do Tesouro Direto é que com ele você pode começar a investir com um valor a partir de R$30. E esse pode ser considerado um dos motivos que tornou o investimento tão popular, o valor baixo para começar.

    Conheça as opções de títulos públicos para investir

    Agora que você já sabe o que é o Tesouro Direto, está na hora de conhecer as opções de títulos públicos que existem para você começar a investir. Confira abaixo as principais aplicações e suas características.

    Tesouro Selic

    Este é o título do Tesouro que acompanha a taxa Selic diária. Por conta disso, o investidor consegue acompanhar o crescimento do patrimônio diariamente. Uma das vantagens é que para começar a investir é preciso aplicar a partir de R$107.

    Publicidade

    Outro benefício é que você pode resgatar o dinheiro a qualquer hora, sem precisar esperar o dia certo para isso. Vale ressaltar que por esse motivo, essa aplicação é muito utilizada como reserva de emergência.

    + Confira os investimentos que se tornam mais rentáveis com a alta da SELIC

    Tesouro IPCA+

    Este, é conhecido por ser um título híbrido do Tesouro Direto Nele, a rentabilidade é composta por uma taxa prefixada acrescida da inflação.

    Por isso, é considerado por muitos o investimento ideal para quem deseja proteger o dinheiro da inflação – principalmente a quem quer fazer o dinheiro render a longo prazo. 

    tela do gráfico tesouro direto
    Para quem quer investir no Tesouro Direto, existem três opções

    Outro ponto importante a ser citado é que o Tesouro IPCA+ é um investimento de renda fixa. Por isso, a aplicação paga juros anuais mais a variação da inflação oficial do Brasil. 

    O investimento mínimo é de R$40, podendo ser resgatado sempre no vencimento. Ele é bastante usado em casos de aposentadoria e tem como garantia o tesouro nacional.

    Publicidade

    Um ponto importante também é sobre a rentabilidade. Soma-se o IPCA + a taxa préfixada.

    Título Prefixado

    Por último, e também importante, temos o título pré ou prefixado. Este é o que possui uma taxa de rentabilidade pré definida no momento da aplicação. 

    Deste modo, o investidor já sabe, logo no momento do aporte, qual será a rentabilidade da aplicação no vencimento do título.

    O seu investimento mínimo é de R$32, com resgate no vencimento. Ele costuma ser mais usado para garantir certa estabilidade.

    A rentabilidade ocorre pela taxa prefixada e, também, tem garantia no Tesouro Nacional.

    Vendas do Tesouro Direto chega a R$3,5 bilhões em janeiro

    Ainda não se convenceu de que o Tesouro Direto é um bom investimento para você? Então saiba, que somente em janeiro deste ano, as vendas de títulos públicos registraram R$3,5 bilhões.

    Para se ter uma ideia, esse valor é maior em mais de R$1 bilhão quando comparado com os resgates, que foram de R$2,47 bilhões, no mesmo mês. Os dados são do Tesouro Nacional.

    Esses valores altos se deram pelo fato do número de operações contabilizadas terem sido grandes. No mês de janeiro foram realizadas 552.466 transações.

    Vale ressaltar ainda que do valor total resgatado, R$1,556 bilhões é referente a recompras, enquanto R$920,7 milhões são relativos a vencimentos. Dessa forma, o mês registrou 1.827.392 pessoas com saldo em aplicações no investimento.

    E a boa notícia é que isso representa uma alta de 13,2 mil quando comparado com o mês de dezembro.

    + Tesouro Direto: 8 curiosidades que você precisa saber

    Neste momento você deve estar se perguntando quais foram os títulos mais procurados, certo? É claro que foram aqueles que estão indexados à taxa básica de juros, que tiveram um total de 50,5% das participações de vendas.

    Mas também tiveram outras aplicações que se destacaram no mês de janeiro, que são os títulos ligados à inflação, como é o caso do Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com juros semestrais.

    Essas aplicações tiveram uma participação de 35,7% do total. Os prefixados totalizaram 13,8% das participações.

    Enquanto isso, nas recompras, que são os resgates antecipados, o que predominou foi os títulos indexados à taxa Selic, somando R$856,45 milhões (55,03%). Os títulos remunerados por índices de preços totalizaram R$427,27 milhões (27,45%), os prefixados, R$272,69 milhões (17,52%).

    E aí, agora que você já conhece as três opções e modalidades do Tesouro Direto, já sabe qual melhor se encaixa no seu perfil? Comenta e conta pra gente a que você escolhe ou escolheria e compartilhe com alguém este artigo!

    O que achou disso?

    Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?

    Redação
    Redação
    O FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde 2003, publicamos conteúdos que buscam traduzir desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa. Nossa missão é mostrar que qualquer pessoa pode ter controle financeiro e fazer as escolhas certas. Assim como ter no dinheiro um aliado para viver bem e conquistar seus sonhos.

    Artigos Relacionados

    Assine nossa newsletter!

    Páginas Populares

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    InícioNotíciasInvestimentosTesouro Direto: saiba qual a melhor opção para você

    Tesouro Direto: saiba qual a melhor opção para você

    5
    (2)

    O Tesouro Direto é um investimento que tem conquistado cada vez mais os brasileiros. Isso porque na plataforma desta aplicação é possível investir em diversas opções de títulos públicos, tudo de forma simples e rápida.

    Publicidade

    Além da facilidade e a falta de burocracia, duas vantagens que são levadas em consideração pelos investidores, também é preciso saber que existem três tipos diferentes de títulos públicos.

    Mas como escolher qual a melhor opção de títulos do Tesouro Direto para você? Tenha em mente que a melhor forma é sempre conhecendo bem os tipos de investimentos que existem. 

    Sendo assim, com os títulos públicos do Tesouro Direto não seria diferente. É preciso saber o que cada um tem a oferecer e qual é o que vai atender melhor às suas necessidades e objetivos.

    Vale ressaltar ainda que as novas modalidades de aplicações do Tesouro Direto já estão inseridas nos três tipos que iremos abordar durante esse artigo.

    Tesouro Direto: entenda o que é esse investimento

    Antes de qualquer coisa é preciso entender o que é o Tesouro Direto, para somente depois começar a pensar em aplicar nos títulos públicos desse investimento.

    Publicidade

    Ele é um programa com o objetivo de facilitar o acesso dos brasileiros aos investimentos em títulos públicos do Governo Federal. E desde a criação, pelo Tesouro Nacional, em conjunto com a Bolsa de Valores, em 2002, já foram abertas milhares de carteiras de investimentos.

    Antes disso, quem quisesse investir precisava procurar por alguma instituição financeira para que fosse possível aplicar o dinheiro em algum tipo de investimento.

    Uma vantagem do Tesouro Direto é que com ele você pode começar a investir com um valor a partir de R$30. E esse pode ser considerado um dos motivos que tornou o investimento tão popular, o valor baixo para começar.

    Conheça as opções de títulos públicos para investir

    Agora que você já sabe o que é o Tesouro Direto, está na hora de conhecer as opções de títulos públicos que existem para você começar a investir. Confira abaixo as principais aplicações e suas características.

    Tesouro Selic

    Este é o título do Tesouro que acompanha a taxa Selic diária. Por conta disso, o investidor consegue acompanhar o crescimento do patrimônio diariamente. Uma das vantagens é que para começar a investir é preciso aplicar a partir de R$107.

    Publicidade

    Outro benefício é que você pode resgatar o dinheiro a qualquer hora, sem precisar esperar o dia certo para isso. Vale ressaltar que por esse motivo, essa aplicação é muito utilizada como reserva de emergência.

    + Confira os investimentos que se tornam mais rentáveis com a alta da SELIC

    Tesouro IPCA+

    Este, é conhecido por ser um título híbrido do Tesouro Direto Nele, a rentabilidade é composta por uma taxa prefixada acrescida da inflação.

    Por isso, é considerado por muitos o investimento ideal para quem deseja proteger o dinheiro da inflação – principalmente a quem quer fazer o dinheiro render a longo prazo. 

    tela do gráfico tesouro direto
    Para quem quer investir no Tesouro Direto, existem três opções

    Outro ponto importante a ser citado é que o Tesouro IPCA+ é um investimento de renda fixa. Por isso, a aplicação paga juros anuais mais a variação da inflação oficial do Brasil. 

    O investimento mínimo é de R$40, podendo ser resgatado sempre no vencimento. Ele é bastante usado em casos de aposentadoria e tem como garantia o tesouro nacional.

    Publicidade

    Um ponto importante também é sobre a rentabilidade. Soma-se o IPCA + a taxa préfixada.

    Título Prefixado

    Por último, e também importante, temos o título pré ou prefixado. Este é o que possui uma taxa de rentabilidade pré definida no momento da aplicação. 

    Deste modo, o investidor já sabe, logo no momento do aporte, qual será a rentabilidade da aplicação no vencimento do título.

    O seu investimento mínimo é de R$32, com resgate no vencimento. Ele costuma ser mais usado para garantir certa estabilidade.

    A rentabilidade ocorre pela taxa prefixada e, também, tem garantia no Tesouro Nacional.

    Vendas do Tesouro Direto chega a R$3,5 bilhões em janeiro

    Ainda não se convenceu de que o Tesouro Direto é um bom investimento para você? Então saiba, que somente em janeiro deste ano, as vendas de títulos públicos registraram R$3,5 bilhões.

    Para se ter uma ideia, esse valor é maior em mais de R$1 bilhão quando comparado com os resgates, que foram de R$2,47 bilhões, no mesmo mês. Os dados são do Tesouro Nacional.

    Esses valores altos se deram pelo fato do número de operações contabilizadas terem sido grandes. No mês de janeiro foram realizadas 552.466 transações.

    Vale ressaltar ainda que do valor total resgatado, R$1,556 bilhões é referente a recompras, enquanto R$920,7 milhões são relativos a vencimentos. Dessa forma, o mês registrou 1.827.392 pessoas com saldo em aplicações no investimento.

    E a boa notícia é que isso representa uma alta de 13,2 mil quando comparado com o mês de dezembro.

    + Tesouro Direto: 8 curiosidades que você precisa saber

    Neste momento você deve estar se perguntando quais foram os títulos mais procurados, certo? É claro que foram aqueles que estão indexados à taxa básica de juros, que tiveram um total de 50,5% das participações de vendas.

    Mas também tiveram outras aplicações que se destacaram no mês de janeiro, que são os títulos ligados à inflação, como é o caso do Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com juros semestrais.

    Essas aplicações tiveram uma participação de 35,7% do total. Os prefixados totalizaram 13,8% das participações.

    Enquanto isso, nas recompras, que são os resgates antecipados, o que predominou foi os títulos indexados à taxa Selic, somando R$856,45 milhões (55,03%). Os títulos remunerados por índices de preços totalizaram R$427,27 milhões (27,45%), os prefixados, R$272,69 milhões (17,52%).

    E aí, agora que você já conhece as três opções e modalidades do Tesouro Direto, já sabe qual melhor se encaixa no seu perfil? Comenta e conta pra gente a que você escolhe ou escolheria e compartilhe com alguém este artigo!

    O que achou disso?

    Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?