Algodão, milho e soja geram maior riqueza no campo

Escrito por: Tamires Silva em 17 de fevereiro de 2020

Um estudo realizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) apontou que a produção de algodão, milho e soja gera maior riqueza no campo.

A conclusão foi possível após o cruzamento de dados sobre valor de produção agrícola com informações do PIB per capita (Produto Interno Bruto por habitante).

Entre os principais municípios agrícolas, aqueles que lideram o valor da produção de algodão herbáceo, milho e soja também apresentaram os maiores valores para o PIB.

O estudo foi realizado pelo Departamento de Financiamento e Informação da Secretaria de Política Agrícola do Mapa.

Como base para identificar esses principais municípios, o órgão utilizou a classificação da Pesquisa Agrícola Municipal (PAM), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E o PIB per capita considerado foi o de 2017.

Riqueza no campo está relacionada com produção de algodão, milho e soja
Riqueza no campo está relacionada com produção de algodão, milho e soja

PIB de 20 municípios é o dobro da média nacional

Foram selecionados 20 municípios produtores de soja, milho, feijão, cana-de-açúcar, café, algodão herbáceo, arroz, cacau e laranja. Juntos, eles representaram 59% do valor da produção do Brasil.

+ Descubra a plataforma de agronegócio que ajuda produtores rurais

De acordo com o coordenador geral de Avaliação de Políticas e Informação do Mapa, José Garcia Gasques, os PIBs dessas cidades, se somados, são o dobro da média do país inteiro.

“Nota-se que estes municípios têm um PIB per capita mais de duas vezes maior do que a média nacional (R$31.834,00).”

Confira os valores do PIB per capita de algumas dessas cidades:

  • Campos de Júlio-MT: R$190.239, seis vezes maior do que a média nacional
  • Sapezal-MT: R$103.552, mais que três vezes o PIB per capita do país
  • Diamantino-MT: R$91.907
  • Nova Ubiratã-MT: R$90.449, também superior à média nacional

É interessante observar que todos os quatro municípios ficam no Estado do Mato Grosso, que é o segundo maior do Brasil no valor de produção agrícola, segundo dados de 2019 do IBGE, na pesquisa PAM.

“Esse estudo tem sido a base de diversos trabalhos sobre a agricultura brasileira, além de ser importante fonte de informação sobre os municípios”, avalia Gasques.

O MT fica atrás apenas de São Paulo, que é o estado com maior valor da produção, com 15,5% de participação nacional. Dos 50 maiores municípios em Valor de Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas, Mato Grosso possui 18.

+ Como conseguir emprego no agronegócio? Veja dicas!

Municípios apontam relação entre agricultura e riqueza no campo

De acordo com o Mapa, as regiões que lideram o valor da produção de algodão, milho e soja, são as que têm gerado a maior riqueza no campo. Numa posição abaixo, estão as áreas de cana de açúcar, feijão e laranja.

As regiões com o PIB per capita mais baixo são as áreas de café, cacau e arroz. Nesses casos, o valor é cerca de 20% a 30% abaixo da média nacional.

“Esses resultados mostram que as regiões que têm incorporado níveis crescentes de tecnologia também têm liderado a geração de renda na agricultura. Nessa corrida, produtos com maior dificuldade de deixar padrões tradicionais de produção estão ficando para trás, o que tem levado ao empobrecimento de importantes regiões brasileiras”, conclui Gasques.

Conheça os municípios com maior valor de produção agrícola

Os dados da Pesquisa PAM mostram que os municípios com o maior valor de produção agrícola do país são:

  • São Desidério-BA;
  • Sapezal-MT;
  • Sorriso-MT.

Eles são os principais produtores de algodão herbáceo, soja, milho, entre outros grãos, e campeões de geração de riqueza no campo. O órgão avaliou 38 culturas permanentes e 33 temporárias.

+ Redução na previsão do PIB e inflação do Brasil: veja os números

São Desidério, primeiro lugar da lista, fica no oeste da Bahia. O valor da produção é de R$3,6 bilhões (dados de 2018). A alta é de 54,4% em relação ao ano anterior. Mas metade desse valor foi gerado pela soja, correspondendo a 1,6 milhão de toneladas.

Na segunda posição, Sapezal, a oeste de Mato Grosso, com R$3,3 bilhões, um crescimento de 28%. Além de produzir soja, girassol, feijão e arroz, seu principal produto é o algodão herbáceo, cujo valor da produção foi de R$1,8 bilhão em 2018.

Sorriso, no norte do estado, havia ficado na primeira posição em 2017, depois foi para a terceira, em 2018. O valor da produção foi R$3,3 bilhões.

O principal produto do município é a soja, cuja produção foi de 2,2 milhões de toneladas e gerou R$2 bilhões. Sorriso também é um importante produtor de milho, o primeiro do país, e de feijão.

Tamires Silva

Jornalista atuando como repórter e produtora de conteúdo. Produz conteúdo para internet desde 2015.

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

saída de Sérgio Moro
FED
pix
nuvem de gafanhotos