InícioNotíciasCarreirasSaiba quais são as 4 principais causas de desemprego

Saiba quais são as 4 principais causas de desemprego

0
(0)

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio realizada trimestralmente pelo IBGE, atualmente, cerca de 14,8 milhões de brasileiros estão desempregados. Esse valor representa cerca de 14,7% da população do país nessa situação.

Por isso, é muito comum se perguntar quais são as principais causas de desemprego no nosso país. E ainda, quando haverá uma possível recuperação do mercado de trabalho.

Vale lembrar também que a pandemia de covid-19 possui sua culpa no número de pessoas sem emprego hoje em dia, mas ela também não é a única responsável por essa situação.

Pensando nisso, nós do FinanceOne separamos uma lista com as principais causas de desemprego do Brasil. Assim, é possível entender o que você pode fazer para se recolocar ao mercado de trabalho.

homem de terno estendendo a mão para desempregados
Entendendo as causas de desemprego no país, é possível se qualificar para enfrentar a recolocação no mercado

1. Cortes de custos em empresas

Com a pandemia, muitas empresas tiveram que cortar custos para a sua sobrevivência. Estima-se que pelo menos 325 mil empresas fecharam suas portas só de janeiro a abril de 2021.

Mesmo com as facilitações fiscais criadas pelo Governo Federal durante o período mais difícil da pandemia, houveram empresas que precisaram demitir funcionários para continuar em funcionamento.

Nessa leva, funcionários mais experientes que acumulavam cargos de nível pleno e sênior ou anos de trabalho ficaram desempregados e foram substituídos por profissionais de nível júnior, que em teoria, custam menos para empresas.

No entanto, a boa notícia é que conforme elas estão se recuperando, vão criando novas vagas. E, muitos dos funcionários que foram demitidos durante o período de crise estão sendo convidados para retornar aos seus postos. Então é bom ficar de olho nos e-mails e nas ligações!

2. Falta de qualificação ou experiência

A tecnologia revolucionou a vida de muita gente. Como resultado, houveram tarefas que foram automatizadas ou substituídas por máquinas. E esse fenômeno tem cada vez mais substituindo a força braçal do ser humano, já que máquinas custam menos.

Por outro lado, surgem cada vez mais vagas que exigem pessoas com bastante qualificação para assumir postos no mercado de trabalho. Ou seja, a falta de qualificação e experiência são impeditivos para que essas pessoas consigam novos empregos.

Nesse sentido, a melhor alternativa é se qualificando. Use o seu tempo livre para estudar, realizar cursos gratuitos, ganhe experiência com trabalhos voluntários e amadureça seus planos profissionais.

É sempre bom ter um plano B em mente e alternativas de trabalho, pois caso esteja difícil de trabalhar em uma área, você terá facilidade para ingressar em outra!

3. Crises em determinados setores de trabalho

Para quem acompanha os noticiários, é comum ver que, pontualmente, surgem crises em determinados segmentos da indústria e de serviços.

Essas crises aparecem principalmente quando um produto ou serviço torna-se desnecessário, deixando milhares de colaboradores desempregados. Um exemplo recente é a indústria de automóveis, onde empresas importantes como a Ford e a Mercedes-Benz fecharam suas montadoras de veículos no Brasil.

Com esse encerramento de vínculo empregatício com esses profissionais, o mercado começa a ficar saturado de profissionais disputando pelas mesmas vagas em outras empresas. Sem contar a escassez de empresas que atuem nesse mesmo segmento.

Sendo assim, uma ótima maneira de fugir desse tipo de crise é optando por vagas e carreiras que não passem por esse tipo de dificuldade. E que, mesmo com esse tipo de crise, você consiga sobreviver de uma maneira diferente, optando por ser autônomo, por exemplo.

4. Crises nacionais ou mundiais

Por fim, temos as crises nacionais e as crises mundiais, como a covid-19 que também são causas para desemprego. Entretanto, não são apenas pandemias que afetam países. Em 2008, tivemos a crise do dólar. E embora o Brasil não fizesse uso dessa moeda, todas as transações financeiras utilizam essa moeda.

Ou seja, em momentos como esse, não há para onde correr. Por isso, caso você esteja desempregado, não se sinta culpado. Existem momentos em que realmente não há o que fazer. Mas, caso você encontre uma brecha para se recolocar no mercado de trabalho, invista nessa oportunidade!

Gostou do nosso conteúdo? Confira agora como dar entrada no seguro-desemprego!

O que achou disso?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?

Assine nossa newsletter!

Páginas Populares

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui