InícioNotíciasCarreirasVeja como dar entrada no seguro-desemprego

Veja como dar entrada no seguro-desemprego

0
(0)

O Brasil registrou mais de 5 milhões de pedidos de seguro-desemprego entre janeiro e outubro de 2020. Os dados são da Secretaria de Trabalho do Ministério e levam em conta atendimentos nas unidades do Sistema Nacional de Emprego (Sine) e das Superintendências Regionais do Trabalho.

Durante esse período, 60,6% dos requerimentos de seguro-desemprego foram realizados por homens. Boa parte (33,5%) com idade entre 30 e 39 anos.

Além disso, números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) reforçam que o desemprego ainda não recuou. Segundo as últimas pesquisas, o percentual ficou em 14,7% no trimestre encerrado em abril e se manteve em patamar recorde.

Por conta dessa conjuntura, é necessário saber como solicitar o seguro-desemprego. Ele é um direito do trabalhador formal que pode ser pago de três a cinco parcelas de forma contínua ou alternada, de acordo com o tempo trabalhado.

Como dar entrada no seguro-desemprego?

O pedido do seguro-desemprego pode ser feito de forma presencial ou online. Presencialmente, nas unidades das Superintendências Regionais do Trabalho, após agendamento de atendimento pela central 158.

Já para fazer o pedido online, uma das possibilidades é acessar a página ‘Solicitar o Seguro-Desemprego’ no site do Governo Federal. Outra opção é pelo aplicativo Carteira de Trabalho Digital, nas versões Android ou iOS.

Em todos os casos, serão exigidos alguns documentos:

  • Cópia da Carteira de Trabalho e Previdência Social;
  • Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho;
  • RG;
  • Sentença judicial (se houver);
  • Comprovante de residência (opcional).

Quem tem direito ao benefício?

Tem direito a receber o seguro-desemprego o trabalhador que tenha emprego com carteira assinada, demitido sem justa causa ou por rescisão indireta (quando o empregado requer o desligamento do trabalho por culpa do patrão).

Além disso, o trabalhador formal com contrato de trabalho suspenso em virtude de participação em curso ou programa de qualificação profissional oferecido pelo empregador.

E por fim, o pescador profissional durante o período do defeso e o trabalhador resgatado da condição semelhante à de escravidão.

Mão feminina segurando carteira de trabalho e cartão cidadão
O  Seguro-Desemprego tem a finalidade de garantir assistência financeira temporária ao trabalhador dispensado involuntariamente 

Prazos e valores

​O trabalhador deve requerer o seguro-desemprego nos prazos abaixo:

  • Trabalhador formal – do 7º ao 120º dia, contados da data de dispensa;
  • Bolsa qualificação – durante a suspensão do contrato de trabalho;
  • Empregado doméstico – do 7º ao 90º dia, contados da data de dispensa;
  • Pescador artesanal – durante o defeso, em até 120 dias do início da proibição;
  • Trabalhador resgatado – até o 90º dia, a contar da data do resgate.

O valor mínimo é de R$1.100 (salário mínimo) e o teto é R$1.911,84 (valor referente a 2021).

Já o recebimento poderá ser feito por depósito em conta simplificada ou conta poupança na Caixa ou nas agências da instituição financeira.

Se você não tiver indicado a conta para crédito do benefício na hora do requerimento, será selecionada conta Caixa de forma automática, desde que a conta seja individual, independentemente de autorização prévia.

Teve que solicitar o seguro-desemprego recentemente? Então veja como ganhar um renda extra até conseguir o próximo emprego!

O que achou disso?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?

Assine nossa newsletter!

Páginas Populares

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui