InícioNotíciasFinanças PessoaisEntenda como fintechs tornam o empréstimo mais barato

Entenda como fintechs tornam o empréstimo mais barato

1
(1)

Startups do setor financeiro que buscam inovação em serviços, as fintechs têm sido uma ótima oportunidade para os investidores, pois tornam o empréstimo mais barato. O negócio é cada vez mais atrativo, ainda mais pelo fato de que as taxas de juros são bem menores.

Esse fator é possível pois elas são empresas de tecnologia. Essas startups desenvolvem ferramentas que conseguem prever o comportamento do consumidor, então reduzem o risco e previnem fraudes.

Quer saber mais sobre elas? Então continue lendo o artigo!

6 fintechs que realizam empréstimos para pessoas físicas

Lendico (que agora é Provu): Em 2016, contava com mais de 6.500 usuários somente no Brasil. Só para começar a operar no país, foram investidos R$25 milhões do Banco BMG, em 2015. A startup já emprestou mais de R$90 milhões e tem como vantagem solicitar o empréstimo pela internet.

Geru: Tem taxas de juros que variam entre 2% e 5% ao mês, personalizada de acordo com o cliente. Além disso, o valor do empréstimo solicitado cai na conta da pessoa em até dez dias. Todo o procedimento para pegar o dinheiro emprestado é feito pela internet, sem precisar sair de casa ou ter contato com o gerente do banco.

Creditas: Essa fintech tem como característica o empréstimo com imóvel como garantia. Também é conhecido como refinanciamento imobiliário, que é a garantia do valor emprestado pela startup. Os juros são de 1,15% ao mês mais IPCA. A fintech já recebeu um investimento de mais de R$90 milhões.

Simplic: O empréstimo também é solicitado online e encaminhado para análise. Caso seja aprovado, o dinheiro cai na conta da pessoa poucas horas após ter o pedido aprovado pela instituição financeira. A empresa foi fundada em 2014, com o objetivo de proporcionar acesso a crédito pessoal online de forma flexível, inovadora e descomplicada.

EasyCrédito: O diferencial dessa fintech é que você também pode solicitar cartões de crédito ou pré-pago, e financiamento. Além disso, a EasyCrédito tem diversos parceiros, sendo alguns deles o INSS, Banco Pan, Geru, entre outros.

Bom Pra Crédito: são diversos os tipos de empréstimos que a pessoa pode solicitar, sendo alguns deles: consignado, com garantia de veículo ou imóvel, consignado público ou INSS. Essa fintech também conta com diversos parceiros e já realizou mais de 150 milhões de empréstimos, tendo mais de três milhões de clientes cadastrados.

Homem segurando cartão de crédito e acessando celular
Fintechs podem conceder acesso ao empréstimo mais barato

Principais setores em que fintechs estão presentes

As fintechs são mais conhecidas por serem startups voltadas para a área de finanças e empreendimentos. Mas elas podem abranger vários nichos, dentro dessa área.

De acordo com a pesquisa Fintech Report, o ecossistema brasileiro é um dos mais diversos e bem-sucedido. E essas empresas de tecnologia estão distribuídas nos seguintes segmentos:

  1. Crédito (15,66%);
  2. Meios de pagamento (15,58%);
  3. Backoffice (14,49%);
  4. Serviços Digitais (8,88%);
  5. Tecnologia (8,29%)

Uma das características das fintechs é a especialização de acordo com o nicho no qual elas vão atuar. Pode ocorrer de as startups serem especialistas em um ou mais serviços, dependendo do objetivo da gestão.

Essa facilidade que elas têm de tornar o empréstimo mais barato também é devido às especializações que cada uma possui. Além disso, a forma simples do processo facilita a escolha da fintech na hora de solicitar um empréstimo.

A atuação das startups de finanças no Brasil

Um grande avanço foi que as fintechs trouxeram muitas inovações para o mercado, o que tem gerado impacto significativo na vida financeira das pessoas. Foi no ano de 2008 que tudo começou a mudar e a surgir esses conceitos.

Esse ano pode ser considerado um marco para o mercado financeiro brasileiro, ainda mais para quem presenciou a crise no mercado econômico mundial.

O que acontecia, na verdade, era que o serviço financeiro no Brasil era praticamente inacessível para os brasileiros por conta das taxas e burocracia no sistema.

Para isso, empresas fizeram uso de tecnologia para dar mais democracia, de acordo com a necessidade das pessoas. Isso foi uma grande conquista para o mercado financeiro.

Assim surgiram as fintechs. Elas chegaram para apresentar modelos de negócios ainda mais atraentes e flexíveis.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento e a Finnovista realizaram uma pesquisa sobre este assunto.

Embora já tivessem tentado inseri-las no mercado desde 2011, foi apenas em 2014 que começaram a ganhar força nesse cenário. No Brasil, isso aconteceu entre 2014 e 2016.

Quais são as fintechs brasileiras?

De certa forma, o surgimento das fintechs melhorou a vida financeira dos brasileiros, que agora pode ser administrada de maneira mais fácil. O seu crescimento vem sendo percebido em boa parte do mercado.

O seu surgimento muda, por exemplo, a forma como as pessoas encaram e administram as suas finanças, como também as rotinas que antigamente eram ligadas ao banco.

Como exemplos de fintechs brasileiras temos:

  • Nubank: emissora de cartão de crédito;
  • Creditas: plataforma de empréstimo;
  • Biva: plataforma de empréstimos;
  • Guia Bolso: aplicativo gratuito;
  • Magnetis: consultoria de investimentos online.

Entre várias outras!

Gostou do conteúdo? Então compartilhe com seus amigos! Leia também: Onde conseguir crédito mais barato para seu negócio!

O que achou disso?

Média da classificação 1 / 5. Número de votos: 1

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?

Redação
Redação
O FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde 2003, publicamos conteúdos que buscam traduzir desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa. Nossa missão é mostrar que qualquer pessoa pode ter controle financeiro e fazer as escolhas certas. Assim como ter no dinheiro um aliado para viver bem e conquistar seus sonhos.

Assine nossa newsletter!

Páginas Populares

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

InícioNotíciasFinanças PessoaisEntenda como fintechs tornam o empréstimo mais barato

Entenda como fintechs tornam o empréstimo mais barato

1
(1)

Startups do setor financeiro que buscam inovação em serviços, as fintechs têm sido uma ótima oportunidade para os investidores, pois tornam o empréstimo mais barato. O negócio é cada vez mais atrativo, ainda mais pelo fato de que as taxas de juros são bem menores.

Esse fator é possível pois elas são empresas de tecnologia. Essas startups desenvolvem ferramentas que conseguem prever o comportamento do consumidor, então reduzem o risco e previnem fraudes.

Quer saber mais sobre elas? Então continue lendo o artigo!

6 fintechs que realizam empréstimos para pessoas físicas

Lendico (que agora é Provu): Em 2016, contava com mais de 6.500 usuários somente no Brasil. Só para começar a operar no país, foram investidos R$25 milhões do Banco BMG, em 2015. A startup já emprestou mais de R$90 milhões e tem como vantagem solicitar o empréstimo pela internet.

Geru: Tem taxas de juros que variam entre 2% e 5% ao mês, personalizada de acordo com o cliente. Além disso, o valor do empréstimo solicitado cai na conta da pessoa em até dez dias. Todo o procedimento para pegar o dinheiro emprestado é feito pela internet, sem precisar sair de casa ou ter contato com o gerente do banco.

Creditas: Essa fintech tem como característica o empréstimo com imóvel como garantia. Também é conhecido como refinanciamento imobiliário, que é a garantia do valor emprestado pela startup. Os juros são de 1,15% ao mês mais IPCA. A fintech já recebeu um investimento de mais de R$90 milhões.

Simplic: O empréstimo também é solicitado online e encaminhado para análise. Caso seja aprovado, o dinheiro cai na conta da pessoa poucas horas após ter o pedido aprovado pela instituição financeira. A empresa foi fundada em 2014, com o objetivo de proporcionar acesso a crédito pessoal online de forma flexível, inovadora e descomplicada.

EasyCrédito: O diferencial dessa fintech é que você também pode solicitar cartões de crédito ou pré-pago, e financiamento. Além disso, a EasyCrédito tem diversos parceiros, sendo alguns deles o INSS, Banco Pan, Geru, entre outros.

Bom Pra Crédito: são diversos os tipos de empréstimos que a pessoa pode solicitar, sendo alguns deles: consignado, com garantia de veículo ou imóvel, consignado público ou INSS. Essa fintech também conta com diversos parceiros e já realizou mais de 150 milhões de empréstimos, tendo mais de três milhões de clientes cadastrados.

Homem segurando cartão de crédito e acessando celular
Fintechs podem conceder acesso ao empréstimo mais barato

Principais setores em que fintechs estão presentes

As fintechs são mais conhecidas por serem startups voltadas para a área de finanças e empreendimentos. Mas elas podem abranger vários nichos, dentro dessa área.

De acordo com a pesquisa Fintech Report, o ecossistema brasileiro é um dos mais diversos e bem-sucedido. E essas empresas de tecnologia estão distribuídas nos seguintes segmentos:

  1. Crédito (15,66%);
  2. Meios de pagamento (15,58%);
  3. Backoffice (14,49%);
  4. Serviços Digitais (8,88%);
  5. Tecnologia (8,29%)

Uma das características das fintechs é a especialização de acordo com o nicho no qual elas vão atuar. Pode ocorrer de as startups serem especialistas em um ou mais serviços, dependendo do objetivo da gestão.

Essa facilidade que elas têm de tornar o empréstimo mais barato também é devido às especializações que cada uma possui. Além disso, a forma simples do processo facilita a escolha da fintech na hora de solicitar um empréstimo.

A atuação das startups de finanças no Brasil

Um grande avanço foi que as fintechs trouxeram muitas inovações para o mercado, o que tem gerado impacto significativo na vida financeira das pessoas. Foi no ano de 2008 que tudo começou a mudar e a surgir esses conceitos.

Esse ano pode ser considerado um marco para o mercado financeiro brasileiro, ainda mais para quem presenciou a crise no mercado econômico mundial.

O que acontecia, na verdade, era que o serviço financeiro no Brasil era praticamente inacessível para os brasileiros por conta das taxas e burocracia no sistema.

Para isso, empresas fizeram uso de tecnologia para dar mais democracia, de acordo com a necessidade das pessoas. Isso foi uma grande conquista para o mercado financeiro.

Assim surgiram as fintechs. Elas chegaram para apresentar modelos de negócios ainda mais atraentes e flexíveis.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento e a Finnovista realizaram uma pesquisa sobre este assunto.

Embora já tivessem tentado inseri-las no mercado desde 2011, foi apenas em 2014 que começaram a ganhar força nesse cenário. No Brasil, isso aconteceu entre 2014 e 2016.

Quais são as fintechs brasileiras?

De certa forma, o surgimento das fintechs melhorou a vida financeira dos brasileiros, que agora pode ser administrada de maneira mais fácil. O seu crescimento vem sendo percebido em boa parte do mercado.

O seu surgimento muda, por exemplo, a forma como as pessoas encaram e administram as suas finanças, como também as rotinas que antigamente eram ligadas ao banco.

Como exemplos de fintechs brasileiras temos:

  • Nubank: emissora de cartão de crédito;
  • Creditas: plataforma de empréstimo;
  • Biva: plataforma de empréstimos;
  • Guia Bolso: aplicativo gratuito;
  • Magnetis: consultoria de investimentos online.

Entre várias outras!

Gostou do conteúdo? Então compartilhe com seus amigos! Leia também: Onde conseguir crédito mais barato para seu negócio!

O que achou disso?

Média da classificação 1 / 5. Número de votos: 1

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?