Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Economia colaborativa: o que é e como se beneficiar dela

Escrito por: Priscila Gomes em 29 de maio de 2019

O mercado, as formas de consumo e o próprio consumidor têm passado por constantes transformações ao longo do tempo.

E essas mudanças não demoram muito tempo para acontecer entre um período e outro.

Economia colaborativa: o que é e como se beneficiar dela

O mundo tem gerado novidades com um espaço de tempo curtíssimo.

Isso faz com que seja necessária a busca ininterrupta de conhecimento sobre tantas alterações que permeiam o mundo dos negócios, das finanças e de empreendedores, sejam eles grandes ou pequenos.

Os principais assuntos do mercado financeiro atual giram em torno do avanço da tecnologia, da flexibilidade no acesso à informação.

Além do crescimento e a valorização de novas práticas ligadas a sustentabilidade que fazem totalmente a diferença para quem produz ou para aqueles que consomem algo.

Logo, manter a atenção estrita a tudo isso é essencial, pois há diversas questões sendo levantadas que diz respeito a qualquer cidadão.

Com foco em tudo o que foi mencionado, o conceito de economia colaborativa têm se ampliado.

Esse nome já deve ter chegado aos seus ouvidos, mas caso você ainda não saiba o que é, entenda aqui um pouco mais sobre e como você também pode adquirir benefícios por meio dela.

Economia colaborativa: o que é?

O conceito de economia colaborativa consiste em exatamente o que o nome sugere, ou seja, nada mais é do que uma economia compartilhada.

Isso significa que os serviços oferecidos por determinada empresa podem ser divididos e utilizados por outra empresa de forma temporária e substitui a aquisição de um produto ou bem.

Ela funciona basicamente como uma troca de favores onde os beneficiados são os próprios provedores e empresários.

Ou até mesmo seus clientes que buscam adquirir os serviços disponibilizados por aquele negócio.

O que é possível fazer com a economia colaborativa?

Utilizando a economia colaborativa você tem acesso a quase tudo o que precisar.

Nela é possível solicitar um motorista para facilitar a sua locomoção como é feito nas empresas Uber, Cabify e 99táxis.

Os aplicativos também tornam ainda mais fácil conseguir um eletrodoméstico emprestado sem que precise gastar muito dinheiro com um liquidificador novo, por exemplo.

Além, é claro, de utilizar uma bicicleta (como as que o banco Itaú disponibiliza) para passear na orla da praia ou chegar mais rápido no trabalho.

Há ainda a possibilidade de alugar um vestido novo e um maquiador para produzir você para um festa, pedir um almoço no Ifood e um lanche no Rappi ou Ubereats.

Com a economia colaborativa é possível solicitar diversos outros serviços que podem proporcionar grande satisfação aos seus clientes e fornecedores.

Principal objetivo da economia colaborativa

A essência da economia criativa está no que ela proporciona.

Independente do que você esteja precisando e por qual empresa demonstra um maior interesse, o que vale mais, nesse caso, é a experiência.

Você pode até comentar com seus amigos sobre o que adquiriu em uma compra, mas o que certamente será levado em conta é o que fez com esse produto, no que ele o ajudou a consertar algo ou como conseguiu administrar bem melhor o seu tempo fazendo uso de bons serviços disponibilizados pela economia criativa.

Economia colaborativa: o que é e como se beneficiar dela

Benefícios para o seu negócio

1 – Preços inferiores ao do mercado tradicional

Assim como há uma grande oferta de produtos e serviços que já adotam o modelo de economia colaborativa, os preços se tornammenores se comparado com o que vemos no mercado tradicional.

Caso precise de um escritório mas está com pouca verba para custear o aluguel de uma sala, você pode optar por um coworking que tem crescido muito nas grandes cidades brasileiras.

O valor do aluguel será dividido e isso implicará na redução imediata do preço que você deverá pagar.

Assim vale para casas coletivas que abrigam serviços de muitos produtores independentes compartilhando salas com cabeleireiros, manicures e gestores de marcas pequenas no mercado da moda ou gastronômico.

2 – Qualidade e aumento de consumidores

A economia colaborativa deseja sempre a satisfação do seu cliente.

Por esse motivo, a qualidade sempre deverá estar condizente com o que seu público precisa e procura.

Esse é o grande diferencial.

Independente da simplicidade do seu serviço, a qualidade é primordial.

Isso gerará uma corrente, os consumidores terão respeito pelo seu negócio e além da fidelidade poderão trazer novos clientes para utilizar seus serviços.

3 – Possibilidade de expansão

Com o crescimento de clientes e obtendo mais visibilidade em seus negócios, será muito mais fácil expandir a sua empresa.

Para isso, é preciso realizar um ótimo planejamento, trabalhar com responsabilidade e honestidade, priorizando sempre aqueles que estão colaborando juntamente com você ou adquirindo os seus serviços.

Dessa forma será difícil ver os seus negócios não alavancarem.

Com isso, você trará mais autoridade para a sua empresa, credibilidade, boas perspectivas, maior número de clientes e uma rentabilidade excelente.

Priscila Gomes

Jornalista. Gosto de abraços, aniversários e do Natal. Atualmente produzo conteúdo para internet e faço assessoria sindical.

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

13° salário
Inadimplência
Golpe com cartão
Como economizar na ceia de natal
saúde financeira