InícioNotíciasEconomiaEconomia da China: saiba qual a influência para o mundo

Economia da China: saiba qual a influência para o mundo

Se preferir, escute o áudio completo da matéria aqui:
3.8
(13)

A economia da China se recuperou para seus níveis de crescimento pré-pandemia. Contudo, a desaceleração do crescimento do país mostra como o avanço da variante delta do coronavírus desafia a recuperação econômica mundial.

O PIB chinês aumentou 7,9% no segundo trimestre deste ano em comparação com o mesmo período do ano anterior, informou o Escritório Nacional de Estatísticas da China.

Entretanto, a expansão está perdendo força conforme as empresas enfrentam custos mais altos e gargalos de oferta. O resultado veio em linha com o esperado por analistas, mas um pouco abaixo, em frente da projeção de alta de 8,1%.

Alguns dados preocupam as autoridades do país asiático. Principalmente, a atividade industrial que expandiu a um ritmo mais lento enquanto o setor de serviços teve retração entre os meses de abril e junho deste ano.

O que faz com que um crescente número de analistas reduzam suas estimativas para a China no terceiro trimestre. Como consequência uma desaceleração da economia mundial.

Em 2022, a ONU espera que o crescimento global desacelere para 3,6%, deixando a renda mundial ainda 3,7% abaixo de onde sua tendência anterior à pandemia a teria colocado, com uma perda de renda acumulada esperada de cerca de US$13 trilhões em 2020-22.

FMI prevê alta da economia da China em 2022

Apesar do cenário ainda nada bom em várias economias mundiais, sinais crescentes de melhora da economia da China alimentam o otimismo de outros países.

A redução do investimento público e do apoio fiscal geral serão os responsáveis por fazer a economia da China se expandir menos do que o previsto neste ano.

Segundo as novas projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI), o gigante asiático crescerá 8,1% em 2021 – menos do que os 8,4% previstos em abril.

Para 2022, a estimativa de crescimento do PIB da China foi revisada em leve alta, passado para 5,7%, dos 5,6% de abril. Em 2020, a economia chinesa foi única que conseguiu se expandir em meio à pandemia de covid-19, com crescimento de 2,3%.

Qual a influência da economia chinesa no Brasil?

A China representa o principal destino das exportações brasileiras. Em seguida, vêm os Estados Unidos e a União Europeia. 

A balança comercial do agronegócio entre Brasil e China registrou valor recorde no mês de agosto deste ano. Ela foi motivada, principalmente, pela alta dos preços internacionais das commodities exportadas pelo Brasil.

O valor exportado foi de US$10,90 bilhões, cifra 26,7% superior aos US$8,60 bilhões exportados no mesmo mês de 2020.

Dentre os produtos mais exportados estão:

  • Soja,
  • Produtos florestais,
  • Carnes.

Já o superávit da balança comercial da China em agosto somou US$58,34 bilhões, acima dos US$56,6 bilhões de julho e também das expectativas, de US$48 bilhões.

+ Brasil X China: quais os impactos na economia brasileira?

Esse importante parceiro comercial do Brasil também é responsável pela maior parte dos produtos que chegam ao território nacional.

“Tudo que acontece na China tem um impacto porque é o segundo maior importador do mundo. Os efeitos serão sentidos nas commodities como petróleo, soja, proteínas e minério”, explica o presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro.

chineses caminhando por uma rua onde existem painés imunidados
A alta da economia da China deve impulsionar o restante do mundo

Futuro da economia: o que dizem os economistas?

O presidente da AEB, José Augusto de Castro, avalia que a recuperação da economia da China deve impactar o Brasil muito em breve. 

Já o professor Mauro Rochlin, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), diz evitar qualquer exercício do que ele chama de “futurologia”. Segundo ele, a pandemia representa um desafio sem precedentes para a economia mundial. 

Contudo, em relação à economia doméstica, Rochlin espera medidas mais energéticas do governo. Em relação à economia mundial, Mauro Rochlin afirma que é muito difícil alguém nessa hora conseguir colher qualquer tipo de dado.

“Isso acontece porque estamos em um quadro extremamente dinâmico. O dado de hoje não vale para amanhã, então qualquer estudo se torna inconsistente”, indica o professor da FGV.

Economia chinesa deve passar a dos EUA em 2028

A economia da China vai desbancar a dos Estados Unidos como a maior economia do mundo em 2028. Ou seja, cinco anos antes do que o previamente previsto pelo Centro de Pesquisa Econômica e de Negócios (CEBR, na sigla em inglês).

De acordo com o centro de estudos britânico, o país aiático foi rápido e eficaz no controle da pandemia de Covid-19. O que fez com que a economia não ficasse paralisada, como ocorreu em outras partes do mundo.

Contudo, o órgão diz que a economia chinesa não está se beneficiando apenas com o controle da pandemia, mas também com a aplicação de políticas agressivas voltadas para alguns setores, como a manufatura avançada.

O que esperar da economia brasileira em 2021? Confira a análise completa da equipe do FinanceOne!

O que achou disso?

Média da classificação 3.8 / 5. Número de votos: 13

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?

Assine nossa newsletter!

Páginas Populares

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui