Entenda como as eleições 2018 afetam seus rendimentos | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,4040
Euro R$ 4,3576
Bitcoin R$ 25.974,00
Bovespa 74.538,54
CDI 6,39% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 4,974
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


Entenda como as eleições 2018 afetam seus rendimentos

As eleições estão chegando. Momento de escolher o melhor representante para o seu estado e para o Brasil. Estude o que cada um promete, principalmente para a economia. Sabe por que? Este ano, o período eleitoral  pode influenciar o seu investimento.

De acordo com a cientista política Daniela Campello, países latino americanos, entre eles o Brasil, sofrem a influência do mercado mais claramente durante as eleições. Segundo ela, o mercado tem poder para influenciar o desempenho da economia e, por isso, atua sobre governos e eleições, no sentido de limitar as políticas que podem ser adotadas.

“Hoje, o Brasil tem déficit primário, as contas não fecham mesmo antes do pagamento da dívida. Investidores em diferentes mercados e ativos podem variar em suas preferências por determinadas políticas de governo, mas, especificamente durante as eleições, o mercado se revela muito mais homogêneo”, explica Daniela Campello.

A autora do livro The Politics of Market Discipline in Latin America diz ainda que há bastante evidência acadêmica de que o mercado favorece governos de direita. “O candidato indesejado é o da esquerda, porque a esquerda promete redistribuição de renda”, completa a especialista.

eleições 2018

Cenário das eleições 2018

daniela campello
Daniela Campello

A cientista política ressalta também que à medida que aumenta a percepção de risco associada a uma potencial vitória de um candidato “indesejado”, mais caro se torna o financiamento da dívida pública.  Resultado: isso naturalmente afeta as contas do governo.

Ainda segundo Daniela, alguns exemplos ilustram o fato de que nem sempre o que é bom para o mercado é necessariamente positivo para o país.

“Um deles é o excelente desempenho da Bovespa nos últimos dois anos, em que experimentamos o período mais turbulento de nossa história política”, destaca.

“Da mesma forma, nota-se que o mercado vem reagindo com indiferença aos escândalos de corrupção do governo federal e oferecendo amplo suporte em troca da adoção de reformas desejadas”, completa a cientista política.

Histórico brasileiro

Daniela Campello aponta que o mercado exerceu menos influência em períodos, como foi o caso da década passada, em que os preços dos produtos exportados pela região (commodities) estiveram excepcionalmente altos e as taxas de juros internacionais excepcionalmente baixas.

“No cenário oposto, com baixos preços de commodities e altas taxas de juros, a pressão do mercado torna-se muito forte na região”, lembra Daniela.

Impactos das eleições

A economia brasileira deverá crescer 2% em 2018, de acordo com o relatório “Global Economic Prospects”. Os números são do Banco Mundial. O estudo aponta que o crescimento da economia se dará à medida que o mercado de trabalho e uma inflação baixa impulsionarem o consumo. Além dos efeitos residuais da recessão desaparecerem e as condições políticas tornarem-se mais favoráveis ao investimento.

O principal risco para o país, na avaliação do Banco Mundial, é a incerteza política. A instituição diz que isso pode afetar negativamente a confiança e até mesmo frear o crescimento econômico. As contas públicas também preocupam a entidade, que defendia a aprovação da Reforma da Previdência para dar sustentabilidade ao quadro fiscal brasileiro.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) também prospectou o crescimento da economia brasileira. O FMI calcula que o Brasil em 2018 vai crescer 1,9%. Ou seja 0,4 ponto percentual (p.p.) a mais do que a previsão feita em outubro de 2017.

Para 2019, o fundo projeta expansão de 2,1% da economia brasileira. O que representa uma melhora de 0,1 p.p.

Manipulação do Mercado

investimentosNo entando, em entrevista ao jornal The Wall Street Journal, o economista-chefe do Banco Mundial, Paul Romer, reconheceu ter alterado intencionalmente nos últimos anos a metodologia do relatório Doing Business.

Os dados classificam cada país de acordo com as leis e regulações que facilitam ou dificultam as atividades das empresas. O resultado influenciou diretamente as eleições do Chile.

O que pode ser influenciado?
Confira a seguir alguns dos impactos que já podem ser sentidos em virtude das eleições.

Dólar
A cotação do dólar pode variar como o preço de qualquer produto comercializado. O modelo vale para qualquer moeda no mercado internacional e influencia a vida de muita gente. Especialmente de quem investe ou comercializa em moeda estrangeira.

Bovespa
As especulações formam preço para cima e para baixo no mercado de ações. No período eleitoral, não é diferente e este movimento até se intensifica. Essa alta volatilidade (o tal sobe e desce) é o próprio risco de ganhar ou perder muito dinheiro. Quer uma ajuda? O FinanceOne explica como investir na bolsa de valores.







Mais lidos

Dólar em alta? Saiba até onde a moeda pode chegar
O cenário é de dólar em alta. Mas afinal, até onde vai esse movimento? Segundo os especialistas,...
Salário mínimo no Japão chega a R$5.035
Muitos brasileiros estão indo morar fora do país por inúmeros motivos. Alguns deles: a violência...
Será mesmo que existe a queda do bitcoin?
Será mesmo que existe a queda do bitcoin? Bem, nos últimos dois anos talvez, não se falou em outr...
Educação Financeira será tema dos gibis Turma da Mônica
A Educação Financeira, tema ainda distante do dia a dia de muitos brasileiros, será abordada de u...
Um guia para proteger o cartão de crédito
A facilidade no uso do cartão de crédito vem conquistando os milhares de clientes que hoje já ade...
Testes da gasolina obrigatórios para verificar a qualidade
Com os últimos acontecimentos envolvendo os postos de gasolina, a atenção se voltou para o servi...





Notice: Undefined variable: hidden in /var/www/finance-one/wp-content/themes/financeone_estrategia/single.php on line 46

Publicidade