Conversor de moedas Transferência internacional

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Por que o Brasil tem 62 milhões de endividados?

Escrito por: Redação em 25 de abril de 2018

O número de brasileiros endividados aumentou pelo sexto mês seguido. Cerca de 62,1 milhões de brasileiros estão nesta situação. Os dados são do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas).

Os brasileiros com idade entre 30 e 39 anos representam o maior número de brasileiros endividados. A pesquisa aponta que cerca de 17,6 milhões, ou seja, 51% da população nesta faixa etária, estão nesta situação.

Em seguida aparece a faixa etária de 40 a 49 anos. São cerca de 13,4 milhões de brasileiros negativados.

No grupo de 25 a 29 anos, cerca de 7,9 milhões estão com as contas atrasadas. A quantidade representa 46% deste grupo. Ainda mais novos, os brasileiros com idade entre 18 e 24 anos são os menos inadimplentes — cerca de 4,8 milhões se enquadram na categoria.

Entre 50 e 64 anos o número de inadimplentes é de 12,7 milhões, enquanto dos 65 aos 84 anos o número é de 5,2 milhões.

endividados

Regiões com maior número de negativados

A região Sudeste concentra o maior número de endividados. No entanto, a região Norte tem maior número de inadimplentes proporcionalmente à quantidade de pessoas no local – 46% de negativados na região.

Confira os números de negativados por região:

– Sudeste: 26,94 milhões

– Nordeste: 16,58 milhões

– Sul – 8,12 milhões

– Norte – 5,54 milhões

–  Centro-Oeste – 4,97 milhões

Motivos do aumento de endividados

As contas de telefone, TV por assinatura e internet concentraram o maior número de dívidas, com alta de 7,76%. Em seguida aparecem as dívidas bancárias, que aumentaram 4,83%.

As contas de água e luz (-0,55%) e os crediários no comércio (-7,55%) tiveram queda no número de dívidas.

Quando uma pessoa fica negativada, ela passa a ter restrições no CPF para realizar compras, fazer empréstimos e financiamentos, por exemplo.

Brasileiros poupam pouco

endividados

Dados apurados também pelo SPC Brasil e pela CNDL apontam que na passagem de janeiro para fevereiro oscilou de 18% para 16% o percentual de consumidores brasileiros que conseguiram poupar parte da renda. Trata-se do percentual mais baixo da série histórica, que tem início em dezembro de 2016.

Em fevereiro de 2018, a maioria (73%) dos consumidores não poupou qualquer quantia, enquanto 7% não souberam ou não quiserem responder. Em média, o valor poupado foi de R$ 498,81.

A dificuldade para poupar é baixa até mesmo entre os brasileiros de renda mais elevada.

Considerando os consumidores que possuem rendimentos compatíveis às classes A e B, pouco mais de um terço (36%) conseguiu guardar dinheiro no mês de fevereiro.

Nas classes C, D e E, o percentual de poupadores foi ainda menor, de apenas 11%.

Quando indagados sobre o motivo de não terem poupado, 42% justificam ter uma baixa renda. Segundo eles, o que torna mais difícil ter sobras nos rendimentos.

Os que admitem ter perdido o controle do orçamento com gastos excessivos em fevereiro somam 11% da amostra.

Como economizar dinheiro

EndividadosTodo mundo sabe que economizar dinheiro não é uma tarefa fácil, principalmente para quem ganha pouco. Para quem estiver endividado, até mesmo pensar em guardar uma parcela do salário se torna uma tarefa desafiadora que deve ser superada.

Mesmo que sua renda não possua muitos dígitos, é possível economizar. No entanto, para conseguir cumprir essa tarefa, é preciso saber fazer escolhas e tomar algumas atitudes.

– Controle das despesas

O primeiro passo é saber exatamente para onde vai o dinheiro. Some todas as suas contas.

– Reveja seus hábitos

Após conhecer seus gastos e ganhos, o próximo passo é ver onde você pode diminuir ou cortar despesas. Muitas vezes, mudar alguns costumes diários já ajuda a reduzir os gastos do mês.

– Use aplicativo de gestão financeira

A tecnologia pode te ajudar nesse controle. Saber as entradas e saídas de dinheiro é o meio mais fácil de saber quais são os seus maiores gastos e evitar despesas desnecessárias.

Crie metas

Conseguiu cortar todos os gastos desnecessários possíveis e imagináveis? É o momento de estabelecer metas de gastos referentes a cada uma das categorias de despesas.

Você pode definir, por exemplo, que vai usar metade da sua renda líquida, isto é, seu salário menos os descontos, para gastos essenciais, tais como:

– água
– luz
– moradia
– alimentação

– Reserve um valor todo mês

Veja uma quantidade acessível para guardar e reserve esse valor logo que receber o seu salário. O ideal seria poupar entre 10 e 15% da sua renda líquida. Mas você pode começar com menos que isso e ir aumentando à medida que sua situação financeira for melhorando.

– Aplique

Conseguiu guardar um pouco do seu dinheiro? Então aplique. Veja onde e como aqui!

Redação

Criado em 2003, o FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa.

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

coach financeiro
escolhas que milionários fazem e você deveria seguir
Como economizar na ceia de natal
Problemas na Black Friday 2018
idosos sustentam a casa