InícioNotíciasCarreirasComo conseguir um financiamento estudantil privado

Como conseguir um financiamento estudantil privado

Tempo de leitura: 7 minutos
()

O Financiamento Estudantil Privado pode não ser tão conhecido se comparado ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), do governo federal.

Do Fies com certeza você já ouviu falar, principalmente quando as regras foram alteradas. Quem não se lembra de quando ficou mais difícil financiar um curso superior?

Um fato é: nenhum outro financiamento tem taxa de juros anual tão atrativa como o Fies. Por isso, é preciso saber escolher uma opção privada para não se enterrar em dívidas.

Neste conteúdo, vamos entender melhor como funciona o Financiamento Estudantil Privado e como você pode conseguir o seu, para conquistar o tão sonhado diploma do nível superior.

O que é financiamento estudantil privado?

O Financiamento Estudantil Privado funciona como qualquer linha de crédito, oferecida por bancos e financeiras. É como um empréstimo.

Você contrata, recebe o dinheiro para pagar a faculdade e assume o compromisso de devolver esse dinheiro com juros e correção monetária. Além de possíveis taxas administrativas.

Há diversas instituições privadas que oferecem esse serviço, como Itaú, Bradesco e Santander. A Caixa e o Banco do Brasil também têm essa linha de crédito. Além de financeiras como a Ideal Invest (Pravaler Crédito Universitário).

Como em todo empréstimo, as taxas variam de banco para banco. Em geral, o valor máximo do financiamento não ultrapassa 50% do custo total do curso.

O que quer dizer que você terá de arcar com metade do valor cobrado pela faculdade. Todas as condições são estabelecidas na contratação do crédito.

Para solicitar esse tipo de financiamento, é preciso que a faculdade do seu interesse tenha parceria com a instituição que oferece o crédito. O produto pode ser contratado por quem já cursa o ensino superior ou por quem acabou de ingressar.

Financiamento estudantil privado x Fies: qual a diferença?

As diferenças entre o Financiamento Estudantil Privado e o Fies são grandes. Aqui, falaremos de quatro contrastes básicos que podem influenciar no seu orçamento.

Taxa de juros – Como já falamos, nenhum outro financiamento tem taxa de juros anual tão baixa como o Fies. Para você ter uma ideia, enquanto o Fies cobra juros de 3,4% ao ano, a taxa praticada pelo Bradesco é de cerca de 28%.

Forma de pagamento – No financiamento privado, normalmente, o estudante precisa pagar uma parte do crédito enquanto ainda está estudando. Já no Fies, o pagamento pode ser feito ao término do curso, inclusive com o salário do emprego após o diploma.

Universidades parceiras – A lista de instituições varia do Fies para o financiamento privado. Antes de contratar, é preciso analisar a qualidade da faculdade parceira ou procurar um financiamento que atenda ao curso que você deseja.

Abrangência – Normalmente, o financiamento privado pode ser feito para pagar um semestre de curso, com prazo para quitação de 12 meses. No Fies, é possível financiar o curso inteiro.

Veja outras diferenças entre Fies e financiamento estudantil privado

Se você ainda está na dúvida, separamos as principais diferenças entre os dois tipos de financiamento que os alunos podem escolher. Confira!

-> Enem: o financiamento privado não precisa da nota do Enem, enquanto o Fies precisa e solicita isso do aluno.

-> Modalidade: para quem quer fazer o financiamento pelo Fies é só para os cursos presenciais, já o privado aceita tanto o presencial quanto o EaD (ensino a distância).

-> Juros: o Fies tem taxas mais baixas e não cobra juros, enquanto a modalidade privada tem cobrança de juros.

-> Início do pagamento: no Fies, você começa a pagar somente depois de concluir o curso. Já no financiamento privado o pagamento inicia, em média, em 30 dias após o fechamento do contrato.

Financiamento estudantil
Financiamento Estudantil Privado pode ser uma opção para o sonho do nível superior

O financiamento estudantil privado pode ser uma boa opção para o aluno que precisa pagar as mensalidades da faculdade.

Uma alternativa é considerar solicitar um empréstimo junto às fintechs, que pode ser mais vantajoso.

Como conseguir um Financiamento estudantil Privado?

Se você tem o sonho de cursar o nível superior, mas não conseguiu entrar no Fies e não tem outra saída, é hora de considerar a possibilidade de um Financiamento Estudantil Privado.

Com cuidado e muita pesquisa, você garante melhores taxas e condições.

É possível fazer uma simulação online em sites como Pravaler e Fundacred. Nos bancos, geralmente é preciso ser correntista para conseguir contratar.

No pedido pela internet, o envio da documentação também é feito online. Em geral, o aluno precisa comprovar renda familiar mensal igual ou maior a duas mensalidades do curso.

Também é preciso informar os dados de um fiador, que pode ser um dos pais do estudante. Tanto o aluno quanto o seu garantidor devem ter o nome limpo.

Conseguindo o empréstimo, você pode usar o limite de crédito para pagar até duas mensalidades em atraso, no caso de curso em andamento. Ou pode também pagar o valor restante da mensalidade, no caso de bolsas concedidas pela instituição de ensino.

Quem pode contratar o financiamento privado?

Se você está pensando em contratar o financiamento estudantil privado e está na dúvida se pode ou não contratar, fique tranquilo. Isso porque o crédito estudantil é para quem precisa de ajuda para pagar as mensalidades. 

Além de servir para aqueles que querem cursar uma pós-graduação, um curso técnico ou até mesmo um MBA. Enquanto o Fies financia apenas os cursos de graduação presenciais, o crédito privado vale para a modalidade a distância (EaD).

Sendo assim, é perfeito para as pessoas que precisam conciliar trabalho e estudos e não conseguem estar todos os dias na faculdade. 

O financiamento estudantil ainda pode ajudar quem não conseguiu o Fies por não atender algum requisito. E ainda é possível obter crédito com juros zero, igual ao programa do governo federal.

Saiba quem pode contratar um financiamento estudantil privado

Está pensando em contratar um financiamento estudantil privado? Conheça as características de quem pode solicitar esse tipo de empréstimo.

-> Menores de 18 anos, com responsável legal;

-> Algum responsável ou representante que possa comprovar rendimentos ou de um fiador;

-> Seja portador de Declaração de Aptidão, este documento emitido pela universidade;

-> Pessoas com nome limpo junto aos órgãos de proteção ao crédito.

Como funciona o financiamento estudantil privado?

Para quem não sabe, o financiamento estudantil privado funciona como um empréstimo. Sendo assim, o estudante contrata o financiamento e recebe o crédito para pagar a faculdade. Tendo um prazo para poder quitar todo o valor da dívida. 

Esse tipo de financiamento pode ser realizado para pagar um semestre do curso da faculdade e, não o curso inteiro como é o Fies. Além disso, o prazo para o pagamento costuma ser de somente 12 meses.

Quando você somar todas as parcelas, perceberá que o valor é maior que do que aquele que pegou emprestado. Vale lembrar que isso acontece porque o financiamento estudantil privado não é um benefício, mas sim um produto.

Dessa forma, você irá pagar pelo dinheiro que lhe foi emprestado. E esse pagamento pode vir tanto em forma de juros, quanto ajustes, além de taxas administrativas ou até mesmo de outros acréscimos.

Assim como acontece em outros financiamentos, é importante que você esteja atento e quite as suas obrigações em dia. Dessa forma, não irá acumular mais juros ou até mesmo ter seu cadastro negativado.

Dicas para contratar um financiamento

Confira um passo a passo para avaliar se o Financiamento Estudantil Privado é ideal para você!

Analise suas possibilidades – Se você não possui orçamento para arcar com os custos de uma faculdade, considere programas de assistência do governo.

Há o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), além do próprio Fies. Outras opções são as bolsas oferecidas pelas próprias faculdades.

Pesquise antes de fechar contrato – Quando a opção é mesmo o Financiamento Estudantil Privado, é preciso pesquisar e analisar taxas e condições. Conheça a fundo todos os planos do mercado e escolha as melhores tarifas com maiores prazos.

Só assuma o que poderá pagar – A principal dica é avaliar se a prestação do financiamento caberá no seu orçamento mensal.

Assumir uma dívida que se tornará uma bola de neve só vai trazer mais problemas, inclusive com um possível trancamento da matrícula na faculdade, por não ter condições de pagar.

Planeje! – Para conseguir pagar as parcelas em dia, você deve ter um bom planejamento financeiro. Controle seus gastos e economize o máximo possível para não ter problemas com imprevistos. No mais, foque no seu sonho e seu maior investimento: o curso superior!

Por conta da crise do coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro suspendeu o pagamento das parcelas do Fies. Confira os detalhes! Quer receber atualizações como esta? Assine a nossa newsletter. 

O que achou disso?

Média da classificação / 5. Número de votos:

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?

Tempo de leitura: 7 minutos
Redação
O FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde 2003, publicamos conteúdos que buscam traduzir desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa. Nossa missão é mostrar que qualquer pessoa pode ter controle financeiro e fazer as escolhas certas. Assim como ter no dinheiro um aliado para viver bem e conquistar seus sonhos.

3 COMENTÁRIOS

  1. O problema é que com o atual FIES, só consegue estudar medicina em universidade Particular, quem é Rico. Rico não precisa de Fies, dá conta de pagar, e pobre não dá conta de passar (salvo uns 2% a 3%), ou seja 97% é rico ou classe média alta. Uns 30 a 40% da classe média normal, até dá conta de passar , porém não dá conta de pagar, pois passa do limite do FIES e não é o suficiente para pagar a mensalidade, exemplo Fies limita em maximo 5 salarios minimos, dai a familia que ganha de 6 a 12 salarios minimo, não consegue pagar uma mensalidade de 7, 8, 9 mil, pois ganharia no max 10, 12 mil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui