Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Medo do desemprego diminui, diz pesquisa

Escrito por: Rafael Massadar em 10 de outubro de 2019

Depois de dois aumentos consecutivos, o medo do desemprego diminui. É o que aponta o Índice de Medo do Desemprego da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

De acordo com a pesquisa, caiu 1,1 ponto em relação a junho e ficou em 58,2 pontos em setembro.

Com isso, o indicador está 7,5 pontos abaixo do registrado em setembro do ano passado.

Medo do desemprego
Receio do desemprego é menor em 2019

No entanto, continua acima da média histórica, que é de 50,1 pontos. Isso porque o indicador varia de zero a cem pontos.

Quanto mais alto o índice, maior é o medo do desemprego.

Onde o medo do desemprego caiu?

A maior queda no medo do desemprego foi verificada entre as pessoas com menor escolaridade e renda.

Principalmente, entre os que têm até a quarta série do ensino fundamental.

Para essas pessoas, o indicador caiu 5,4 pontos e saiu de 65,1 pontos em junho para 59,7 pontos em setembro.

Entre os que recebem até um salário mínimo, o medo do desemprego recuou 4 pontos. Portanto, passando de 72,8 em junho para 68,8 em setembro.

O medo do desemprego, contudo, é maior entre os moradores da região Nordeste. Onde alcançou 69,7 pontos.

A região foi a única a registrar aumento do medo do desemprego em setembro.

O receio é menor no Sul, na qual o indicador ficou em 47,7 pontos. No Sudeste, foi de 58,5 pontos e, no Norte/Centro-Oeste, de 49,3 pontos.

Satisfação com a vida aumenta

A pesquisa da CNI também mostra o grau de satisfação dos brasileiros com a vida.

O Índice de Satisfação com a Vida alcançou 69 pontos em setembro, 1,6 ponto acima do de junho.

O indicador, que é 3,1 pontos superior ao de setembro do ano passado, também está abaixo da média histórica de 69,6 pontos.

A satisfação com a vida aumentou em todas as regiões do país.

O indicativo é maior no Sul, onde alcançou 71 pontos. No Nordeste, ficou em 68,1 pontos, no Sudeste foi de 68,8 pontos e, no Norte/Centro-Oeste, de 68,6 pontos.

Datafolha: 44% acham que desemprego vai piorar

Uma pesquisa recente do Datafolha mostra uma realidade um pouco diferente. De acordo com os dados, 44% dos brasileiros acham que o desemprego vai piorar.

Na mesma apuração, os 46% do entrevistados entendem que a inflação vai aumentar e 59% acreditam em crise longa.

Em contrapartida, 40% dos entrevistados dizem que a situação econômica do país vai melhorar. Além disso, 51% creem em uma vida econômica melhor.

As respostas sobre desemprego foram:

-> Vai piorar: 44%
-> Vai diminuir: 31%
-> Ficará como está: 23%

Sobre a situação econômica no Brasil:

-> Vai melhorar: 40%
-> Vai piorar: 26%
-> Ficará como está: 31%
-> Não sabem: 3%

Sua vida econômica vai melhorar?

-> Vai melhorar: 51%
-> Vai piorar: 14%

Vale ressaltar, no entanto, que a taxa de desemprego recuou para 11,8% em agosto deste ano.

O índice é inferior aos 12,1% do mesmo período do ano passado e aos 12,3% do trimestre em maio deste ano.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Rafael Massadar

Jornalista com experiência em redação com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Transmídia. Atualmente trabalho como assessor de imprensa.

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

Black Friday chegando: como não cair em ciladas
Adeus, consumismo: dicas para fazer compras em brechó
Lucro do FGTS
Economizar com alimentação
Os concursos da Mega-Sena