Conversor de moedas Transferência internacional

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Mineração de criptomoedas: tudo o que você precisa saber

Escrito por: Rafael Massadar em 15 de agosto de 2018

A corrida pela mineração de criptomoedas ficou em alta após a valorização das moedas digitais. Porém, engana-se quem acredita que esse processo resume-se a descobrir ou fabricar novas moedas.

É um conjunto de ações para validar e processar as transações de uma moeda digital localizada na cadeia de blocos (blockchain). Em suma, mineração de criptomoedas é a tarefa de encontrar a chave que criptografa os blocos, chamadas de “hash”.

Isso porque esses blocos atuam como um livro de registros, onde cada transação é registrada de forma cronológica e linear. E toda vez que um hash é encontrado por um minerador, ele informa na rede. Sempre com um pedido de recompensa.

Assim, outros mineradores passam a trabalhar hash do próximo bloco. No caso do bitcoin, por exemplo, toda vez que um minerador encontra um bloco válido, ele é recompensado com 12,5 bitcoins.

Contudo, este trabalho requer esforço e custo computacional. Isso garante a complexidade para escrever novos blocos de transações no registro, evitando que um cibercriminoso possa gerar um bloco falso e o adicione à rede ou que modifique um bloco existente.

Vale lembrar que nem todas as criptomoedas funcionam da mesma maneira.

Mineração de criptomoedas

4 tipos de mineração de criptomoedas

1 – Mineração com CPU

As versões iniciais do software do Bitcoin permitiam aos usuários utilizarem suas próprias CPUs para minerar. Atualmente esse tipo de mineração é inviável.

Isso porque um computador de última geração pode computar 20 milhões de hashes por segundo (MH/s). Com essa velocidade seriam necessários centenas de milhares de anos em média, para encontrar um bloco nos dias atuais.

2 – Mineração com GPU

Essa opção é drasticamente mais rápida e mais eficiente que a mineração com CPU. No entanto, placas gráficas de alto desempenho calculam algo em torno de 200 milhões de hashes por segundo (MH/s).

Mesmo assim ainda seriam necessários mais de 300 anos em média para encontrar um bloco.

3 – Mineração profissional

Ela é realizada por data centers. Países como a Georgia, os Estados Unidos e a Islândia têm se tornado destinos populares para instalações de grandes centros de mineração de Bitcoin.

Ao escolher onde instalar um centro de mineração, existem três fatores a serem considerados:

– clima;
– custo da eletricidade;
– posição na rede bitcoin.

Desta forma, é preciso um clima frio para resfriar o equipamento de forma a diminuir os custos de refrigeração.

4 – Mineração em nuvem

A mineração de Bitcoin em nuvens permite que as pessoas possam ganhar bitcoins sem hardware de mineração, sem software de mineração e sem gastos com eletricidade.

Também chamada de Bitcoin Cloud Mining, a tecnologia permite que você alugue o serviço de mineração de empresas que possuem os equipamentos necessários para minerar Bitcoin.

É permitido fazer mineração de criptomoedas?

Mineração de criptomoedasO Brasil não têm regulação específica. Isso significa que a moeda pode ser comprada e comercializada por quem tiver interesse.

No entanto, tramita no Congresso Nacional o projeto de lei 2303/2015. Ele visa a incluir as moedas virtuais e os programas de milhagens aéreas na categoria de arranjos de pagamento, sob a supervisão do Banco Central.

Mesmo inexistindo regulamentação, a Receita Federal, no guia sobre a Declaração de Renda da Pessoa Física de 2017, divulgou que as moedas virtuais, ainda que não sejam consideradas moeda nos termos do marco regulatório, devem ser relatadas.

O órgão diz que elas devem constar como outros bens na Ficha de Bens e Direitos na declaração do imposto de renda. Isso porque elas seriam equiparadas a um ativo financeiro.

Pool de mineração

Você dificilmente vai conseguir fazer mineração de criptomoedas em casa. Por isso, escolha uma pool que realize essa tarefa para você.

Uma pool é uma espécie de cooperativa. A empresa fornece um serviço que consegue unir os esforços de diversos mineradores na tarefa de encontrar os blocos. Portanto, aumenta suas possibilidades de ganho.

Ao encontrar um bloco, a pool faz uma distribuição da recompensa, proporcional à participação de cada membro. Porém, a maioria delas encontra-se no exterior.

Melhores pools de mineração

1 – AntPool
Originária da China, essa pool é mantida pela BitMain.  Ela já minera cerca de 15% dos blocos em carteiras bitcoins.

2 – DiscusFish/F2Pool
Também com sede na China, essa pool faz, hoje em dia, a mineração de aproximadamente 12% dos blocos existentes.

3 – BitFury Pool
A mineração desse também é de 12% dos blocos espalhados por aí, com a diferença de que essa mineração acontece em três centros de processamento de dados espalhados pela República da Geórgia. Porém, trata-se de um pool privado, não tendo como se juntar a ele (pelo menos, por enquanto).

4 – BTCC
Terceira maior casa de câmbio de bitcoins da China. Sua área de mineração alcança cerca de 7% do total de blocos.

5 – ViaBTC
Essa pool é relativamente nova. No entanto, já mostra ótimos resultados de mineração. Ela lançou uma nova exchange, permitindo a comercialização de Bitcoin e Ethereum para usuários na China e mundo.

China e a regulação das criptomoedas

Mineração de criptomoedas

Na hora da escolha da pool de mineração de criptomoedas, cuidado! A China planeja acabar com as últimas transações com moedas digitais.

O governo chinês tem planos de acabar com as últimas transações em criptomoedas. Ele quer bloquear o acesso às plataformas estrangeiras e retirar seus aplicativos das plataformas móveis locais.

O objetivo é, em nome da estabilidade financeira, apagar os últimos focos das moedas virtuais na China e dar fim à arrecadação de fundos em criptomoedas. No entanto, o governo parece ainda estar focado na criação de uma criptomoeda estatal.

Japão e Islândia são os novos paraísos das criptomoedas

O Japão está rapidamente se tornando um centro global para empresas de blockchain e Bitcoin. Grandes conglomerados locais começaram a entrar no setor, com alguns deles operando corretoras de criptomoedas.

Entre essas empresas estão a Rakuten, Line, SBI, DMM e GMO Internet.

No entanto, uma pequena nação europeia também está começando a assumir um lugar de destaque no mercado: a Islândia. Neste ano, o país vai usar mais eletricidade no processo de mineração do que para abastecer todas as suas residências.

Uma das maiores vantagens do país é a facilidade de gerar energia. Por ter uma grande quantidade de vulcões em sua área, a geração de energia fica mais fácil e, consequentemente, mais barata. Isso tem atraído muitas pessoas a criarem grupos de mineração no país.

Já na América do Sul, o destaque fica para o Paraguai. O país vizinho atrai cada vez mais brasileiros com seu projetos e incentivos na área de mineração de criptomoedas.

Rafael Massadar

Jornalista com experiência em redação com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Transmídia. Atualmente trabalho como assessor de imprensa.

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

principais dúvidas sobre Blockchain
bilionários biticoin
inovação no uso do blockchain
declarar criptomoedas
Ronaldinho Soccer Coin