Mais
    InícioNotíciasInvestimentosO que significa marcação a mercado? Entenda como isso funciona

    O que significa marcação a mercado? Entenda como isso funciona

    0
    (0)

    Se você está chegando no mundo dos investimentos agora, talvez tenha se deparado com a expressão marcação a mercado (MaM) e se questionado o que isso significa. 

    Não é nenhum bicho de sete cabeças. Mas é importante entender esse conceito, porque ele impacta diretamente nos seus investimentos, mesmo os de renda fixa. 

    Uma vez que entender como a marcação funciona, o investidor pode tirar melhor proveito de suas aplicações. Quer saber mais? Então continue lendo o artigo!

    O que é marcação a mercado?

    De forma simplificada, podemos dizer que a marcação a mercado é a atualização diária do preço único de investimentos. Por isso, impacta pessoas que queiram resgatar seus investimentos antes do vencimento.

    A marcação pode impactar tanto os preços de títulos de renda fixa (como Tesouro Selic e CDBs), como produtos de renda variável. Ou seja, esses preços são ajustados para baixo ou para cima.

    Em outras palavras, é o preço que você conseguiria se vendesse o seu ativo hoje. Por isso, é um conceito importante para quem quer pedir o resgate antecipado de um título, por exemplo.

    Se você vender um hoje, receberá o valor determinado pela marcação. 

    Como a marcação a mercado funciona?

    Ainda está confuso? Ao entender como a marcação a mercado funciona vai ficar mais claro. 

    Para começar, essa marcação – ou seja, a variação diária no preço de um título – leva em consideração alguns fatores, como:

    • contexto econômico (percentual da taxa Selic, inflação, política, mercado externo, etc)
    • a demanda pelo (o quanto os investidores o procuram)
    • valor dos novos títulos que estão sendo emitidos no mercado
    • liquidez (quanto mais a liquidez do investimento, mais frequente será a marcação)
    • tipo de rentabilidade (se é pós-fixado ou pré-fixado).
    Gráfico em um tablet simulando a variação de preços da marcação a mercado
    Marcação a mercado estabelece variação diária nos preços dos títulos

    O que é a curva de papel?

    Esse termo costuma aparecer atrelado ao da marcação de mercado. Mas na verdade são ideias opostas. 

    A curva de papel é justamente o oposto da marcação, porque o valor do ativo não varia de acordo com o preço atualizado no dia. 

    Neste caso, o preço se baseia em uma regra que calcula o preço pelo qual você pagou o título multiplicado por 1+ os juros elevados no período.

    Ou seja, o valor de compra é corrigindo dia a dia pela taxa acordada até o vencimento. Mas na prática esse método abre brecha para alguns problemas, como transferência de riqueza entre cotistas de um fundo. 

    Por isso, desde 2002, não se adota a marcação no modelo curva de papel. O Banco Central utiliza apenas a MaM como forma de marcação.

    Exemplo de marcação a mercado

    No exemplo a seguir fica ainda mais clara a forma como a marcação a mercado funciona. Imagine a seguinte situação:

    Um investidor comprou um título do Tesouro Direto prefixado. Ele remunera 5% ao ano e custou R$1 mil – esse é o Preço Unitário (PU) dele.

    Porém, dias depois a Selic subiu. Como consequência, outros títulos que pagavam mais foram lançados no mercado. Isso fez com que aquele título comprado a R$1 mil ficasse menos atraente.

    Assim acontece a marcação a mercado, que reajusta o valor do seu título para baixo (neste caso em específico). Dessa forma, o PU do título passa a equivaler ao seu valor enquanto investimento. 

    Se o investidor vender esse título nesse momento, antes do prazo de vencimento, ele vai ganhar menos. Vai receber o preço determinado pela marcação daquele dia.

    Neste exemplo, a marcação atua abaixando o preço do título. Mas o contrário também pode acontecer, se a taxa de juros cair, por exemplo. 

    Portanto, podemos dizer que o principal objetivo da marcação a mercado é reajustar, atualizar o preço de um ativo, seja ele de renda fixa ou variável. Assim, o investidor sabe quanto ganha se vender o título ou a cota em determinado momento.

    O conteúdo foi útil? Então compartilhe com seus amigos que também são investidores iniciantes!

    O que achou disso?

    Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?

    Tamires Silva
    Tamires Silva
    Jornalista e Redatora do FinanceOne, onde suas finanças começam.

    Artigos Relacionados

    Assine nossa newsletter!

    Páginas Populares

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    InícioNotíciasInvestimentosO que significa marcação a mercado? Entenda como isso funciona

    O que significa marcação a mercado? Entenda como isso funciona

    0
    (0)

    Se você está chegando no mundo dos investimentos agora, talvez tenha se deparado com a expressão marcação a mercado (MaM) e se questionado o que isso significa. 

    Não é nenhum bicho de sete cabeças. Mas é importante entender esse conceito, porque ele impacta diretamente nos seus investimentos, mesmo os de renda fixa. 

    Uma vez que entender como a marcação funciona, o investidor pode tirar melhor proveito de suas aplicações. Quer saber mais? Então continue lendo o artigo!

    O que é marcação a mercado?

    De forma simplificada, podemos dizer que a marcação a mercado é a atualização diária do preço único de investimentos. Por isso, impacta pessoas que queiram resgatar seus investimentos antes do vencimento.

    A marcação pode impactar tanto os preços de títulos de renda fixa (como Tesouro Selic e CDBs), como produtos de renda variável. Ou seja, esses preços são ajustados para baixo ou para cima.

    Em outras palavras, é o preço que você conseguiria se vendesse o seu ativo hoje. Por isso, é um conceito importante para quem quer pedir o resgate antecipado de um título, por exemplo.

    Se você vender um hoje, receberá o valor determinado pela marcação. 

    Como a marcação a mercado funciona?

    Ainda está confuso? Ao entender como a marcação a mercado funciona vai ficar mais claro. 

    Para começar, essa marcação – ou seja, a variação diária no preço de um título – leva em consideração alguns fatores, como:

    • contexto econômico (percentual da taxa Selic, inflação, política, mercado externo, etc)
    • a demanda pelo (o quanto os investidores o procuram)
    • valor dos novos títulos que estão sendo emitidos no mercado
    • liquidez (quanto mais a liquidez do investimento, mais frequente será a marcação)
    • tipo de rentabilidade (se é pós-fixado ou pré-fixado).
    Gráfico em um tablet simulando a variação de preços da marcação a mercado
    Marcação a mercado estabelece variação diária nos preços dos títulos

    O que é a curva de papel?

    Esse termo costuma aparecer atrelado ao da marcação de mercado. Mas na verdade são ideias opostas. 

    A curva de papel é justamente o oposto da marcação, porque o valor do ativo não varia de acordo com o preço atualizado no dia. 

    Neste caso, o preço se baseia em uma regra que calcula o preço pelo qual você pagou o título multiplicado por 1+ os juros elevados no período.

    Ou seja, o valor de compra é corrigindo dia a dia pela taxa acordada até o vencimento. Mas na prática esse método abre brecha para alguns problemas, como transferência de riqueza entre cotistas de um fundo. 

    Por isso, desde 2002, não se adota a marcação no modelo curva de papel. O Banco Central utiliza apenas a MaM como forma de marcação.

    Exemplo de marcação a mercado

    No exemplo a seguir fica ainda mais clara a forma como a marcação a mercado funciona. Imagine a seguinte situação:

    Um investidor comprou um título do Tesouro Direto prefixado. Ele remunera 5% ao ano e custou R$1 mil – esse é o Preço Unitário (PU) dele.

    Porém, dias depois a Selic subiu. Como consequência, outros títulos que pagavam mais foram lançados no mercado. Isso fez com que aquele título comprado a R$1 mil ficasse menos atraente.

    Assim acontece a marcação a mercado, que reajusta o valor do seu título para baixo (neste caso em específico). Dessa forma, o PU do título passa a equivaler ao seu valor enquanto investimento. 

    Se o investidor vender esse título nesse momento, antes do prazo de vencimento, ele vai ganhar menos. Vai receber o preço determinado pela marcação daquele dia.

    Neste exemplo, a marcação atua abaixando o preço do título. Mas o contrário também pode acontecer, se a taxa de juros cair, por exemplo. 

    Portanto, podemos dizer que o principal objetivo da marcação a mercado é reajustar, atualizar o preço de um ativo, seja ele de renda fixa ou variável. Assim, o investidor sabe quanto ganha se vender o título ou a cota em determinado momento.

    O conteúdo foi útil? Então compartilhe com seus amigos que também são investidores iniciantes!

    O que achou disso?

    Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

    Seja o primeiro a avaliar este post.

    Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

    Diga-nos, como podemos melhorar?