Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Latam - Ofertas Imperdíveis

Tudo sobre CDB: o que é, rendimento e como investir

Escrito por: Rafael Massadar em 2 de agosto de 2018

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) é um título de renda fixa do tipo crédito privado, oferecido por bancos. Ele é uma das alternativas preferidas daqueles que estão dando os primeiros passos nos investimentos.

Basicamente, o CDB funciona como um empréstimo do seu dinheiro para a instituição bancária. Em troca, você recebe uma taxa de rentabilidade que é definida no momento da compra.

CDB

Passo a passo para investir no CDB

1º – Escolher uma corretora ou um banco de investimentos.

2º – Abrir uma conta.

3º – Pesquisar os melhores títulos e aqueles que mais se encaixam no seu perfil.

4º – Fazer um aporte inicial com o valor desejado para a aplicação.

Os tipos de CDB

1 – Títulos pós-fixados

Este é o tipo mais comum de CDB. A sua taxa de rentabilidade é atrelada a um indexador da economia. Basicamente, o emissor paga um percentual do índice de referência utilizado.

Como os indexadores variam com o tempo, os rendimentos do CDB pós-fixados também estão sujeitos a oscilações até a data do vencimento. Portanto, ao investir neste ativo, você só tem uma previsão: de quanto irá receber no prazo de resgate.

De forma geral, se o indexador sobe, os seus rendimentos também aumentam.

2 – Títulos prefixados

A taxa de rentabilidade prefixada consiste em uma remuneração fixa. Ela se mantém desta forma, independentemente das condições do mercado.

No momento da compra, você já sabe exatamente o quanto o seu dinheiro vai valorizar até a data do vencimento.

3 – Títulos Híbridos

O CDB híbrido é a classe menos ofertada no mercado. Ele possui taxa de rentabilidade composta por duas partes: uma fixa e uma variável.

Vantagens e Desvantagens do CDB

Para deixar tudo ainda mais claro para você, veja a seguir os pontos positivos e negativos sobre esse investimento.

Vantagens

CDB

1 – Boa rentabilidade: os retornos são maiores que o da poupança, por exemplo. Em alguns casos, é possível render duas vezes mais que na caderneta.

2 – Liquidez diária: em alguns casos, o CDB pode oferecer liquidez diária, ou seja, você pode ter acesso ao dinheiro a qualquer momento.

3 – Proteção do FGC: o baixo risco do investimento vem deste Fundo que garante até R$ 250 mil por CPF e por emissor.

4 – Margem de garantia: uma vantagem que poucas pessoas conhecem é que ele pode ser usado como margem de garantia para investir na Bolsa de Valores. Dessa forma, seu dinheiro pode render em dois lugares ao mesmo tempo.

Desvantagens

1 – Tributação: a primeira desvantagem do Certificado de Depósito Bancário é que há incidência de imposto de renda. Outro detalhe importante: se você aplicar seu dinheiro e retirá-lo em menos de 30 dias, você também terá que pagar IOF.

2 – Valor mínimo: a quantia exigida pela maioria dos bancos é superior em relação a outros investimentos, como o Tesouro Direto, por exemplo.

3 – Período de Carência: em alguns casos, o CDB contratado exigirá um período de carência. Nesses casos, você não poderá acessar seu dinheiro de forma alguma enquanto este prazo não acabar.

Tributação do CDB

A tributação dos CDBs é semelhante à maioria das aplicações de renda fixa:

– 22,5% – sobre os rendimentos ocorridos até 180 dias após a aplicação;

– 20% – sobre os rendimentos ocorridos até 360 dias após a aplicação;

– 17,5% – sobre os rendimentos ocorridos até 720 dias após a aplicação;

– 15% – sobre os rendimentos ocorridos após 720 dias da aplicação.

Na data de vencimento do título, você recebe o valor original de volta acrescido de todo o rendimento do período. Lembre-se, porém, de que há Imposto de Renda no CDB. Ele varia de 22,5% a 15%, dependendo do tempo de aplicação.

Além do IR, quem deixa o dinheiro no CDB por menos de 30 dias tem que pagar ainda o IOF. Ele é um imposto mais agressivo. Pode chegar a 96% para um dia de aplicação.

Se por um lado o CDB tem tributos envolvidos, por outro não cobra taxas de administração, performance ou custódia. Além disso, entre suas vantagens estão o rendimento atraente para a renda fixa e a proteção do Fundo Garantidor de Crédito.

Quando e onde investir?

Investir em CDB é uma boa alternativa para diversas carteiras. No entanto, qual o melhor para o seu perfil?

Essa resposta depende de uma série de fatores, principalmente pessoais. Tudo começa com os seus objetivos de investimento e os prazos de realização.

Outro ponto importante é ter em mente o valor a ser investido. Geralmente, quanto maior o aporte, mais rentabilidade.

De forma geral, os melhores CDBs de 2018 são aqueles que possuem taxas de rentabilidade correspondentes às suas expectativas. Ou seja, que podem acelerar a realização dos seus sonhos. Portanto, pesquise!

Afinal, não adianta somente investir no CDB que possui a maior taxa de juros, é preciso considerar o prazo de vencimento daquele título. Além da sua liquidez (regra de resgate).

Rafael Massadar

Jornalista com experiência em redação com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Transmídia. Atualmente trabalho como assessor de imprensa.

Deixe uma resposta

Posts relacionados

dúvidas-dos-investidores
LCI
tesouro direto ou dcb
siglas financeiras