Preço dos imóveis residenciais tem queda real no Brasil | FinanceOne

Gráficos e cotações de Hoje

Dólar R$ 3,843
Euro R$ 4,457
Bitcoin R$ 24.664,04
Bovespa 74.538,54
CDI 6,39% a.a
Poupança (mês) 0,5000%
Libra R$ 5,053
Conversor de Moeda
Veja a Cotação do
Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.


Preço dos imóveis residenciais tem queda real no Brasil

O preço dos imóveis residenciais à venda no país teve uma queda real de 2,59% no primeiro semestre de 2018. Os dados são do Índice FipeZap, que monitora o valor de imóveis em 20 cidades brasileiras.

Quando acontece uma queda real? Isso ocorre quando há uma alta menor que o aumento generalizado dos preços no valor de um determinado bem. É importante destacar que a variação real não é obtida em uma subtração. O cálculo consiste em dividir a oscilação dos preços pela variação da inflação.

preço dos imóveis residenciais
Rio de Janeiro é a cidade com imóveis mais caros no país

Das 20 cidades avaliadas, apenas seis apresentaram alta no preço de venda no ano. Entre elas estão o Distrito Federal (0,37%), Goiânia (0,31%), e São Paulo (0,21%). Já no mês de junho, o preço médio desses imóveis no país ficou estável pelo sexto mês consecutivo, com um índice de -0,06%.

Espera-se para o mês uma inflação de 1,15%. Com relação às maiores quedas de preços, destacam-se Niterói (-0,66%), Salvador (-0,55%) e Campinas (-0,46%).

Rio de Janeiro se mantém como a cidade mais cara

Após dados do mês de junho, o Rio de Janeiro segue como o lugar mais caro do país, com metro quadrado avaliado em R$ 9.556, em média. O valor médio dos imóveis à venda entre as 20 cidades é de R$ 7.543 reais por metro quadrado.

Logo após a cidade carioca, os lugares com preço médio por metro quadrado mais elevado são São Paulo, Distrito Federal, Niterói, Florianópolis, Belo Horizonte e São Caetano do Sul.

Na parte de baixo da lista o destaque fica para Contagem, Goiânia, Vila Velha, Salvador e São Bernardo do Campo.

Confira a lista do preço por metro quadrado:

1º Rio de Janeiro – R$ 9.556

2º São Paulo – R$ 8.774

3º Distrito Federal – R$ 7.754

4º Niterói – R$ 7.186

5º Florianópolis – R$ 6.888

6º Belo Horizonte – R$ 6.422

7ºSão Caetano do Sul – R$ 6.062

8º Recife – R$ 5.921

9º Fortaleza – R$ 5.859

10º Vitória – R$ 5.755

11º Curitiba – R$ 5.755

12º Porto Alegre – R$ 5.661

13º Campinas – R$ 5.570

14º Santo André – R$ 5.296

15º Santos – R$ 5.260

16º São Bernardo do Campo – R$ 4.898

17º Salvador – R$ 4.857

18º Vila Velha – R$ 4.708

19º Goiânia – R$ 4.134

20º Contagem – R$ 3.498

Março também teve variação estável

Um exemplo desse panorama foi o mês de março, que na época também se manteve estável com relação ao de fevereiro. Em avaliação, o valor do metro quadrado se manteve praticamente estável.

A queda registrada foi de 0,02%. Já com relação à inflação esperada no mercado financeiro para o mês de março foi de 0,15%. Sobre os preços residenciais, nove das 20 cidades avaliadas registraram queda nominal em seu preço médio: Distrito Federal (-0,47%), Goiânia (-0,28%) e Rio de Janeiro (-0,26%).

Das cidades que registraram o aumento, o destaque ficou para Vila Velha (+0,55%), São Caetano do Sul (+0,45%) e Florianópolis (+0,30%).

O índice FipeZap é divulgado periodicamente e acompanha o preço do metro quadrado de 20 cidades do Brasil. Essa pesquisa é feita pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), de acordo com os anúncios de venda no site Zap Imóveis.

Pensando em comprar um imóvel? Veja dicas!

Já listamos aqui quais fatores influenciam no preço de um imóvel, quais documentos você vai precisar ter para essa compra e se vale a pena comprar um imóvel usado e reformar.

A seguir, listamos cinco dicas para você comprar seu primeiro imóvel!

1 – Faça primeiro um planejamento financeiro – Faça uma planilha para organizar seus gastos. Além disso, avalie a possibilidade de usar a sua poupança ou outras aplicações. Afinal, quanto maior o valor da entrada na compra, menores serão as parcelas.

2 – Faça a escolha certa para você – A localização do imóvel pode ser essencial para você economizar, por exemplo, com o transporte. A possibilidade de morar perto do metrô ou de um ponto de ônibus é boa para economizar no combustível. Para quem não abre mão de uma vida saudável, academias de ginástica, clubes e ciclovias são imprescindíveis.

3 – Procure a melhor forma de pagamento – Avalie cuidadosamente a melhor forma de pagar pelo seu primeiro imóvel. É importante saber quais são as formas de compra possíveis, de acordo com o seu orçamento mensal.

4 – Cuidado com os gastos extras – Fique atento. Você vai gastar um pouco mais do que esperava. Existem algumas taxas que você terá que pagar para finalizar o sonho do primeiro imóvel.

5 – Atenção antes de finalizar a compra – Caso o imóvel seja novo, ainda na planta, pesquise sobre a construtora. Visite apartamentos construídos por ela, converse com outros compradores e solicite a visita a um dos apartamentos modelo ou “decorado”. Conte também com a ajuda de um advogado para avaliar toda a documentação.







Mais lidos

Reembolso em planos de saúde: como funciona e como pedir
Quem nunca se consultou com um médico durante anos? E, depois teve que mudar porque ele passou a n...
Transações do mercado imobiliário superam R$472 bi no Brasil
O setor de imóveis volta a crescer em 2018. As transações do mercado imobiliário brasileiro movi...
Aprenda a driblar esses 4 inimigos do seu bolso
Administrar a vida financeira não é uma tarefa fácil, ainda mais na sociedade atual onde a todo m...
Taxas do Tesouro Direto: quais são e quanto custam
Tesouro Direto é um tipo de investimento de renda fixa. Isso significa que, ao aplicar nessa modali...
Onde conseguir crédito mais barato para seu negócio?
Para conseguir crédito mais barato é preciso muita pesquisa. Isso é fundamental para evitar o des...
Truques para cumprir metas ainda este ano
O segundo semestre de 2018 começou há pouco. E o que você fez até então? Toda aquela lista da r...




Publicidade