Início Notícias Economia Renda Cidadã: programa ficará para depois das eleições

Renda Cidadã: programa ficará para depois das eleições

4
(1)

O senador Márcio Bittar, relator do Renda Cidadã, novo programa de transferência de renda do governo, confirmou que o projeto só será apresentando após as eleições municipais.

Caso haja segundo turno, as eleições terminarão no dia 30 de novembro. A informação sobre o texto do programa Renda Cidadã foi passada pela assessoria do senador ao site Congresso em Foco.

“Onde você mexe, ‘nego’ chia. Vai mexer agora que contaminou com a eleição, que a atenção de muita gente importante está voltada para a eleição? Não dá. Para tratar de um assunto tão importante como esse, com foco dividido entre uma eleição no município do cara e em Brasília? Não dá”, declarou o senador ao Congresso em Foco.

+ Renda Cidadã: o que é e quem terá direito?

Objetivo é ampliar o número de beneficiários no Renda Cidadã

Segundo Bittar, a decisão de divulgar o texto do programa após as eleições foi tomada de comum acordo entre governo e aliados no Congresso.

O objetivo do Planalto, de acordo com o senador, é ampliar o número de beneficiários do programa Bolsa Família.

Além disso, o programa visa ampliar as pessoas atendidas, aumentar o valor do benefício e substituir o auxílio emergencial.

O Bolsa Família alcançou mais de 14 milhões de famílias em julho deste ano, de acordo com a divulgação do governo federal.

A ideia é que o Renda Cidadã passe a valer a partir de janeiro de 2021, quando o auxílio emergencial residual de R$300 já tiver acabado.

+ Auxílio emergencial: confira calendário de pagamento
+ Auxílio emergencial de R$300: saiba como consultar se você tem direito

“Tem que esperar. Passa a eleição, chama todo mundo, o problema continua porque não vai acabar. Não posso ser porta-voz de mim mesmo, se eu for porta-voz de mim mesmo não vai a lugar nenhum. Eu tenho que ser para que tenha sucesso o porta-voz de um consenso, e um consenso não se constrói agora na eleição, infelizmente é isso”, completou o relator.

Foto do senador Márcio Bittar no Palácio do Planalto para ilustrar o texto sobre Renda Cidadã
O senador Márcio Bittar, relator da proposta Renda Cidadã, afirmou que o programa será apresentado após as eleições municipais deste ano

Verba para financiar o Renda Cidadã segue indefinida

O relator ainda afirmou que encontra dificuldades para conseguir definir de onde sairá o financiamento do Renda Cidadã. A medida deve custar pelo menos R$20 bilhões por ano, segundo o governo.

De início, a informação era que o custeio do programa sairia dos pagamentos de precatórios e o uso de 5% dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

No entanto, após receber críticas, o governo recuou. Portanto, ainda não há acordo sobre as fontes de financiamento para o Renda Cidadã.

Além disso, Bittar informou que enfrenta certa resistência ao propor o fim das isenções tributárias, como é o caso do Sistema S. O relator também propôs o fim dos supersalários do Judiciário.

O Sistema S engloba as organizações do Senai, Sesc, Sesi e Sebrae. Elas são organizações corporativas e voltadas para o treinamento profissional, além de assistência social, pesquisa, consultoria e assistência técnica.

Renda Cidadã vai substituir o ‘cancelado’ Renda Brasil

O novo programa social será, de acordo com o governo, uma continuação do auxílio emergencial, criado para ajudar trabalhadores informais devido à pandemia do novo coronavírus, além de substituir o Bolsa Família também.

Anteriormente, o programa vinha sendo chamado de Renda Brasil pela equipe econômica, a qual buscava formas de financiá-lo.

No entanto, no dia 15 de setembro, o presidente Bolsonaro declarou que não se falaria mais na proposta até 2022.

A irritação do presidente e, por consequência, o cancelamento do Renda Brasil veio após a equipe econômica do ministro Paulo Guedes cogitar medidas como o congelamento de aposentadorias e pensões para a elaboração do Renda Brasil.

O que achou do nosso texto? Bom? Então aproveite a visita em nosso site e assine a nossa newsletter. Desta maneira, você recebe diretamente em seu e-mail as atualizações sobre o mundo financeiro e economia.

O que achou disso?

Deixei sua classificação

Média da classificação 4 / 5. Número de votos: 1

Seja o primeiro a avaliar este post.

Camila Miranda
Nascida na Zona Oeste do Rio, me divido entre jornalismo e marketing digital. Com três anos de experiência em Comunicação, já trabalhei em redação de jornal impresso, webjornalismo e assessoria de imprensa. Hoje, faço gestão de mídias sociais e produção de conteúdo. Amo assuntos sobre as áreas cultural e política. Reclamo do transporte público.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Nubank lança cartão de débito para pessoas jurídicas

Chegou uma novidade voltada ao setor de pequenas e médias empresas brasileiras (PME). O Nubank lança cartão de débito para pessoas jurídicas...

5 aplicativos para usar antes e durante viagens

O planejamento de uma viagem é importante para que você saiba quais documentos são necessários levar e até mesmo os passeios que...

CDB ou poupança? Saiba qual é o melhor

Se você está pensando em investir, mas não sabe onde deve aplicar o seu dinheiro ou está na dúvida entre CDB ou poupança, saiba...

8 ideias de negócios para empreender na crise

Em tempos de crise no país, empreender pode ser a melhor maneira de ganhar dinheiro e largar o fantasma do desemprego. São muitas as...

Renda fixa x renda variável: confira as diferenças

Quem investe com certeza já ouviu falar sobre renda fixa x renda variável. Mas quais são as diferenças entre esses dois tipos...

Como começar um negócio? Confira passo a passo

Você já pensou em começar seu próprio negócio? O sonho de muitos brasileiros é empreender e deixar de ser um funcionário de...