Início Notícias Economia 4 vantagens do Open Banking para clientes e empresas

4 vantagens do Open Banking para clientes e empresas

0
(0)

Antes de descobrir quais as vantagens do Open Banking para clientes e empresas, você precisa saber o que é essa nova realidade do mercado financeiro brasileiro, regularizada pelo Banco Central.

Open Banking significa “banco aberto”. No entanto, uma tradução mais precisa seria “sistema financeiro aberto”.

Ou seja, trata-se da abertura do leque de serviços financeiros ao consumidor para que ele tenha liberdade de levar suas informações financeiras à empresa que desejar.

Para funcionar, todo o mercado financeiro deve adotar uma tecnologia padronizada, com APIs, facilitando a portabilidade das informações.

Com isso, seria possível que um banco ofertasse seus produtos e serviços financeiros a clientes que sejam correntistas de outro banco.

O que é o Open Banking?

De acordo com o Banco Central, o Open Banking é composto pelo:

  • Compartilhamento de dados, produtos e serviços;
  • Abertura e integração de plataformas e infraestruturas.

Os objetivos do Open Banking são:

  • Propiciar melhores produtos e serviços financeiros;
  • Aumentar a eficiência;
  • Aumentar a competição;
  • Incentivar a inovação;
  • Promover a cidadania financeira

Open Banking: confira 4 vantagens

1 – Liberdade

Ainda há bastante burocracia no que diz respeito a instituições financeiras, mesmo para abrir e fechar contas.

Muita gente acaba optando por aceitar serviços ruins de um banco por já ter um histórico de relacionamento com ele. O que facilita a tomada de crédito e outros benefícios.

Com o Open Banking, todos esses dados de relacionamento seriam migrados.

Isso resultaria em melhor prestação de serviço para garantir a retenção do cliente por parte dos bancos. Para o cliente, o Open Banking traz mais liberdade e reduz as burocracias dos processos.

2 – Menos custos para os bancos

O banco não precisa abrir mão de desenvolver sua própria tecnologia para seus sistemas nem precisa compartilhar essa tecnologia com seus concorrentes. Basta que ele integre seus sistemas por meio de APIs.

O que traria menor custo e corte nos gastos intermediários. Os processos também ficariam mais rápidos.

3 – Ambiente competitivo

Com o Open Banking, os bancos precisam sempre correr atrás de prestar o melhor serviço e oferecer o melhor produto a seus clientes.

Caso não o façam, correm grandes riscos de perder o cliente para a concorrência.

4 – Segurança de informações

Para que o sistema de Open Banking funcione, é preciso que o país crie leis e regras que o embasem. No Brasil, temos a LGPD, mas esse é apenas o primeiro passo.

Hoje, o Banco Central já estuda formas de garantir uma infraestrutura segura e tornar o Open Banking realidade.

Ascensão dos bancos digitais e desbancarizados

Como dito, o Open Banking propõe mudar a maneira como o mercado financeiro funciona.

Assim, não apenas os grandes bancos irão deter as informações financeiras das pessoas, mas também outras empresas. Tais quais fintechs, plataformas de crédito, e outras instituições relacionadas.

Vale ressaltar que, hoje, no Brasil, os cinco maiores bancos oferecem 70% do crédito.

open banking
Open Banking tem como um dos seus objetivos facilitar e baratear o crédito

De acordo com levantamento do coordenador o curso de Economia da Fundação Getulio Vargas-SP, Joelson Sampaio, as contas digitais podem ser 50% mais baratas do que as tradicionais para quem realiza poucas transações.

Esse movimento pode ajudar os mais de 60 milhões de pessoas que não possuem vínculo com nenhum banco, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Esse número representa quase 30% de toda a população e mais da metade do grupo economicamente ativo, com número estimado de 110 milhões de pessoas.

Esse segmento movimenta R$ 665 bilhões anuais. E, segundo informações do portal da Associação das Empresas de Recuperação de Crédito (ASERC), esse público foge das tarifas bancárias e atendimento ruim dos bancos tradicionais.

Além de não possuir interesse em estabelecer relacionamento com instituições financeiras. Você sabe quais tarifas bancárias podem ser cobradas? Confira no conteúdo exclusivo do FinanceOne.

O que achou disso?

Deixei sua classificação

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Seja o primeiro a avaliar este post.

Rafael Massadar
Carioca, amante de esportes e de viagens. Escolhi o jornalismo porque ele vive pelo mundo e conta histórias de pessoas e realidades distintas. Tenho experiência em redação e assessoria de imprensa. Atualmente, trabalho numa agência de marketing digital.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -

Conheça 10 franquias com investimentos de até R$10 mil

A pandemia do novo coronavírus fez com que a procura por microfranquias aumentasse. Em especial, as franquias de até R$10 mil.

Quais são os gastos para manter um carro próprio?

Muitos brasileiros sonham em ter o carro próprio, mas esquecem dos gastos que um veículo pode trazer. E isso acontece porque a...

Como escolher a rede social para seu negócio?

Você sabe como escolher a rede social ideal para o seu negócio? Qual irá fazer a sua empresa crescer e se tornar...

Cartões de crédito sem anuidade: veja os 14 melhores

Procurando por cartões de crédito sem anuidade? Eles conquistaram, definitivamente, espaço na economia brasileira. De acordo com a pesquisa realizada pelo SPC Brasil, cerca de...

Empreendedorismo feminino: o que é e quais os desafios

Falar sobre empreendedorismo faz com que muitas pessoas pensem em empresas grandes ou projetos inovadores. No entanto, empreender vai além disso: é...

5 motivos para investir em Bitcoin em 2020

Diversificar é uma das estratégias mais usadas por investidores de sucesso. Por isso, investir em Bitcoin pode ser uma boa ideia.