Pequenos negócios: como começar a vender online?

Escrito por: Tamires Silva em 6 de abril de 2020

Vender online pode ser uma das opções para conseguir enfrentar a crise econômica que vai impactar o mundo por causa do novo coronavírus. Esse tipo de negócio pode começar pequeno, com poucos custos e sem burocracia.

O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) chama atenção para o que chama de fatores-chave do mercado digital. Ou seja, aspectos dese tipo de negócio que são determinantes para o sucesso.

É o ‘back office’ da loja virtual, o que acontece por trás das vendas. E isso inclui logística, gerenciamento de pedidos, estoque, relatórios, faturamento.

Se esse lado do negócio não estiver em ordem, por maior que seja o esforço, as vendas na web podem não decolar. Para ajudar você nesta empreitada, FinanceOne separou dez passos para montar uma loja online, com base nas dicas do Sebrae e de especialistas.

1. Escolha o seu nicho para vender online

Escolher o seu nicho no mercado digital é uma tarefa importante e que demanda certo esforço. Talvez você já tenha em mente uma ideia do que quer vender. Mas antes de bater o martelo é preciso observar alguns aspectos.

Não escolha o nicho somente com base no que você gosta. O ideal é fazer uma pesquisa de mercado e identificar quais tipos de produtos podem ter mais sucesso em vista da concorrência.

Quando estamos falando de mercado de massa, por exemplo, a competição será basicamente no preço.

Mas em um pequeno negócio online, você pode encontrar nichos menos explorados, com baixa concorrência e demandas pouco atendidas (ou mal atendidas).

+ 10 melhores itens para vender online. Veja ideias!

2. Elabore um plano de negócios

Depois de pensar no seu nicho de atuação, o primeiro passo antes de colocar a mão na massa é elaborar o plano de negócios. Nele você vai esquematizar todos os pontos do seu negócio digital, metas, estratégias, clientes, produtos etc.

Um bom plano te ajudará a não ficar perdido na hora de montar o e-commerce e colocá-lo para funcionar. Além de ser um norte para atuação no negócio durante toda a sua existência, devendo ser atualizado de tempos em tempos.

Vendas online cresceram 40% em março
Vendas online cresceram 40% em março

3. Pense em fornecedores

Este é um daqueles aspectos de back office que precisam ser considerados ao vender online. Os fornecedores são especialmente importantes porque impactam diretamente na qualidade do produto.

Seja uma revenda de um produto de outra marca ou algo fabricado por você, o material precisa estar dentro das expectativas dos clientes.

Por isso a escolha de fornecedores é um passo que merece seu cuidado. Se você já conhece fornecedores de confiança, mantenha-os. Caso contrário, pesquise, pergunte a outras pessoas.

E na hora de escolher pense em pontos como: preço, qualidade do material, garantias, atendimento. Também é importante manter um bom relacionamento com esses fornecedores.

+ 8 negócios que crescem mesmo na crise

4. Invista em um site funcional e seguro

Essa talvez seja uma das partes mais desafiadoras em um negócio digital: o site. Primeiro é necessário registrar o domínio, o endereço da sua loja virtual na internet.

Depois vai precisar pensar em serviços de hospedagem e plataforma. Neste momento, se quiser que seu e-commerce tenha mais chances de dar certo, vai precisa ser cuidadoso para escolher os serviços.

Opte por profissionais confiáveis que entendam do assunto para te ajudar. não fique somente com os planos gratuitos oferecidos pelas plataformas.

Esses geralmente são muito básicos e não vão oferecer tudo o que você precisa para vender online. Além disso o Sebrae alerta:

“Tudo o que estiver disponível no site deve funcionar da melhor forma possível. O cliente precisa ter facilidades ao entrar na loja. Caso contrário, ele desiste em um clique e dificilmente voltará.”

5. Otimize o site para mecanismos de busca (SEO)

Alguns dos problemas mais comuns em sites de vendas são: site lento, imagens muito pequenas, grande quantidade de anúncios, pouco contraste entre fundo da página e cor de letra inadequada.

Esses são aspectos que vão influenciar nas suas vendas, pois podem fazer o cliente desistir da compra. Mas pense também nos aspectos que vão fazer o cliente chegar ao seu site.

Você pode fazer anúncios, mas se conseguir atrair pessoas de forma orgânica será mais barato. E isso é possível por meio da otimização do seu site para os mecanismos de busca (SEO).

“Hoje, os sites de busca são a principal fonte de procura de informações pelos que navegam na web. Portanto, ter um site bem posicionado nesses buscadores é fundamental para ser visto.”

6. Defina os mecanismos de pagamento

A forma de pagamento é um dos aspectos que influenciam na compra de produtos pela internet. Quanto mais opções você puder oferecer ao cliente, mais chances ele terá de realizar a compra.

É possível trabalhar com empresas de intermediação de pagamento via Internet, pagamentos via boleto bancário, transferência, ou com administradoras dos cartões de crédito.

Mas lembre-se que escolher empresas com nome, que sejam seguras para você e para o cliente. Problemas com pagamento podem trazer prejuízos muito sérios em um e-commerce.

7. Construa uma logística para vender online

Com algumas estratégias para a sua loja virtual já esquematizadas, é hora de pensar na logística. Ou seja, como será a entrega da mercadoria, por exemplo.

Você vai entregar por conta própria ou por meio de uma terceirizada? Como serão os prazos e frete? Vão vender para o todo o Brasil ou o território será limitado?

Tudo isso precisa ser planejado para evitar atrasos e uma quebra de expectativa no cliente, como alerta o Sebrae.

“Não existe contato físico na compra pela web, e isso gera uma grande expectativa no cliente para receber a mercadoria. O tempo de espera deve ser igual ou menor que o prazo acordado no site e a mercadoria precisa chegar impecavelmente embalada. Sempre!”

8. Tenha bons canais de atendimento

Já que vender online extingue o contato pessoal, é muito importante ter bons canais de atendimento. É só por meio deles que o cliente vai conseguir falar com você, seja para fazer reclamações, tirar dúvidas, elogiar.

Esses canais precisam ser de fácil utilização e terem respostas o mais rápido possível. Quando a loja online tem bons canais de atendimento, os clientes se sentem mais seguros para fazer compras.

Tenha mais de uma opção de contato, como, por exemplo, um chat online no site, um e-mail específico para o atendimento ao cliente, um número de telefone bem visível no site.

9. Crie perfis nas redes sociais

Estar presente nas redes sociais é essencial para qualquer tipo de negócio. Além de ser uma forma de anunciar, ali é possível criar uma comunidade e fortalecer a base de clientes.

Escolha em quais redes você estará presente. Não precisa ser em todas, mas naquelas onde está a maior parte do seu público alvo. E crie lá um relacionamento com ele.

As redes sociais podem ser usadas para criar conteúdo, lançar promoções, divulgar novos produtos, promover o site etc.

10. Comece a anunciar

Anunciar seus produtos é essencial para atrair novos clientes e aumentar as vendas. Lembre-se de ser sempre verdadeiro em relação aquilo que está sendo vendido.

Existem diversas maneiras de fazer anúncios na internet, como destaca o Sebrae: por links patrocinados (destaques do empreendimento em mecanismos de busca como Google e Yahoo) ou pelas mídias sociais.

Em todos esses formatos é comum pagar por clique. Comece fazendo testes com pequenos investimentos e medindo os resultados. Ou seja, se houve aumento de cliques, de visitas e, principalmente, de vendas.

Vendas online dispararam 40% com avanço da pandemia

Com as medidas de distanciamento social adotadas para combater a pandemia do novo coronavírus, vender online está sendo a saúde para a maioria das marcas. E muitos novos empreendimentos estão sendo lançados.

Segundo pesquisa do Compre e Confie, empresa do grupo ClearSale que trabalha com inteligência de mercado e antifraude para e-commerce, a primeira quinzena de março registrou um aumento de 30% a 40% em vendas pela internet.

Itens de saúde tiveram crescimento de 124%, já alimentos e bebidas cresceram 30% e eletrodomésticos de 37%. Somente o nicho de eletrônicos parece não ter aumentando, com uma queda de 23% nas vendas.

Apesar de o cenário ser de crise, vender online se mostra uma boa saúde para ganhar dinheiro. Com um bom planejamento e boas estratégias, esse tipo de negócio pode mudar a vida de muitas pessoas.

Tamires Silva

Jornalista atuando como repórter e produtora de conteúdo. Produz conteúdo para internet desde 2015.

Deixe uma resposta

Posts relacionados

Finanças no Instagram
Como ganhar renda extra com Mercado Livre
Marketing Digital
Ganhar dinheiro na Páscoa
5 aaplicativos para empreendedores