Como declarar herança no Imposto de Renda

Escrito por: Redação em 25 de abril de 2018

Herança só deve ser declarada no Imposto de Renda após processo de inventário. Isso é fato! Mas se você tem que fazer  isso, como declarar herança? Lembre-se que faltam poucos dias para o fim do prazo.

O espólio seguirá a mesma regra de obrigatoriedade aplicada aos demais contribuintes. Caso não esteja inserido em uma das hipóteses que o obriga a entregar sua declaração, o inventariante estará dispensado de fazê-la. Exceto em relação à declaração final de espólio, que é feita quando o processo de inventário termina.

O processo de inventário termina com o trânsito em julgado da ação de inventário ou da lavratura da escritura pública de inventário. O inventariante deverá entregar a declaração final de espólio, informando quem são os herdeiros ou meeiros beneficiados.

Na ficha de Bens e Direitos do espólio deverá relacionar, além dos bens transmitidos, o valor destinado para ele e também a participação de cada herdeiro naquele bem.

como declarar herança

Inventário perto do prazo final

Em caso de o inventário terminar perto do prazo final de entrega da declaração do IR, o contribuinte não precisa declarar os bens. A declaração final do espólio deverá ser entregue no ano seguinte ao que ocorreu a finalização do inventário.

O ano em que ocorrer o trânsito em julgado ou a lavratura de escritura será considerado como ano-calendário para fins de declaração.

Como declarar herança?

Após a transmissão oficial da herança, o contribuinte herdeiro precisa declarar os bens herdados. Esses bens devem ser relacionados na ficha de Bens e Direitos na declaração de imposto de renda (herdeiro e meeiro).

Deve-se destacar cada item do código do bem, fazendo a discriminação. Relacionar a descrição do bem e data da aquisição, que será a mesma do falecimento de quem deixou a herança.

Tudo isso seguido das informações do processo de inventário, nome e CPF do falecido. Além de informar a situação em 31/12/2017 (valor do bem).

Doação de herança

Após a finalização do inventário, se os herdeiros decidirem doar suas partes da herança, deverão relacionar em sua declaração de imposto de renda os bens e direitos doados, em duas fichas.

Na de Bens e Direitos, deverão relacionar na linha do bem que recebeu como herança. Precisamente no campo discriminação, os dados do donatário (nome e CPF), data da doação e valor.

Caso tenha doado a totalidade do bem, deverá “zerar” a coluna “situação em 31/12/2017”. Em doações efetuadas, deverá ser informado o nome do donatário (quem recebeu a doação) seguido do valor doado (bens ou espécie).

Para doações em dinheiro é preciso relacionar o código “80” dessa ficha. Caso seja em bens (tipo imóveis, bens móveis) deverá utilizar o código 81”.

O donatário estará obrigado a entregar a declaração de Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doações de Qualquer Natureza (ITCMD), declarando o valor recebido (seja em espécie ou em bens e direitos) e calcular, se devido, o imposto.

Faltam poucos dias: como declarar o IR

herançaFique atento ao prazo. Ele termina às 23h59m59s do dia 30 de abril, próxima segunda-feira.

A declaração pode ser elaborada de três formas:

1 – Computador – Através do Programa Gerador da Declaração IRPF 2018, disponível no site da Receita Federal do Brasil;

2 – Dispositivos móveis – Por meio do serviço “Meu Imposto de Renda”, acessado pelo aplicativo “Meu Imposto de Renda”. Disponível no Google play, para o sistema operacional Android, ou na App Store, para o sistema operacional iOS;

3 – Computador – Mediante acesso ao serviço “Meu Imposto de Renda”. Disponível no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC), com o uso de certificado digital. Pode ser feito pelo contribuinte ou seu representante com procuração eletrônica.

Lembre-se que para a transmissão da declaração não é necessário instalar o programa de transmissão Receitanet. Uma vez que essa funcionalidade está integrada ao programa do IR deste ano. Entretanto, continua sendo possível a utilização do Receitanet para a transmissão.

Não é mais permitida a entrega do IR via disquete nas agências do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal. A entrega do documento via formulário foi extinta em 2010.

Restituições

Os contribuintes que enviarem a declaração no início do prazo, sem erros, omissões ou inconsistências, receberão mais cedo as restituições do Imposto de Renda, se tiverem direito a ela. Idosos, pessoas que tenham doença grave e deficientes físicos ou mentais têm prioridade.

As restituições começarão a ser pagas em junho. Seguem até dezembro, para os contribuintes cujas declarações não caírem em malha fina.

Na hora de declarar, uma das novidades do Imposto de Renda neste ano é que serão exigidos CPFs. Inclusive para dependentes incluídos na declaração com 8 anos ou mais. Em 2017, o CPF havia passado a ser obrigatório para crianças a partir de 12 anos.

Redação

Criado em 2003, o FinanceOne é um site especializado em finanças. Desde a influência do mercado financeiro no seu dia a dia até a simples economia dentro de casa.

Deixe uma resposta

Posts relacionados

herança
imposto de renda
Imposto de Renda 2020
Imposto de Renda 2020
Os limites de deduções do Imposto de Renda 2019