Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Como fazer investimentos para o futuro dos filhos

Escrito por: Rafael Massadar em 17 de setembro de 2019

Você já deve ter feito essa pergunta: quais os melhores investimentos para o futuro dos filhos? Os motivos são muitos: comprar um carro, pagar a faculdade, fazer um intercâmbio ou uma previdência, por exemplo.

Para se ter uma ideia, investir em educação é uma prioridade para os pais brasileiros. De acordo com pesquisa global realizada pelo HSBC, 79% das famílias consideram que o melhor investimento que podem fazer é pagar por um ensino de qualidade para os filhos.

Trata-se do maior percentual entre todos os 15 países pesquisados, entre eles Austrália, Canadá, França, México, Reino Unido e Estados Unidos.

Para isso, existem vários tipos de investimentos no mercado. Basta saber qual é o mais indicado para sua família.

abrir conta para filhos
Para abrir conta para filhos e investir em seu futuro, você precisa de algumas definições antes de tudo

A primeira coisa a ter em mente é: comece já!

O objetivo, claro, é fazer o seu dinheiro render. Por isso, atualmente, a poupança não é o mais indicado, porque a rentabilidade é muito baixa.

No entanto, antes de escolher um plano de previdência privada ou qualquer outro tipo de investimento é preciso decidir quanto de dinheiro vai ser investido.

Além de saber qual o prazo do investimento e para que será usado.

5 opções de investimentos para o futuro dos filhos

1 – Previdência privada

A previdência privada é uma boa alternativa de investimento para o futuro dos filhos se você busca resultados de longo prazo. A previdência privada é oferecida por seguradoras, bancos ou gestoras de fundos.

Ela tem duas modalidades de contrato:

  • Plano Gerador de Benefício Livre;
  • Vida Gerador de Benefício Livre.

O primeiro é indicado para quem faz a declaração do Imposto de Renda completa. Já o segundo só vai cobrar o IR em cima dos rendimentos que tiver.

No último caso, ainda existem planos com tributação regressiva: ela pode cair para 10% após dez anos.

2 – Bolsa de valores

A bolsa de valores é considerada mais arriscada do que os outros citados. No entanto, traz maiores retornos ao longo do tempo.

Existe também outro modo de investir: por meio de fundos de ação. Eles funcionam como os de renda fixa, mas só se a maior parte do dinheiro for aplicada na bolsa de valores.

Há dois tipos de ações: as preferenciais e as ordinárias. A diferença é que a primeira não dá direito ao voto no board da empresa, porém paga-se uma porcentagem maior da divisão dos lucros.

Já na outra, é possível participar da votação.

3 – Consórcio

Uma boa opção para quem tem como objetivo de adquirir bens móveis, imóveis ou serviços. E por que essa é uma boa oportunidade de investimentos para o futuro dos filhos?

O primeiro motivo é que, dentro de um consórcio, você nunca deixa de ganhar. Se as parcelas forem pagas corretamente, em algum momento será contemplado.

Seu custo é baixo e, antes de entrar, é possível avaliar qual é o melhor para o seu orçamento. Ou seja, não existe risco de perder.

4 – Tesouro Direto

Investir no Tesouro Direto tem sido uma possibilidade cada vez mais buscada por quem quer ir além da poupança. Entre as vantagens do Tesouro está a facilidade de investir.

Isso porque tudo é feito pela internet e os valores exigidos para começar não são altos. Afinal, é possível aplicar a partir de R$30.

O programa foi criado através de uma parceria entre o Tesouro Nacional e a Bolsa de Valores. Ele permite que pessoas físicas possam comprar títulos públicos federais.

Esses títulos podem ter rentabilidades diferentes e, entre as opções, o Tesouro IPCA é um dos mais procurados por quem quer investir no longo prazo.

Isso é possível porque o Tesouro IPCA rende de acordo com o indicador oficial da inflação no país, que é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mais uma taxa fixa.

Então, quem compra esse título tem a possibilidade de ganhar sempre acima da inflação. Independentemente do quanto ela variar durante o tempo em que o dinheiro ficou aplicado.

5 – CDB

O Certificado de Depósito Bancário, ou CDB, é um título que os bancos oferecem como forma de se capitalizarem. Já que as instituições financeiras não podem fechar o dia negativadas.

Portanto, elas vendem títulos para os investidores para conseguir encerrar o período com caixa positivo. Ou seja, você faz um empréstimo para o banco e recebe um valor com os juros adicionais.

A rentabilidade dos CDBs pode ser determinada de 3 maneiras:

  • rentabilidade do CDI (Certificado de Depósito Interbancário), que é basicamente a mesma coisa, mas entre bancos;
  • inflação;
  • pré-fixados, tendo um valor de rentabilidade constante do início ao fim.

Educação financeira também é importante

Ensinar educação financeira às crianças também é um dos principais investimentos para o futuro dos filhos. Portanto, dê a ele uma base financeira capaz de lhe render muito mais do que qualquer aplicação.

É importante que ele saiba economizar e aproveitar a vida sem culpas econômicas. Por isso, inclua a criança nas rotinas relacionadas às despesas da casa e saiba como garantir o futuro do seu filho desde cedo.

A mesada é um bom instrumento para isso, pois você pode ensiná-lo a utilizar o dinheiro com inteligência. Agora para que ele tenha disciplina, faça-o participar dos cuidados com a moradia.

Além disso, você pode mostrar a ele o valor do trabalho e oferecer um “valor extra” para realização de pequenas tarefas domésticas que não fazem parte do dia a dia.

Rafael Massadar

Jornalista com experiência em redação com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Transmídia. Atualmente trabalho como assessor de imprensa.

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

Avaliar a liquidez do investimento é importante para saber o prazo que poderá resgatar os lucros
13° salário
cartão-de-crédito-com-cashback
Montar uma reserva de emergência
Como usar a conta digital e fugir do banco tradicional