Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Como reorganizar as finanças após o Carnaval

Escrito por: Rafael Massadar em 12 de março de 2019

Gastou mais do que deveria no Carnaval? Chegou a hora de fazer aquela famosa faxina financeira para colocar as finanças em ordem.

O primeiro passo é realizar um diagnóstico do estrago nas suas contas. Para começar, registre todos os seus ganhos, os gastos e possíveis despesas adicionais.

Para isso, o ideal é criar uma planilha financeira. Ela vai ajudá-lo a visualizar esses valores. Caso não tenha familiaridade com o programa Excel, já existem diversos aplicativos de controle e organização financeira.

Feito isso, se a diferença entre o que entra e o que sai for negativa, é sinal de que as suas finanças não estão nada bem.

Depois de fazer um diagnóstico, o próximo passo de como organizar as finanças pessoais é criar um orçamento.

Para tanto, é necessário analisar os gastos fixos, como prestação da casa ou do carro e mensalidade escolar.

Além deles, os gastos variáveis, como conta de energia e de água, que mudam conforme o consumo.

reorganizar as finanças

Mudança de hábitos para reorganizar as finanças

Para fechar o mês com as contas no azul e reorganizar as finanças, tenha em mente que você e sua família precisarão fazer alguns ajustes nos gastos. Provavelmente, mudar alguns hábitos.

Por exemplo, corte alguns programas de lazer como saídas para restaurantes e cinema.

Em alguns casos, vale substituir programas pagos por atividades gratuitas. Pode ser uma forma de compensar eventuais sacrifícios temporários.

Isso não significa que você e seus familiares não poderão mais fazer o que desejam. Na verdade, você vai apenas avaliar se realmente o gasto é por necessidade ou não.

Evite ao máximo recorrer ao cheque especial e ao cartão de crédito. Faça tudo de maneira responsável. Cuidado para não assumir mais parcelas do que seu orçamento permite.

Caso o empréstimo for inevitável, faça uma pesquisa antes para saber quais são as condições e os juros cobrados, além das taxas e do Custo Efetivo Total (CET) da operação.

Cuidado com o crédito fácil e caro

Linhas de crédito como a do cheque especial e a dos cartões representam graves ameaças para quem deseja reorganizar as finanças.

As taxas de juros são maiores e você será seduzido pela facilidade em contrair a dívida. No entanto, lembre-se que dinheiro fácil custa muito mais caro.

Afinal, de acordo com o Banco Central, os juros do cartão de crédito rotativo para pessoas físicas subiram de 285,4% ao ano, em dezembro de 2018, para 286,9% ao ano, em janeiro deste ano.

Já a taxa média do cheque especial, de acordo com a instituição, avançou de 312,6% ao ano, em dezembro, para 315,6% ao ano, em janeiro de 2019.

Para fugir dessa situação, use as vantagens da portabilidade.

Com ela, o devedor tem sua dívida “comprada” por outra instituição financeira, que lhe oferece condições de pagamento mais favoráveis. A pessoa troca a dívida cara por uma mais barata.

Outra opção é o crédito pessoal. Entretanto, é interessante verificar o máximo de opções possíveis para garantir que você optou pela mais barata.

Caso a taxa de juros seja menor, o dinheiro pode ser utilizado para quitar a dívida mais rapidamente.

Assim, você “substitui” a modalidade de empréstimo mais cara por uma mais barata e com melhores prazos de pagamento.

Rafael Massadar

Jornalista com experiência em redação com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Transmídia. Atualmente trabalho como assessor de imprensa.

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

financiamento estudantil
Nubank lança cartão de débito - Cartão de débito Nubank
dívidas
organizar-as-finanças-depois-das-férias
taxa-de-administração-do-consórcio