Dívida do banco caduca depois de cinco anos? | FinanceOne

Dívida do banco caduca depois de cinco anos?

Escrito por: Rafael Massadar em 22 de maio de 2020

Dívida do banco pode caducar? Essa é uma das perguntas mais recorrentes entre aquelas pessoas que possuem alguma pendência no nome.

A resposta é sim! Dívidas caducas são aquelas que têm mais de cinco anos. Após esse prazo, elas deixam de ficar disponíveis nos birôs de crédito, como a Serasa. Ou seja, deixam de ser aparentes para o mercado de crédito.

No entanto, muitos se enganam que a dívida deixa de existir. Ela apenas deixa de ser visível para as outras empresas e nos serviços de proteção ao crédito.

Para o credor (empresa para a qual você está devendo), a pendência continua em aberto.

dívida do banco
Deixar uma dívida do banco caducar não é a melhor estratégia

O que significa caducidade no Direito Administrativo?

No Direito Administrativo, o termo caducidade pode ser definido de duas formas: a primeira delas consiste na extinção de determinado ato administrativo em razão da chegada de uma nova lei.

Assim, é possível realizar algo que antes não era permitido porque não havia previsão em lei ou deixar de fazer alguma coisa porque agora não é mais permitido.

O segundo significado de caducidade tem a ver com a rescisão do contrato de concessão em que uma das partes pode cancelar o contrato diante da inadimplência total ou parcial da outra parte.

Vale a pena aguardar a dívida do banco caducar?

A prática de aguardar a dívida do banco caducar não traz nenhuma vantagem ao consumidor — diferentemente do que muitos acreditam. Na realidade, ela acompanha inúmeros riscos financeiros e, por essa razão, não é recomendada.

Isso porque, até a dívida prescrever, o cliente ficará registrado como negativado no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e na Centralização de Serviços dos Bancos (Serasa).

Dessa maneira, sofrerá grandes restrições no mercado e poderá encontrar dificuldades no acesso ao crédito e ao financiamento. Afinal, a instituição financeira terá conhecimento do estado de inadimplência do consumidor.

Todo esse contexto pode se agravar caso o indivíduo se depare com situações de emergência em que dependa da liberação de benefícios.

Outro risco corrido pelo devedor diz respeito aos juros e à cobrança atualizada do valor devido, uma vez que podem ser requeridos a partir de um processo judicial.

+ SPC e Serasa: como funciona e qual a diferença?

Como fazer a renegociação das dívidas?

Muitas vezes, as pessoas deixam de arcar com a dívida do banco por conta dos juros elevados e, consequentemente, pelas parcelas exorbitantes.

Contudo, para reverter essa situação, você pode fazer a renegociação das dívidas e condições de pagamento com a instituição. É possível resolver essa situação em poucos passos em vez de encarar as consequências da dívida caduca:

1 – Análise financeira: faça uma lista de todas as dívidas e compare com o seu orçamento mensal.

Calcule seus gastos básicos mensais e corte gastos supérfluos inicialmente. Fazendo isso, você sabe exatamente quanto sobra todo mês para destinar ao que deve.

2 – Elabore uma proposta: depois que você souber quanto consegue pagar à instituição mensalmente, pode montar uma proposta que caiba no seu bolso.

3 – Procure a instituição: entre em contato com a empresa o quanto antes e solicite uma proposta. O valor deve ser compatível com sua situação financeira. Se não for continue negociando até encontrar uma quantia adequada para ambas as partes.

Rafael Massadar

Jornalista com experiência em redação com pós-graduação em Comunicação Empresarial e Transmídia. Atualmente trabalho como assessor de imprensa.

Deixe uma resposta

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

FGTS rende mais que a Selic
cartão de crédito
Cartão de crédito: como funciona e como usar melhor
consórcio de dinheiro