InícioNotíciasFinanças PessoaisSPC e Serasa: como funciona e qual a diferença?

SPC e Serasa: como funciona e qual a diferença?

4.2
(181)

Se tem algo que os consumidores têm medo é ouvir as palavras SPC e Serasa. As funções de ambas se confundem, pois registram dados pessoais como CPF, endereço e dívidas atrasadas. Elas atuam como empresas prestadoras de serviços.

Embora bem conhecidas no cenário mercadológico, muita gente ainda tem dúvida e confunde os conceitos e funcionalidades do Serasa e do Serviço de Proteção ao Crédito – SPC.

Em tese, costumam fornecer informações para lojas e/ou bancos para ajudar e dar mais segurança para que possam emprestar dinheiro ou efetuar algum tipo de financiamento.

Mas o SPC e o Serasa são a mesma coisa? Não! O SPC Brasil é o sistema de informações das Câmaras de Dirigentes Lojistas (CDL). É um grande banco de dados com informações sobre crédito de pessoas físicas e pessoas jurídicas. Esse banco serve quando empresas por todo o Brasil vão conceder crédito a algum consumidor.

Enquanto isso, a Serasa Experian é também um banco de dados com uma série de serviços de informações para ajudar na tomada de decisões das empresas. Então, os serviços da Serasa incluem soluções em todas as etapas de negócio, que vão da prospecção à cobrança.

O fato é que SPC e Serasa não têm como função somente checar o CPF. No entanto, possuem também soluções para auxiliar os consumidores e os negócios. Uma vez que atuam na tratativa dessa situação junto às empresas e bancos.

Vamos explicar como consultar SPC e Serasa – que agora pode ser pelo celular.  Falaremos, principalmente, qual é a diferença entre os serviços. Continue a leitura para saber mais!

principais diferenças entre o SPC e Serasa
Apesar de serem um grande banco de dados, os serviços do SPC e Serasa possuem suas diferenças

O que é e como funciona o Serasa?

Em primeiro lugar, o Serasa é uma empresa que presta serviços e possui um grande banco de dados. Em seu sistema constam informações de cidadãos e empresas, que indicam dívidas vencidas e não pagas.

Além disso, há registros de protesto de título, ações judiciais, cheques sem fundos e outros provenientes de fontes públicas e oficiais.

As informações citadas são fornecidas às empresas e/ou bancos que contratam o serviço. Com o objetivo de dar suporte às decisões e transações, e torná-las mais seguras.

Em outras palavras, a Serasa é uma empresa privada para análise e fornecimento de informações, usadas na hora de conceder crédito a um consumidor. Muitos têm dúvidas quanto a isso, mas o Serasa não é uma empresa do governo. Criada em 1968, ela faz parte do Grupo Experian desde 2007.

Ou seja, as funções do Serasa incluem registro sobre dívidas e uma área exclusiva para pessoas físicas, o Serasa Consumidor. Nessa área é onde o usuário acompanha se seu nome está sujo e como resolver a possível negativação.

O que é e como funciona o SPC?

A sigla SPC significa Serviço de Proteção ao Crédito. Ele funciona como banco de dados de informação sobre crédito, que possui caráter público. É um sistema de dados das Câmaras de Dirigentes Lojistas (CDL), que é alimentado também por associações comerciais.

O sistema de consulta do SPC ajuda para que as empresas e bancos concedam crédito aos consumidores e possam iniciar negociações. Surgiu no ano de 1955 e ainda é utilizado por diversas empresas. Essas podem ter acesso ao CPF de mais de 180 milhões de pessoas.

De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, tanto SPC quanto Serasa deverão sempre fornecer informações necessárias ao cidadão. Confira o texto abaixo:

Art. 43. O consumidor, sem prejuízo do disposto no art. 86, terá acesso às informações existentes em cadastros, fichas, registros e dados pessoais e de consumo arquivados sobre ele, bem como sobre as suas respectivas fontes.

1° Os cadastros e dados de consumidores devem ser objetivos, claros, verdadeiros e em linguagem de fácil compreensão, não podendo conter informações negativas referentes a período superior a cinco anos.

2° A abertura de cadastro, ficha, registro e dados pessoais e de consumo deverá ser comunicada por escrito ao consumidor, quando não solicitada por ele.

3° O consumidor, sempre que encontrar inexatidão nos seus dados e cadastros, poderá exigir sua imediata correção, devendo o arquivista, no prazo de cinco dias úteis, comunicar a alteração aos eventuais destinatários das informações incorretas.

4° Os bancos de dados e cadastros relativos a consumidores, os serviços de proteção ao crédito e congêneres são considerados entidades de caráter público.”

Quais as principais diferenças entre SPC e Serasa?

O SPC e Serasa possuem funções bem parecidas. No entanto, há diferenças entre as empresas que os consumidores precisam saber.

O banco de dados, por exemplo, no caso do SPC, é coletado por lojistas credenciados. Enquanto o Serasa obtém através de bancos e instituições financeiras.

Além do banco de dados, outra diferença entre as empresas de proteção ao crédito é com relação às suas fundações.

O Serasa é uma parceria entre a Associação dos Bancos do Estado de São Paulo e a Federação Brasileira das Associações de Bancos, que acabou sendo vendido ao grupo Experien.

Já o SPC foi fundado por um grupo composto por doze empresas. Ele é financiado pelas associações comerciais brasileiras, conforme a Câmara de Dirigentes Lojistas.

No entanto, uma das principais diferenças está relacionada à consulta do CPF. Como explicamos nos tópicos anteriores, na Serasa é possível realizar uma consulta ao CPF grátis na internet, após preencher um cadastro no Serasa Consumidor.

No SPC, precisa ir ao balcão da Entidade ou adquirir créditos para consultar no SPC Net.

Uma das principais questões para quem acessa esses serviços é ver se o nome está negativado e limpá-lo. No site Serasa Consumidor, você tem acesso ao Limpa Nome Online.

Através dele pode negociar suas dívidas de casa e ter acesso a diversos canais de negociação, como e-mail, telefone e chat.

Para limpar o nome na Serasa, é necessário acessar esse sistema. Depois, verificar as dívidas em que há a possibilidade de negociação com as empresas participantes, selecionar a opção de pagamento mais adequada a você e imprimir o boleto bancário para quitar.

Limpar o nome no SPC funciona assim: ao receber uma notificação de que há pagamentos em atraso, o consumidor pode procurar a empresa credora e realizar o pagamento desse débito pendente.

Quais são os tipos de informação fornecida por SPC e Serasa?

As informações fornecidas pelas empresas são distintas e variam de acordo com o que cada comerciante deseja consultar.

Essa escolha acontece mediante a situação de cada cliente, que determina qual dos dois serviços, se o SPC ou Serasa.

O Serasa está ligado mais à parte de serviços financeiros, como dívidas com bancos e instituições financeiras. Isso inclui operações com cheques sem fundos, dívidas com cartão de crédito ou financiamento em atraso.

Enquanto isso, o SPC disponibiliza informações de consumidores com dívidas no comércio em geral, o que inclui dívidas com empresas de água ou de energia.

Além de SPC e Serasa, existe também o SCPC – Serviço Central de Proteção ao Crédito, administrado pela Boa Vista Serviços.

Antigamente, todas as Câmaras de Dirigentes Lojistas estavam ligadas ao SPC. E foi aí que surgiu o SCPC, com a divisão do banco de dados.

Quais são as dúvidas sobre SPC e Serasa?

Agora que você já sabe as diferenças entre ambas as empresas de proteção de crédito e como funcionam, tire as principais dúvidas sobre os órgãos.

#1. Por quanto tempo meu nome pode ficar sujo no SPC ou Serasa?

O consumidor fica com o “nome sujo” ou negativado até que a dívida seja paga. Quando há o pagamento, a empresa credora deve solicitar a exclusão do consumidor da lista de devedores.

Se a dívida não for paga em até cinco anos e a empresa credora não utilizar meios jurídicos para que o pagamento seja feito, a restrição ao nome do consumidor é excluída automaticamente dos cadastros do SPC e Serasa.

Alguns boatos dizem que o tempo limite é de três anos, mas o prazo legal é de cinco anos. A contagem do prazo tem início a partir do vencimento da conta, ou seja, quando o consumidor disse que pagaria a dívida e não o fez.

#2. O que acontece com a renegociação?

É muito comum que as pessoas endividadas renegociem a dívida para que consigam pagar menos juros e, até mesmo, um valor menor do que o devido.

Nesse sentido, a empresa e o consumidor entram em um consenso sobre valor e formas de pagamento.

Então, quando o consumidor renegocia uma dívida, outra está sendo criada. Logo, uma nova data de pagamento, valor e parcelas podem ser alterados.

Vale lembrar que assim que o devedor faz o primeiro pagamento da renegociação seu nome, retira-se o nome do cadastro de negativados.

Ou seja, se, por algum motivo, a dívida não for quitada, o nome do consumidor volta aos órgãos de restrição ao crédito.

Dessa forma, será feita uma nova contagem de cinco anos até que o nome suma automaticamente dos sistemas.

#3. Após a prescrição, a empresa pode continuar cobrando a dívida?

O nome do devedor deve ser excluído do cadastro negativo do SPC e Serasa após os cinco anos do vencimento da dívida. Após essa data, o credor não pode cobrar judicialmente que o consumidor pague a dívida. Mas pode continuar com os processos já abertos.

Além disso, o estabelecimento continuará cobrando por meio de telefone e carta o consumidor endividado.

4 – Já quitei minha dívida. E agora?

De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, o prazo para uma pessoa ter o seu nome retirado do SPC e Serasa são de cinco dias úteis, desde que a inadimplência seja regularizada.

5 Posso ter o crédito recusado pela empresa a que devia?

Não existe uma lei que obrigue uma instituição ou empresa a conceder crédito a algum consumidor, desde cartão de crédito, financiamentos e outros tipos de negociações.

Existem empresas que se negam a confiar novamente em um consumidor após o endividamento. Há outras, porém, que são mais flexíveis na concessão de crédito.

Há golpes ligados ao SPC e Serasa?

Antes de tudo, se você reparar, há dezenas – e até centenas – de anúncios na internet e nas ruas sobre maneiras miraculosas para tirar o nome do SPC e Serasa. Cuidado com isso! 

Frases como “tire o nome sujo sem precisar pagar a dívida” são comuns no dia a dia. Mas tenha cuidado. Esse tipo de propaganda é enganosa e golpistas podem estar se aproveitando de sua ingenuidade.

Se fosse assim tão fácil, certamente seria o negócio mais lucrativo do país, já que o número de endividados aumenta no decorrer dos anos.

Recapitulando o conteúdo já dado, caso seu nome esteja em algum dos órgãos, veja como tirar rapidamente:

  • Regularize o crédito: se dirija ao estabelecimento ou faça um acordo de pagamento.
  • Aguarde a exclusão do nome no cadastro: a empresa tem até cinco dias úteis e deve conceder um documento de quitação da dívida.
  • Se após o prazo o nome do consumidor ainda estiver negativado, o mesmo poderá pedir indenização por danos morais.

Por fim, para não ter problemas, nem com SPC nem com Serasa, manter uma organização financeira é essencial.

Gostou do nosso conteúdo? Confira agora como limpar o seu nome no SPC ou Serasa.

O que achou disso?

Média da classificação 4.2 / 5. Número de votos: 181

Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este assunto não tenha sido útil para você!

Diga-nos, como podemos melhorar?

Assine nossa newsletter!

Páginas Populares

5 COMENTÁRIOS

  1. Olá! Tenho algumas dúvidas que não foram esclarecidas por completo no texto. As principais são:
    Por que uma empresa negativa no SPC e também no Serasa? Não seria suficiente negativar em um só? As plataformas se conversam? Ou existe a possibilidade de um comerciante consultar só no SPC por exemplo e acabar liberando crédito mesmo o consumidor estando com o nome no Serasa?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui