Conversor de moedas Transferência internacional

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

Especialista dá orientações de como se proteger de cibercrimes

Escrito por: Mateus Carvalho em 31 de outubro de 2018

O uso da internet mudou a forma de as pessoas se relacionarem e trouxe muitos benefícios, mas também resultou em alguns contras. Um deles é o cibercrime. Você sabe o que é isso e como se proteger?

Cibercrime é a nomenclatura dada aos crimes cibernéticos que envolvam qualquer atividade que seja considerada atividade ou prática ilícita na rede.

Essas atividades ilícitas podem envolver roubo de dados pessoais, invasões de sistemas, disseminação de vírus, falsidade ideológica e acesso a informações confidenciais, entre outros. Além de abranger os crimes convencionais que são realizados por meio de dispositivos eletrônicos e aqueles que incluam o uso de alguma ação digital como instrumento para a prática de algum crime.

como se proteger de cibercrimes
Veja como se proteger de cibercrimes

Diante disso, como se proteger de cibercrimes? Pode parecer uma tarefa difícil ou até mesmo impossível. Porém, dá para seguir alguns cuidados. Muitas pessoas acabam, sem saber, navegando em páginas falsas e, assim, se expõem a diferentes tipos de vírus.

E além desses vírus, ainda existem programas que são mal-intencionados, fazendo com que você corra risco de sofrer ataques de hackers, cada vez mais comum nos dias de hoje. Outra ameaça é você acabar tornando-se vítima de fraudes eletrônicas e com isso ter perdas financeiras, entre outros transtornos.

7 dicas para se proteger de cibercrimes

Grande parte das pessoas vive conectada na internet, seja pelo notebook, computador, tablet ou smartphone, o que as torna mais suscetíveis a sofrer cibercrimes.

Para te ajudar a se proteger de cibercrimes, André Ricardo Theodoro, coordenador do curso técnico em Informática do Senac Ead, dá algumas orientações.

1) Escolha bem as suas senhas

É importante que ao criar senhas para acessar suas contas de e-mails, bancos, redes sociais e sites de comércio eletrônico, você nunca utilize datas e placas de carros. Ou até mesmo qualquer outra combinação que seja ligada a você e que seja fácil de descobrir.

De acordo com André Ricardo, o ideal é utilizar senhas que sejam consideradas fortes, com letras maiúsculas e minúsculas, além de números e diferentes caracteres. Também é importante trocar as senhas periodicamente e, em hipótese alguma, armazená-las no navegador.

2) Cuidado com o phishing

Você sabe o que significa phishing? O termo se refere às tentativas de obtenção de informação pessoalmente identificável através de uma suplantação de identidade por parte de criminosos em contextos informáticos. Além disso, é considerado um dos métodos mais comuns de capturar dados do usuário.

Isso porque os internautas são induzidos a clicar em links que estão infectados por vírus. “Nunca abra anexos nem clique em links de e-mails duvidosos. Desconfie de mensagens que prometem prêmios fáceis ou que enviem fotos, cartões virtuais, além de solicitarem o preenchimento de formulários com seus dados. Na dúvida, entre em contato com o remetente antes de qualquer ação”, aconselha o especialista.

3) Tenha atenção nas compras e transações bancárias

É importante que os usuários procurem acessar lojas online de confiança ou que identifiquem o fornecedor. O coordenador do curso técnico em Informática do Senac Ead explica que é necessário buscar por endereços físicos e telefone da loja para checar se de fato ela existe.

Também é importante sempre exigir a nota fiscal do produto adquirido por você. Outra dica do especialista é ler a política de privacidade do site para saber como o fornecedor cuidará do armazenamento e manipulação dos dados. Já para os casos de transações bancárias, a sugestão é ter ainda mais cuidado.

“Certifique-se de que o site não é falso e não acesse o seu banco em pontos de acesso de múltiplos usuários, como lan houses.”

4) Identifique quais são os sites mal-intencionados

É possível identificar alguns sinais de que os sites não são seguros. São alguns deles: páginas que abrem diferentes pop-ups e forçam esses tipos de acessos, endereços na barra do navegador não coincidem com real endereço do site, sites que exigem instalação de programas com extensões desconhecidas.

A dica do coordenador do Senac EAD é utilizar um bloqueador de pop-ups com o seu navegador. Além de nunca instalar esses programas que são sugeridos pelos sites mal-intencionados.

5) Tenha atenção no celular

Realize transações por meio dos aplicativos originais e que tenham certificado dos bancos, empresas e lojas nas quais pretende efetuar sua compra. Além disso, é fundamental manter uma senha no seu smartphone para o caso de roubo, para que você não seja surpreendido por transações indevidas.

De acordo com André Ricardo, o ideal é que os usuários baixem aplicativos das lojas oficiais do sistema operacional que utiliza no dispositivo. Além disso, é importante evitar o uso da internet wi-fi pública.

6) Cuidado nas redes sociais

Redes sociais são consideradas um ambiente de descontração, por isso evite aceitar convites de pessoas que não conhece. Evite também o compartilhamento de informações que possam acabar expondo sua vida, como fotos, localizações e outros dados pessoais. 

“O ideal é permitir a visualização de suas postagens apenas para a sua rede de amigos e não para o público em geral. Além de ser mais seguro acessar os seus perfis no modo anônimo dos navegadores quando estiver usando computadores de terceiros. Dessa forma, você evita que alguém se aproprie do seu perfil.”

7) Proteja o seu computador

É importante manter o seu computador com antivírus instalado e sempre atualizado, assim como os softwares e o firewall. Além disso, sempre utilize softwares legítimos e evite baixá-los de fontes desconhecidas.

Dicas para proteger sua empresa de ciberataques

Uma ameaça que aflige empresas em todo o mundo são os ciberataques. Segundo o Relatório de Ameaças à Segurança na Internet de 2018 da Symantec, ataques de cryptojacking chegam a 8.500%. Além disso, a propagação do WannaCry e Petya/NotPetya acendeu um alerta sobre essas ameaças virtuais.

O relatório aponta ainda que essas ameaças à segurança digital podem vir de novas fontes, que são inesperadas. É o caso do crescimento das mineradoras de criptomoedas. Confira dicas para proteger sua empresa de ciberataques.

Mateus Carvalho

Jornalista formado pela Unicarioca. Atualmente, repórter da Folha Dirigida e produtor de conteúdo no FinanceOne. Já fui colaborador do Torcedores.com.

Deixe um comentário

Precisa converter?

A calculadora de conversão do FinanceOne fornece os últimos valores cotados para diversas moedas. Acesse agora!

Converter agora

Posts relacionados

dar um jeito nas suas dívidas
Crédito ou débito: o que é melhor?
organizar para os gastos de fim de ano
Erros financeiros que você não pode repetir em 2019
calcular o valor do 13º salário