Conversor de moedas

Veja a cotação do Dólar Hoje, Euro hoje e Bitcoin hoje.

O que é ganho real e como calculá-lo?

Escrito por: Mateus Carvalho em 26 de junho de 2018

Se você é daqueles que vive ligado no mercado de investimento é preciso saber os principais conceitos e entender como aplicá-los, seja lá qual for a sua modalidade. Já parou para pensar sobre ganho real ou rentabilidade real? Independentemente se a resposta for sim ou não, entenda melhor agora o que é e como calculá-lo.

O conceito de ganho real está muito associado ao de rentabilidade. Por isso, todo bom investidor, seja ele novo nesse mercado ou bem experiente, deve se preocupar com esses conceitos, principalmente ter um olhar crítico no que se refere ao percentual de rentabilidade.

ganho real
O ganho real está associado à rentabilidade

Todo bom investidor que se preze busca uma rentabilidade favorável no mercado financeiro. Dessa forma, é possível encontrar várias formas coerentes de calcular o ganho real desses investimentos, por isso ambos estão interligados.

Entendendo o conceito de ganho real

Para entender o conceito de ganho real é bom compreender que ele está relacionado aos efeitos causados na inflação, durante um determinado período. É possível calcular o ganho regal em diferentes investimentos no mercado.

Ganho real ou rentabilidade real de um certo investimento nada mais é do que o ganho que é encontrado em uma aplicação. Essa aplicação, no entanto, já está com inflação descontada.

Como identificar a rentabilidade real de um determinado investimento?

A resposta para essa pergunta não é fácil. Para isso, basta descontar a inflação da rentabilidade durante o período. Para ficar mais fácil de entender, é o valor bruto que foi obtido pelo investimento, não sendo considerado quaisquer perdas de dinheiro.

Saiba como calcular o ganho real

Muita gente carrega erradamente o conceito de ganho real. Logo, não consegue calcular de fato esse ganho e a rentabilidade não condiz com os resultados oficiais. Se você acha que calcular o ganho real é descontar a rentabilidade da aplicação, você precisa entender um pouco melhor.

A informação não está totalmente errada, porém não consiste em apenas isto. Calcular o ganho real não é somente a subtração da inflação pelo período. Em uma hipótese de uma rentabilidade de 10% ao ano, com 5% de inflação, logo obteria 5% de ganho real? Entenda melhor para não se perder.

O primeiro passo para calcular o ganho real de um investimento é descontar os impactos da inflação sobre o valor que foi investido. O investidor tem o costume de calcular o retorno real desse investimento. Você precisa considerar sempre os valores nominais, além de descontar o quanto houve de inflação em um ano. Assim será possível identificar o quanto obteve de ganho.

Calcular a rentabilidade real de um investimento é uma maneira de ter uma vida financeira saudável. Como assim? Identificando sempre quanto há de inflação, além de saber se a carteira de investimento está dando um retorno favorável.

Estar ligado e acompanhando essas transações é de extrema relevância. Isso porque é possível alcançar um ganho negativo e acabar perdendo dinheiro, em vez de um retorno positivo.

Como a inflação interfere nesse cálculo?

É preciso que você entenda o conceito e como a inflação impacta todo esse processo de rentabilidade e ganho real no mercado de investimentos. O bom investidor que pretende alcançar objetivos mais concretos precisa saber descontar a inflação do rendimento, pois assim consegue medir se os resultados são de fato positivos ou negativos.

Para entender é preciso saber que inflação é o efeito de um aumento dos preços, de maneira generalizada. O controle da inflação é do Banco Central, que trabalha há anos com um fator chamado regime de metas de inflação.

Os investimentos precisam render ao menos a inflação daquele período, pois assim não haverá perda de dinheiro e não terá uma rentabilidade negativa. Todo investidor busca, portanto, um investimento com uma rentabilidade positiva, onde quanto maior o ganho, maior será o retorno financeiro.

Melhores investimentos a curto prazo para 2018

A tarefa de cuidar do dinheiro não é fácil, porém essencial e requer muito cuidado, esforço, planejamento e organização. Unir esses fatores é algo essencial para manter uma vida financeira saudável e alcançar bons objetivos. Saiba quais são os cinco melhores investimentos a curto prazo em 2018.

Alguns investimentos são mais procurados pelos investidores pois trazem resultados mais rápidos, a curto prazo. Dentre as opções, as característica variam, com rentabilidade mais baixa, outros com nível um pouco maior. O importante mesmo são os resultados positivos que trazem em um curto espaço de tempo.

As 5 melhores opções são:

CDB;

LCI;

Tesouro Selic;

– Fundos de renda fixa atrelados ao CDI;

– Fundos de renda fixa referenciados DI.

Mateus Carvalho

Jornalista formado pela Unicarioca. Atualmente, repórter da Folha Dirigida e produtor de conteúdo no FinanceOne. Já fui colaborador do Torcedores.com.

Deixe uma resposta

Posts relacionados

Bolsa de valores
visto de investidor nos EUA
3 investimentos que prometem boa rentabilidade em 2019
Selic
Taxa-Selic